Interessante perceber que a máxima no ambiente corporativo, já há alguns anos, está na busca, desenvolvimento e retenção de talentos, principalmente quando se trata da geração Y e seus conflitos com a geração X. São várias matérias diárias em blogs, revistas, TV, entre outros meios, afinal, pessoas são os maiores ativos num mundo onde o conhecimento tem um valor inestimável e milhões são investidos para tornar estas pessoas mais produtivas do momento que são recrutadas até que saiam.
 

 

rh digital

 

 

Mas porque falar disso numa coluna para startups? Para ajudar, vou aproveitar de minha vivência profissional, tanto no ambiente corporativo, quanto como empreendedor. Afinal, durante os últimos 20 anos dentro do ambiente corporativo tenho ouvido, recorrentemente, perguntas do tipo: como posso selecionar pessoas dentro de um mar de candidatos já que tenho que contratar sempre de forma urgente? Como posso medir a aplicação ou resultado da capacitação? Como oferecer qualidade de vida, se meu funcionário passa 4 horas diárias preso num congestionamento?

 

Em contrapartida, tenho visto várias inovações no marketing, operações, finanças, vendas e etc – e grande parte, senão todas, que estão fortemente apoiadas pelo uso da tecnologia. Neste sentido, acredito que o sensor de oportunidades empreendedoras parece que não foi ativado, afinal, empreendimentos servem também para resolver problemas, e um problema que tem 20 anos ou mais parece um grande problema, não?

 

Nos últimos meses tenho rodado em vários eventos de start ups, e dentre centenas de projetos que conheci apenas 3 que apresentam alguma solução para os problemas acima, como: Archimedes, Venda Fácil, Bizut,. Mas por que será? Afinal, empresas investem rios de dinheiros para executar as práticas de RH, mas poucas startups nascem para ajudá-las.
Algumas hipóteses podem ser levantadas: será que é porque o negócio B2B não tem tanto glamour? Será que os jovens empreendedores ainda não vivenciaram este problema? Será que as áreas de RH estão fechadas para a inovação? Será que não há nada que possa ser melhorado nas práticas atuais que viabilize um novo negócio?

 

Para ajudar a esclarecer estas e outras hipóteses, recruto empreendedores e gestores a participarem da comunidade RH DIGITAL, apresentando e conhecendo soluções inovadoras para melhorar as práticas de RH e desenvolver novas startups. Quem sabem assim também teremos um RH DIGITAL!