O empresário Eike Batista deve ter torcido para que Maio acabasse logo. Nesse mês, ele foi capa da revista da EXAME sob o título EIKE BATISTA: O sonho acabou? e outra notícia tomou conta das consultas com o seu nome no Google: a venda do jato LEGACY 600 por US$ 14 milhões depois de ver seu patrimônio encolher US$ 27 bilhões desde de 2012 e sair da lista das 100 pessoas mais ricas do mundo. A sensação que dá é que seus empreendimentos e ele estão quebrados.
Isso é no mínimo intrigante, quando lembro que o próprio Eike esteve no FANTÁSTICO em 2012 e afirmou na entrevista que seu objetivo era estar em 1º lugar entre os homens mais ricos do mundo da lista FORBES em 2015 ou 2016.

Afinal, como se pode interpretar esta situação mais do ponto de vista empreendedor e menos do sensacionalismo que uma pessoa controversa gera naturalmente? Acredito que tirando a nuvem dos extremos da notícia ficam duas grandes lições destes dois momentos diferentes: a primeira é a CORAGEM para sonhar e definir uma meta e a segunda é a medida do RISCO que cada empreendedor pode ou quer correr.
Como tratei no post: Ser empreendedor: SONHO ou OPÇÃO? tenho visto centenas de pessoas que sonham em ser empreendedores, mas nunca dão o primeiro passo, pois sem dúvidas ser empreendedor é mergulhar no desconhecido. Isso amedronta mesmo, principalmente, pois não temos uma cultura de formação da profissão de empreendedor com seus acertos e erros. Mas alguns superam isso, tomam a decisão de empreender e esquecem que o funcionamento de um empreendimento demanda uma META. Tenho testemunhado isso em várias capacitações que já realizei onde raríssimos empreendedores ou candidatos definem a SUA META que valha a pena. No caso do Eike Batista, fica muito claro que chegar numa rede nacional de televisão e se expor como vem se expondo deixando clara a sua META é no mínimo um ato de coragem.
Mas alguém pode estar pensando: Ele é louco! Perdeu US$ 27 bilhões e agora esta vendendo o seu jatinho, está quebrado! Para estes eu não posso concordar totalmente, afinal, poucas pessoas no mundo chegarão ao primeiro bilhão de dólares e ele terá que perder mais de US$ 9 bilhões para chegar nisso. Certamente ninguém gosta de perder esta fortuna que ele perdeu, mas ninguém sabe também o risco que ele estava disposto a correr para atingir a sua META. Para os que pensam assim, convido a definir sua meta, avaliar o risco que esta disposto a correr (R$ 100, R$ 1000, R$ 10.000, R$ 100.000 ou mais) e aprender a sua lição.
E ao Eike Batista, caso ele venha a ler este post, apenas o parabenizo por ser em sua essência: um empreendedor. O sucesso ou fracasso, a história vai nos contar…