A E-bit, empresa especializada no segmento de eletrônicos, realizou uma pesquisa com 5.300 consumidores e fez um levantamento de dados para o período da Black Friday. Segundo a empresa, 44% dos participantes disseram que compraram algum produto na internet na mesma época do ano passado, sendo que 25% também adquiriram algo nas lojas físicas.

Outro dado interessante dos resultados do ano passado revela um comportamento digital bastante ativo do público, 56% das pessoas entrevistadas disseram ter consultado algum aplicativo ou site para comparar os preços oferecidos pelos e-commerces e lojas físicas. Entre os canais mais utilizados estão o Buscapé, Zoom, Bondfaro e Google, este último considerado quase que uma unanimidade.

ebit pesquisa black friday

Fatores determinantes na escolha da loja

A pesquisa do E-bit revelou que o consumidor tem algumas preferências na hora de decidir qual loja efetuar a compra, entre eles estão confiança, preço baixo, a segurança e o prazo de entrega. As promoções também foi um dos fatores citados, mas se tornam menos relevantes quando o serviço já satisfaz as necessidades do público. O levantamento também mostrou que 81% das pessoas disseram que pretendem aproveitar a próxima edição para realizar alguma compra.

Entretanto, muitos ainda têm receios em relação à Black Friday, principalmente na forma que o evento foi implementado no Brasil em 2013, ano em que ficou conhecida como “Black fraude”. Muitos consumidores acreditam que os descontos na maioria das vezes não são reais, e as lojas não são honestas com os preços apresentados. Para eles, o ideal é que a pessoa vá acompanhando a oscilação de preço do objeto de desejo até o dia exato do evento, para só depois disso analisar se vale a pena ou não comprar.

ebit pesquisa black friday 01

Expectativa por segmento

Assim como em anos anteriores, eletrodomésticos e eletrônicos estão no topo da lista de desejos das pessoas. E as lojas mais citadas entre os participantes da pesquisa foram Americanas, Submarino e Magazine Luiza, com um gasto médio de R$ 1.200,00 reais. A maioria das pessoas (80%) revelou que pretende pagar com cartão de crédito, sendo 62% através de parcelamento e 18% à vista.

Outro segmento que espera obter um bom lucro é o de moda e acessórios, além dos cosméticos e perfumaria. Mas, diferente dos produtos tecnológicos, o consumidor não está disposto a gastar tanto com roupas ou perfumes, por exemplo, pois o ticket médio não ultrapassa os R$ 500,00 reais, embora esse valor já supere o que é gasto normalmente em outras épocas.

E aí, amigo, sua empresa está pronta para o Black Friday?