Como já havíamos comentado no nosso artigo sobre e-commerce, o ramo tem se destacado bastante no nosso país. E no primeiro semestre de 2017, ele apresentou resultados impressionantes. Após uma breve recaída no ano passado, o e-commerce brasileiro retomou o seu crescimento e já registrou mais de 50 milhões de pedidos nos primeiros seis meses do ano.

Em número reais, tivemos um aumento de 3,9% comparando o mesmo período do ano passado. Isso significa que a área já faturou um total de R$ 21 bilhões, o que é igual a 7,5% de crescimento em relação ao final de 2016.

ecommerce brasileiro 21 bilhoes primeiro semestre 2017

Os segredos do crescimento

O relatório Webshopper, da Ebit, revela alguns dados que justificam o forte desenvolvimento do e-commerce em território nacional. A pesquisa mostra que entre junho de 2016 e junho de 2017 os preços nos comércios eletrônicos tiveram uma queda acumulativa. Dessa forma, 25,5 milhões de usuários realizaram pelo menos uma compra através dessas plataformas no primeiro semestre do mês. Isso representa uma alta de 10,3% em relação a esse mesmo período do ano passado.

Um ponto interessante revelado pela pesquisa é a tendência do usuário de comprar mais através de dispositivos móveis. Essa quantidade de uso para tais fins cresceu 35,9% e já é responsável por praticamente um quarto (24,6%) de todos os pedidos feitos em lojas virtuais no país.

Categorias mais procuradas

A Ebit revelou também na pesquisa quais as categorias mais procuradas pelos consumidores que compram pela internet. Entre as mais buscadas estão os telefones celulares, que representam 22,3% das compras. Logo em seguida, temos os eletrodomésticos, com 18,8%. E logo após, aparecem os eletrônicos, com 9,6%.

A expectativa para o segundo semestre de 2017 é ainda mais otimista. A Ebit espera que o comércio eletrônico ainda cresça até o fim do ano entre 12% e 15%, por causa de eventos sazonais como a Black Friday, o Dia das crianças, o Natal e as festas de virada de ano, que são apostas certas para a movimentação ainda maior de consumo.

E aí, amigo, você também tem feito bastante compras pela internet? Comente com a gente.