Na era do marketing digital, métricas eficazes e outras ferramentas de análise de dados são não somente possíveis como estão disponíveis para qualquer um no mercado em tempo-real. A necessidade de analisar dados e  mensurá-los é fundamental para atingir o sucesso.

 

No cenário atual dos negócios, onde tudo muda constante e rapidamente, a necessidade de mensurar resultados digitais para que estes sejam o mais eficientes possível tem crescido em importância cada vez mais. Cada ferramenta de marketing digital disponível tem seus meios de mensurar o sucesso atingido através de variadas métricas as quais os donos de negócios podem obter.

 

 

metricas

 

Contudo, com a tonelada de dados disponível e acessados facilmente, a escolha do tipo de métrica correto para fins de monitoração pode ser um baita desafio para as empresas. Uma escolha de métrica errada pode acarretar em resultados sem nenhuma importância ou relevância para o seu negócio; do que as empresas estão atrás, a gente já sabe: aumentar suas receitas. Algumas empresas são vitimas da obessão pelas chamadas métricas “vaidosas” e por isso perdem tempo demais analisando o que não gera valor e, tampouco, retorno ao seu negócio.

 

Métricas “vaidosas”, como o número de curtidas no Facebook ou visualizações no YouTube, são métricas que simplesmente “nem vai, nem vem” – a menos, é claro, que esse volume possa ser monetarizado e traduzido em receita direta para o seu negócio. Métricas que não causam impacto real estarão apenas desperdiçando dinheiro e recursos. É fundamental que cada empresa saiba como identificar quais métricas podem influenciar o crescimento do seu negócio e gerar receita direta ou indiretamente. Então, se você não quer perder tempo nem dinheiro com métricas que não trazem nada além de “likes” na sua fanpage, presta atenção nessas 14 métricas que o Dig traz pra você agora categorizadas em 3 grupos: Geração de tráfego, Conversão e Geração de receita.

 

 

Métricas de tráfego

 

Essas métricas são principalmente mensuradas e monitoradas durante o estágio de geração de tráfego e são de suma importância tanto para técnicas de marketing digital de SEO (Search Engine Optimization, isto é, otimização de ferramentas de pesquisa), quanto para PPC (Pay-per-click, que é o pagamento por clique dado).

 

  • Tráfego geral do site

Mudanças significativas sobre como anda o fluxo de tráfego no seu site podem garantir um insight bastante útil sobre uma técnica de marketing digital específica estar funcionando ou não. Quando estiver mensurar o tráfego do site, não simplesmente foque ou se baseie na quantidade de visualizações ou em picos de acesso, mas também na quantidade de visitantes únicos que sua página recebe durante a semana ou durante o mês.

 

Cada visitante único corresponde a um diferente dispositivo (computador, tablet, celular ou iPod) usado para acessar a internet. As visitas registram o número de vezes que o vistante único acessou determinado site, blog ou portal. Se uma pessoa acessa a internet de vários dispositivos diferentes, será  contabilizado mais de um visitante único. E somente um visitante único será contabilizado quando o mesmo computador é utilizado por várias pessoas. Quanto mais visitantes únicos o seu site recebe, maiores são as chances de você adquirir potenciais clientes.

 

  • Fontes de tráfego

Saber de onde vêm os visitantes do seu site e quais palavras-chave os levou até lá revela quais palavras-chave ou quais frases-chave você deve focar e investir mais nas suas campanhas de marketing digital, afinal de contas, ferramentas de busca ainda são a fonte número 1 de geração de tráfego.

 

  • Tráfego de dispositivos mobile

O mundo mobile vem provando ser uma arena acirrada no cenário do marketing digital à medida que cada vez mais usuários de todo o planeta acessam a internet através de smartphones e outros dispositivos móveis com acesso à rede mundial de computadores. E esse fato merece uma atenção especial nas campanhas de marketing digital, uma vez que novas portas podem ser abertas e novas fronteiras podem ser exploradas a caminho da geração de maior e mais diversificadas fontes de receita.  Essa métrica ajuda a entender como seu negócio pode e deve estruturar e planejar o conteúdo online da sua empresa – resultando num melhor engajamento tanto dentres os usuários mobile,  quanto os demais usuários.

 

  • Taxa de cliques (CTR)

O CTR (sigla para Clickthrough Rates) é o número de cliques que seu anúncio recebe dividido pelo número de vezes que ele é exibido, ou seja,  cliques ÷ impressões = CTR. Essa taxa é expressa em porcentagem. Por exemplo, suponha que você tenha cinco cliques e mil impressões, sua CTR seria de 0,5%. Veja como ela é calculada:

CTRCTR

 

É importante lembrar que o CTR é apenas uma métrica, e não pode ser analisado isoladamente, pois na verdade, não consegue explicar o resultado de uma campanha. Um clique em um anúncio significa apenas uma intenção de conhecimento, mas não necessariamente uma conversão.

 

Ainda assim, essa é uma das métricas mais usadas no marketing digital, pois avalia a eficiência de uma determinada peça publicitária na Internet, uma vez que ela revela se o seu anúncio está ou não, digamos, sendo atraente o bastante para fazer o usuário clicar nele.

 

  • Custo por clique (CPC)

O CPC (em inglês, Cost Per Click) define quanto você irá pagar a uma plataforma de busca cada vez que um usuário clicar no seu anúncio do tipo PPC (que é a sigla para, Pay Per Click, ou seja, anúncios que geram cobrança somente quando são clicados pelos usuários).

 

Esse custo varia de acordo com a) quão popular é a palavra-chave que você escolheu para vincular seu anúncio (você pode escolher mais de uma palavra-chave); b) o Quality Score do seu anúncio (taxa de cliques esperada, relevância do anúncio e a experiência na página de destino) que, à propósito, é diretamente proporcional à sua CTR, e c) os preços inicialmente praticados pelas plataformas de busca.

 

Na prática, se o objetivo final de sua campanha é levar mais usuários ao site (para comprar online, preencher cadastros, ou acumular leads para vendas offline), o CPC é a forma de lance mais indicada. Resumindo: já que o resultado da sua campanha só aparece com o tráfego gerado por cada clique, nada mais justo e coerente do que saber quanto se paga por cada um deles.

 

 

Métricas de conversão

 

  • Taxa de Conversão (CVR)

Saber quantos dos visitantes totais do seu site são efetivamente convertidos em leads ou em vendas concretas é uma métrica muito valiosa capaz de transformar sua campanha de marketing digital num sucesso. O lead é um usuário que adquiriu algo gratuito em troca de suas informações, como acontece quando um usuário preenche um rápido formulário deixando suas informações para baixarem um ebook, por exemplo.

 

Seja sua meta colher informações valiosas sobre os visitantes do seu site e potenciais consumidores do seu produto ou serviço, ou converter essas visitas em vendas concretas, monitorar sua Taxa de Conversão (em inglês, Conversion Rate) pode dizer a você como atrair um usuário para uma página e nela convencê-lo de que ele precisa entrar em contato com você.

 

  • Custo por Lead (CPL)

 

Falamos ali em cima sobre a importância de gerar leads para sua campanha de marketing digital. Isso depende em muito da qualidade do conteúdo da sua página. O Custo por lead (ou Cost Per Lead) é a métrica que define a taxa de conversão de lead de uma campanha específica e seu respectivo custo, gerando insights importantes para a empresa sobre sua campanha de marketing digital ser ou não rentável.

 

Esse é um método de métrica muito utilizado pelos programas de afiliados onde é preciso ocorrer um conversão proposta para que aconteça o pagamento. Um exemplo disso pode ser quando uma pessoa faz um cadastro no site anunciante, ou assina sua newsletter, enfim, quando um visitante passa a se tornar um potencial cliente para a empresa que anunciou.

 

  • Taxa de Rejeição

A taxa de rejeição, ou Bounce Rate, é um número expresso em porcentagem e indica quantos visitantes acessaram uma única página do site de sua empresa e em seguida saíram, sem continuar a navegação em uma próxima página. Cada vez que isso acontece, é contabilizada uma rejeição.

 

Essa definição não é absoluta e pode variar de ferramenta para ferramenta. No entanto, é a forma utilizada pelo sistema mais utilizado em Web Analytics no mundo, o Google Analytics. Ao realizar o acompanhamento da taxa de rejeição, sua empresa consegue obter informações importantes sobre a eficácia dos calls to action e da mensagem, por exemplo, e então pensar em otimizações e planos de melhoria para reduzir a rejeição e possivelmente aumentar a conversão.

 

  • Taxa de visualização por visitante

Gerar uma bom fluxo de tráfego para o seu site é uma dos mais importantes e primordiais resultados que sua campanha de marketing digital deve buscar. Além disso, a sua página deve ser capaz de seduzir os usuários e convencê-los a navegar o máximo de tempo possível consumindo seu conteúdo. Cada visitante pode gerar apenas uma visualização e sair (como explicado na Taxa de Rejeição), ou permanecer no site e visualizar outras páginas e obviamente esse é o objetivo de qualquer site. Quanto mais visualizações geradas, mais chances de engajamento e maior também a chance de conversão em leads.

 

Uma alta taxa de visualização média por visitante (ou Average Page Views, em inglês) denota a relevância do conteúdo do seu site e a facilidade com que o usuário navega por ele. Blogs ou sites que tem o ‘Page Views’ baixo significa que o leitor não consegue encontrar algo de interesse nos primeiros segundos que acessa o link.

 

  • Custo por visualização

Essa é uma métrica parecida com a CPC, sendo que nesse caso, o CPV define o preço que você pagará por seus anúncios em vídeos. Enquanto os anúncios gráficos são cobrados por impressões ou cliques, com o Cost Per View, você paga somente quando alguém assiste a seu vídeo. E já percebeu que a cada dia cresce mais a utilização de videos para a promoção de produtos e serviços na internet? Pois é, os formatos de anúncios são vários, e a depender da qualidade do anúncio e de uma segmentação bem feita, sua empresa pode sair na frente na corrida contra seus concorrentes.

 

  • Tempo de permanência em site

Também é possível mensurar o quanto você está se engajando com os visitantes do seu site através da métrica de taxa de permanência, ou seja, quanto tempo cada visitante gasta navegando no seu site. Quer aumentar o seu Average Time on Site?

 

  • Verifique a saúde do seu site: verifique se o usuário não está se deparando com o famoso “Erro 404 Página Não Encontrada”
  • Trabalhe melhor seu conteúdo
  • Utilize-se dos botões de compartilhamento social
  • Pergunte a opinião dos usuários através de enquetes ou mensagens ao término de um post, artigo ou notícia
  • Adicione “Artigos Recomendados” ou “Quem leu este artigo também se interesso por:”

 

 

  • Índice de retorno de visitantes

 

A popularidade de um site não é definida apenas pela quantidade de tráfego que é gerado, mas também pela quantidade de visitantes que retornam, ou seja, o índice de retorno de visitantes que decidem conferir novamente ou explorar mais o conteúdo disponível no seu site. Quando se mensura esse índice (em inglês, Rate of Return Visitors), é possível avaliar a relevância do conteúdo publicado para quem visita sua página pela primeira vez que pode tanto não voltar mais ou se sentir motivado a continuar acessando sempre.

 

 

Métricas de receita financeira

 

  • Retorno sobre Investimento (ROI)

Interpretar, analisar e dominar os dados de mídia para conseguir adequar seus investimentos às necessidades de seu negócio e criar um balanço positivo entre faturamento e investimento é um aspecto crucial na métrica de ROI (que em inglês significa Return on Investiment). Essa métrica é importante pois ajuda a empresa a entender como desenvolver uma campanha de marketing digital mais evoluída e a investir exatamente aonde o retorno é garantido.

 

  • Custo de Aquisição de Clientes

 

O CAC (ou Costumer Acquisition Cost em inglês) é uma métrica significativa em uma empresa e por isto requer acompanhamento constante. Com estes dados, a definição do orçamento e das ações de marketing se tornam mais estratégicas. O primeiro passo é ter o controle de quantos novos clientes entraram em sua base no mês. Você deve considerar todas as atividades que tenham trazido novas pessoas para a sua base de potenciais clientes, desde que documentadas. Para ajudar em outras análises posteriormente, é bom distinguir a quantidade de acessos através de cada um dos canais que levam este cliente até você. Para chegar ao Custo de Aquisição de Cliente você deverá somar todos os custos levantados e dividir pela quantidade de novos clientes conquistados no período determinado.

 

Pra finalizar, é preciso que fique claro que, da mesma forma que na canção, “uma andorinha só não faz verão”. No marketing digital, focar em apenas uma métrica também não é que fará sua campanha ser bem sucedida. Esse é um trabalho de soma de esforços. Cada métrica tem seu foco numa área específica e num estágio específico da campanha. A questão aqui é utilizar os dados obtidos através dessa métricas ricos em insights que, se bem interpretados, mostrarão qual ação de marketing tem gerado mais ou menos resultado ou até mesmo nenhum resultado para sua campanha de marketing digital.

 

E você,  o que achou desse post? Qual a sua opinião sobre métricas em campanhas de marketing digital?
Comente aqui, nós queremos saber.