Acabou a história de ir no acostamento ou na esquina e fazer sinal de “Pare pelo amor de Deus e me leva”. O sistema de coleguismo entre motorista e passageiro desconhecidos está ganhando aliados digitais que podem tornar essa experiência mais segura, rápida, barata e tranquila. O que era apenas um trajeto de um local para outro, pode virar até o início de amizade.

Felizmente, plataformas, aplicativos e grupos de mídias sobre caronas vêm crescendo ultimamente, em níveis que vão desde uma gentileza de levar ao trabalho ou à faculdade, até em dividir os custos de uma viagem de um estado à outro. Tais sites fazem com que o nível de segurança – de quem possui o carro e de quem vai compartilhar os gastos -seja elevado, oferecendo um conhecimento prévio de cada um, além das formas de pagamento.

 

2p

 

Somando economia e conforto

A startup BlaBlaCar, presente em 20 países, possui um sistema simples e prático de funcionamento. Disponível para Android e iOS, além da versão web, o usuário que deseja viajar com companhia e diminuir o valor do deslocamento coloca seu trajeto, valor, número de lugares vagos e horário de saída. O site fornece dados e avaliações do condutor, além do itinerário e uma área para perguntas. O condutor também pode acessar informações de quem for para a estrada com ele, podendo checar uma mini-biografia e as mídias sociais da pessoa, fazendo com que ambos se conheçam.

A popularidade dessas plataformas podem causar pequenas mudanças nos hábitos dos brasileiros, como sua decisão de compra e investimento em automóveis. Também pode promover a mudança no consumo dos serviços rodoviários, a diminuição de gastos com viagens, e até surtir efeitos ambientais, como a diminuição da poluição sonora e a poluição causada pelo monóxido de carbono, normalmente emitido pelos carros, além de maiores oportunidades para viajar. De acordo com o site oficial da startup, somente no último ano, o compartilhamento de carros fez com que não fossem consumidas 500 mil toneladas de combustível.

 

4p

 

 

O paulista Ari Meneghini já utilizou o aplicativo para viajar como carona, e aprova a modalidade. Mas existem algumas sugestões para melhorar o sistema. “Acho que a principal questão é a da segurança do condutor. Eu sugiro que o App reconheça um documento RG ou CNH. Também falta fazer comunidades em torno. Criar grupos de viagens, pessoas que constantemente se dirigem ao mesmo lugar, além de contar boas histórias das caronas”.

Já o usuário Ronaldo Anjos acha que a plataforma carece um pouco mais de divulgação. “Eu usei como condutor e é muito fácil de usar. Já têm alguns meses que estou usando e fechei apenas duas caronas com o app”, comenta. “Gostei bastante. É fácil e não percebi travamento nem bugs. Também gostei da experiência, mesmo apenas tendo usado uma vez. Só acho que faltam mais usuários”. destaca João Duarte, que utiliza a ferramenta.

O diretor da BlaBlaCar no Brasil, Ricardo Leite, explica que a criação da plataformas surgiu através de uma necessidade de viajar, mesmo sem ter um carro. “O CEO da empresa,  Frédéric Mazzella, queria viajar de Paris até o interior da França para visitar a sua família. Como ele não tinha carro e todos os trens estavam cheios, a sua irmã teve que fazer um longo desvio para buscá-­lo na capital francesa. Enquanto estavam na estrada, Mazzella percebeu que muitos carros viajavam com apenas uma ou duas pessoas a bordo, e imaginou uma solução para viagens mais ecológicas, econômicas e sociáveis. Em 2006, ele lançou o site com dois cofundadores”, conta.

 

Para não convidar estranhos

Indagado sobre o feedback em relação à segurança na hora de oferecer carona, Ricardo explica que o aplicativo se apoia em três pilares. “Primeiro, o cadastro e verificação das informações pessoais dos membros. Segundo, toda a atividade da plataforma é moderada para garantir, por exemplo, que as fotos dos membros sejam reais e que nenhum condutor obtenha lucro.

Finalmente, após a viagem, existe uma avaliação mútua entre condutores e passageiros. As avaliações são incorporadas aos perfis públicos, permitindo que outros membros conheçam previamente seus companheiros de viagem”, destaca. Ele ainda apresenta dados sobre a confiança na plataforma. “Fizemos uma pesquisa com membros da BlaBlaCar de 11 países para analisar os níveis de confiabilidade que eles tinham em diferentes pessoas (estranhos, contatos do Facebook, vizinhos, perfis da BlaBlaCar, colegas, amigos e família).

Eles atribuíram notas de 0 a 5 a estes contatos, sendo 0 o menos confiável e 5 o mais confiável. Descobrimos que a confiança que os nossos membros têm em outros membros com perfis verificados (4,3) é maior do que a confiança que eles têm em seus colegas (3,6), e só perde para família e amigos (nível 4,7).

 

ultp

 

 

E temos novidades para este ano? “Queremos continuar crescendo no Brasil, e estabelecer a BlaBlaCar como uma opção mais econômica e conveniente para as viagens de todo brasileiro.  Adicionalmente, há dezenas de pessoas trabalhando na BlaBlaCar para melhorar nossa plataforma em termos de usabilidade, velocidade e confiança. Com certeza, nossos aplicativos ganharão muitas funcionalidades adicionais em 2016.

Além do aplicativo, existe o grupo “BlaBla Car Brasil” no Facebook  gerenciado pelo Consultor de Mídias Digitais Cristiano dos Santos. É uma forma de reunir pessoas interessadas em viajar com mais conforto e menor preço.

“Criei o grupo para facilitar o contato entre os fãs e usuários do BlaBlaCar. Ali, queremos sempre compartilhar novidades, notícias, tirar dúvidas e mostrar as vantagens da carona compartilhada para o usuário que pede, para o motorista e também para o meio ambiente”, afirma Crisitano. Sobre a vantagem de estar em um grupo de caronas, ele conta que “o Facebook sobre o app é que podemos encontrar muitos usuários que ainda não utilizam o aplicativo e, através das postagens e das experiências compartilhadas ali no grupo, esses mesmos usuários poderão se sentir mais seguros na hora de começar a viajar com o BlaBlaCar”, reitera.

E você, o que acha disso tudo?

Digaí pra gente nos comentários!

Até breve!