A profissão de Social Media vem (felizmente) crescendo de maneira assustadora nos últimos meses e tal crescimento exige cada vez mais dos profissionais da área conhecimento, adaptabilidade e domínio das atividades, nos seus mais simples detalhes.

.

Falo da adaptabilidade pelas constantes mudanças que ocorrem nas redes sociais (o Facebook é um excelente exemplo) e nas ferramentas de monitoramento das redes ou de sites (Analytics então… nem se fala). Essas mudanças nem sempre são de grande impacto, porém é importante dominá-las, antes que o impacto delas atrapalhe a execução do trabalho.

.

Falei também de conhecimento porque este além de garantir o seu emprego, vai ajudar cada vez mais na agilidade com que as atividades serão desenvolvidas, daí a importância de estar sempre antenado ao livro lançado, aos artigos do Digaí e às práticas do mercado.

.

E citei ainda o domínio, pois não vai adiantar muito você ter conhecimento e ser a pessoa mais adaptável do mundo à mudanças, se não tiver a prática (tente obter a certificação do Google Adwords ou do Google Analytics que saberá o que eu falo).

.

Para dar uma forcinha, caro Social Media, preparei estas 15 dicas simples para você por em prática e evitar gafes, melhorar seus resultados e garantir uma taxa de conversão satisfatória no Facebook.

.

1. Estudos comprovaram:

 

As hashtags no Facebook não engajam! Então, muito bom senso não hora de inseri-las. #Não #precisa #colocar #uma #hashtag #em #cada #palavra #do #texto. Na verdade não é necessário nem inseri-la no decorrer do texto. No Facebook o ideal é que elas funcionem como palavras-chave, sendo inseridas ao final do texto.

.

Juliana Pereira falou sobre este assunto de forma mais aprofundada um dia desses, se quiser saber mais, é só clicar aqui.

.

2. Estudos também comprovaram:

 

Publicações com imagens possuem um alcance naturalmente maior que publicações só com texto. Fica mais essa dica. Vai entender esse tal de edge rank!

.

3. Falando em imagens…

 

Tenha muita atenção com imagens trocadas se você não é responsável por apenas uma conta.

.

Vale utilizar codificações para diferenciar as páginas, por exemplo, se você é responsável pelas páginas “Digaí”, “Não Diga” e “Falo Mesmo”, as imagens podem ter a codificação “sigla da página + dia e mês que deve ser publicada + sequência do dia”: DIG190201 (Digaí, deve ser publicada em 19 de fevereiro, 1ª imagem do dia), DIG190202 (Digaí, 19 de fevereiro, 2ª imagem), enfim, ND210205, FM250207.

.

Para utilizar este método é muito importante que haja um planejamento prévio do conteúdo que será publicado na Fan Page.

.

4. Página pessoal

 

Outra forma muito comum de publicar a imagem ou o texto errado na Fan Page é acessando a página da empresa a partir da sua página pessoal. Tente não misturar, eu sei que é difícil, mas vale o esforço!

.

5. Troque a senha

 

Cuidado com hackers (o cliente não quer saber!). Então mude a senha com frequência, principalmente se a rotação de profissionais gerenciando a página for alta.

.

6. Atenção à gramática Social Media!

 

Muito cuidado com ortografia, concordância e acentuação. Esses são os erros mais comuns. Um erro e você estará no Analista de Mídias Sociais da Depressão. Então, leia, releia e peça pra alguém ler o post se considerar necessário.

.

Ah… Atenção também aos com textos truncados (e plural também).

.

7. Conquiste seu cliente (ou seu chefe)

 

Conquiste a confiança do seu cliente para ter liberdade para interagir de forma rápida e “única” com um fã que comente alguma publicação.

.

Para convencê-lo, seja mais “2.0” em resposta à algum fã e mostre os resultados a ele: número de likes da resposta “inovadora” em relação à outras padronizadas, número de retwites, quantidade de elogios à interação diferenciada, enfim, mostre a repercussão positiva e vá amolecendo-o aos poucos.

.

8. Lei de Murphy

 

“Se alguma coisa tem a mais remota chance de dar errado, certamente dará”

.

A cada publicação pense no que de negativo a peça pode trazer para a marca. Toda peça sempre tem um lado ruim (sempre! Nunca subestime seus fãs), ache-o e pense se é potencial para gerar comentários negativos, crise ou retratação.

.

Para isso, basta se colocar no lugar do seu fã. Conheça-o! Saiba quais são os principais tipos de fãs que andam curtindo sua Fan Page clicando aqui.

.

9. Essa é para os microempreendedores e empreendedores individuais

 

Perfil não é página, então, se você é dono de uma microempresa e também o responsável pela gestão da página, crie a Fan Page.

.

Isso também vale para o Google Plus, que vêm crescendo bastante nos últimos meses e muitos ainda não sabem que é possível criar uma página empresarial (ou não sabiam).

.

10. É só olhar com atenção Social Media

 

Então… Ao interagir com seus fãs, jamais erre o nome dele, afinal, ninguém gosta, seja no ambiente online ou off-line. Na Fan Page, essa dica vale especialmente se você for responder a uma reclamação ou xingamento do internauta.

.

11. Tente desligar os holofotes

 

No caso das reclamações, mostre intenção em resolver o problema e encerre a interação motivando o contato por meios privados (email, telefone).

.

Mostre disposição em resolver o problema, para que ele desista da ideia de incentivar o boicote aos produtos da marca (numa atitude mais drástica), ou no mínimo, que ele esqueça a ideia de colocar holofotes aos seus problemas.

.

12. Comic Sans

 

Amada por uns, odiada pela maioria. Não utilize comic sans, mesmo que seja um post engraçado (a graça está muito mais no conteúdo, que na fonte utilizada). Esta regra só não será válida se você estiver zoando a própria Comic Sans.

.

13. Ah se tivesse limite…

 

Facebook não tem limite de palavras, mas não precisa exagerar.

.

Se a marca realizar um concurso cultural e o regulamento tiver muitos tópicos, deixe o link! Nem pensar em colocar o regulamento inteiro no corpo do texto. Na verdade, deixe link sempre que o texto for grande (poste apenas um resumo com imagem e link). Tente manter sempre a clareza e a objetividade.

.

14. Falando em hiperlink

 

Garanta que o link está funcionando e que o internauta será direcionado ao local certo. Ninguém gosta de ser trolado. Mas antes, lembre-se de inserí-lo! <inserir link>

.

Se a call-to-action (no caso, o texto convidando o fã à clicar no link) transmitir a ideia de que o fã será levado para o artigo “Dig Na Copa”, jamais direcione o link para a home page, nem para outro artigo.

.

Ahh! E sabe aquela regra: “quem convida paga a conta” ela é muito importante na relação empresa – cliente nas redes sociais. Se você está convidando alguém para ver uma publicação no seu site, ao ser direcionado à página, não o obrigue a assinar nada, nem curtir e várias outras coisas, no máximo sugira que ele faça.

.

Mas, se você pretende mesmo “obrigá-lo”, deixe claro desde o início. Diga algo do tipo “conteúdo exclusivo para assinante”, “basta curtir para assistir ao vídeo”.

.

15. Olhe as estatísticas!

 

Publique quando seus fãs estão online, afinal, desta forma as publicações terão mais chances de serem visualizadas. Para dominar um pouco mais essa área, clique aqui e veja o post de Felipe Pereira.

E o mais importante caríssimo Social Media, esteja sempre preparado para comentários como estes:

.social media

.

social media

.

social media

.

social media

 

Deseja saber como transformar o Facebook em uma máquina de vendas? Clica aqui