Então, a maioria das pessoas já sabem que o Marketing de Conteúdo é a estratégia do momento. Agora é hora de pensar no conteúdo para sua pré-campanha, para seu posicionamento na web. Sabemos que a maioria das pessoas/empresas fazem conteúdo de forma desordenada, sem um planejamento, cronograma, e objetivo bem definido. No marketing digital, muito se fala em Funil de Vendas, mas numa campanha política, a conversão não é a venda, pois não vendemos nada. Então o que seria?

 

 

Seria o engajamento, a curtida, o envolvimento, o cadastro?

 

Sim, seria o número de curtidas, de fãs, de seguidores, número de compartilhamentos, cadastros em listas de email, tudo isso seriam conversões. Mas precisamos definir qual o nosso objetivo, como chegaremos lá e quais são as etapas a percorrer. Qual seria o caminho que esse possível eleitor percorre até ser conquistado? Que conteúdo precisaremos produzir? Para isso, é necessário separar as etapas do conteúdo, entender para que servem e quais os objetivos. Isso precisa ser bem definido.

 

 

Então vamos entender qual seria o funil do Marketing de Conteúdo

 

Já está claro que precisamos gerar conteúdo relevante para o site, blog e mídias sociais, não é? Lembre-se: conteúdo RELEVANTE! Veja se realmente o que você está postando faz sentido e vai atrair as pessoas. O foco do conteúdo é divulgar, para atrair e provocar interação, relacionamento, engajamento com sua marca. Conteúdo tem que ser prensado de maneira estratégica, em cada etapa.

 

 

Topo do funil

 

No topo do funil o objetivo é atrair a atenção. É momento de descoberta, de interesse. É preciso iniciar uma conversa, ser interessante… Pense: é como se conhecer. O que te atrai num primeiro encontro? O que te dá vontade de conhecer mais sobre alguma coisa, sobre alguma pessoa? Qual assunto deve ser tratado por um possível candidato político? É o primeiro contato, temos que ser muito interessante.

 

Entenda, conteúdo não é publicidade. Não vá ficar falando só sobre você, o que faz, suas promoções pessoais. É preciso pesquisa e ter sensibilidade nesse momento. São postagens interessantes, assuntos relevantes de interesse público, notícias da cidade, causas sociais, vídeos especiais, entrevistas, etc… O importante é saber que o foco desse conteúdo é despertar o interesse e atrair o visitante para as próximas etapas.

 

 

Meio do funil

 

No meio do funil, a coisa já muda um pouco. Esse internauta já conhece você, já consumiu algum conteúdo, já leu algo ao seu respeito, já viu algo… Você não é mais um desconhecido. Agora é hora de um conteúdo um pouco mais avançado, e de você também solicitar alguma coisa em troca por esse conteúdo, como realizar um cadastro, por exemplo. Esse tipo de conteúdo já tem um tema mais específico e faz com que as pessoas com interesses semelhantes venham em busca e entreguem seus dados para ter o acesso a ele. Geralmente esses conteúdos do meio do funil são ebooks, webinários, vídeos online, newsletters, WhitePapers e outros conteúdos multimídia. Por exemplo: ebook sobre comunidades locais, temas relevantes a cidade, projetos de interesse público, programas específicos, etc.

 

Você tem um objetivo: conquistar esse internauta!

 

 

Base do funil

 

Na base do Funil é onde a mágica acontece no marketing digital! É A HORA DA VENDA! Esses são já praticamente “amigos”, conhecem e já consumiram conteúdos de você, querem fazer parte do seu time, querem doar para sua campanha, querem colaborar com sua equipe, querem trabalhar para você, são advogados e defensores da sua marca. Mas cuidado! Esse conteúdo é para ser direcionado corretamente para não assustar um visitante. Use nesse momento depoimentos de apoiadores, parceiros, amigos, eleitores… Webinários privados com colaboradores, LandingPage de conversão específica para segmentos, atividades e ebooks especiais…

 

 

Fechando de maneira simples, vamos pensar num exemplo prático e simples de marketing de conteúdo em campanhas:

 

João Paulo, veterinário envolvido com causas sociais, quer ser vereador de uma cidade do interior de São Paulo, ele não tem presença digital mas está preocupado com isso. Ele contrata a produção de um blog, e fala com Mário, seu amigo pessoal e jornalista, para lhe ajudar a escrever as primeiras matérias. Ele começa a dar dicas  semanais de como cuidar dos cachorros de rua da sua cidade. Além disso, ele começa a gravar vídeos das suas ações. Através do blog e de um canal no youtube ele coleta e-mails de interessados em cuidar de animais e através dos emails ele cria um relacionamento mais profundo.

 

Os e-mails e o blog produzem ebooks específicos para veterinários, cuidadores de animais, donos de animais, crianças que gostam de animais. Esses ebooks são bem desenvolvidos e ilustrados. Para obter o internauta deve preencher um cadastro, onde ele deixa dados como: nome, email, telefone, etc… Tudo vai depender da sua estratégia.

 

Com esse trabalho, João passa a ser conhecido na cidade e passa a ter a aprovação de muita gente. Ele passa a atrair novas pessoas para seu projeto com os animais, envolvendo toda a comunidade com um interesse em comum, conseguindo mais adeptos a sua causa,  mais voluntários para os seus projetos, mais colaboradores para a sua campanha. E isso é só começo!

 

Um tempo depois João vê seu trabalho crescer – e já tem uma pequena equipe produzindo conteúdo para ele. Cada vez mais pessoas se cadastram nas suas listas. Ele já tem uma lista de 15 mil emails de pessoas interessadas no seu trabalho e um grupo de 200 voluntários trabalhando nas suas causas. Isso tudo  fruto do seu maravilhoso trabalho e, claro, de uma boa estratégia de marketing de conteúdo.

 

Abordamos nessa matéria de maneira simples como o marketing de conteúdo pode ser a base da sua pré-campanha, e como você pode começar a pensar em usar essa poderosa estratégia.

 

E você, já começou a implementar sua estratégia de Marketing de Conteúdo?

 

Qualquer dúvida é só deixar uma pergunta, será um prazer responder! Até mais! 😉