Agora, Nevada, um os estados no EUA, está considerando uma legislação que possibilite que a polícia cheque o uso de celulares em cenas de acidente. Posteriormente aos estados de Nova York, Tenessee, Nova Jérsei e a cidade de Chicago, é a hora de Nevada aderir ao movimento.

Mas essa ideia tem alguns pontos não tão positivos assim, como a questão da privacidade, em que vários críticos são contra essa nova medida, pois acreditam que viola as leis de privacidade.

Já os que curtem a ideia, consideram as leis que estão em vigor no momento são praticamente impossíveis de colocar e prática.

menino-machucado-acidente-celular

Mas por que essa lei?

Mesmo a prática de escrever mensagens de texto no celular sendo considerada criminosa em 47 estados, e utilizar aparelhos eletrônicos de mão enquanto está dirigindo em mais de 12 estados, a atenção perdida do volante ainda é um problema rotineiro e que pode levar à morte ou sequelas gravíssimas, segundo as estatísticas divulgadas pelos órgãos responsáveis pela segurança no trânsito.

Apenas no ano de 2016, 3.450 pessoas morreram em acidentes como esse, de acordo com o Departamento de Transporte dos EUA – 14% dessas pessoas foram vítimas por conta do uso de telefones celulares ao dirigir.

acidente-celular

Entenda a proposta

Nevada propõem essa lei para que a polícia conecte um dispositivo ao celular e consiga checar as atividades novas, como o uso da navegação na internet. O equipamento tem por nome textalyzer e é elaborado pela israelense Cellebrite.

Porém, como já dito mais acima, alguns grupos que estão em defesa da privacidade, como a American Civil Liberties Union (Aclu), questionam e colocam que essa lei não deve ser aplicada sem a permissão dos envolvidos. Segundo a Aclu, ela é muito invasiva e está contra as proteções previstas na quarta emenda. Eles também estão atentos aos dados que a polícia vai poder ter acesso fácil.

A Cellebrite destaca que o textalyzer não vai ter acesso aos dados pessoais, só vai captar as ações realizadas no aparelho.

E aí, amigo, você é contra ou a favor dessa lei?