Leonardo DiCaprio foi o primeiro famoso a investir. A tenista Serena Williams e o ator Tobey Maguire também colocaram grana no negócio. Essas celebridades e alguns investidores participam e esperam ganhar dinheiro com o Mobli, a ferramenta de compartilhamento de imagem que está tentando ser o novo Instagram. Mas, você já ouviu falar?

 

Por aqui o Mobli ainda não decolou, mas parece ser só uma questão de tempo. No final de maio, o fundador da ferramenta, o israelense Moshe Hogeg, de 32 anos, esteve no Brasil para promovê-la e vários famosos brasileiros aderiram ao “novo Instagram”. O comediante Rafinha Bastos já tuitou dizendo que fez um perfil. O cantor Fiuk também fez. Luan Santana, idem.

 

Moshe Hogeg posta no Mobli sobre sua visita ao Brasil (Fonte: Moshe Hogeg / Mobli)

Moshe Hogeg posta no Mobli sobre sua visita ao Brasil (Fonte: Moshe Hogeg / Mobli)

 

E não foi por acaso que Hogeg decidiu vir para a terrinha. Embora os números do Mobli ainda sejam tímidos perto de outras redes sociais no país, os brasileiros já são os que mais baixaram a ferramenta. E o Mobli está bem em sintonia conosco. O perfil deles no Twitter posta em português e inglês e o site tem a sessão de perguntas frequentes também na nossa língua, além do Russo, outra nacionalidade que tem aderido bem ao Mobli.

 

 

Moshe Hageg mostra que o Brasil é um dos países número 1 no uso do Mobli (Fonte: Moshe Hageg / Mobli)

Moshe Hageg mostra que o Brasil é um dos países número 1 no uso do Mobli (Fonte: Moshe Hageg / Mobli)

 

Mas e aí, qual é a graça do Mobli? Eu gostei que o usuário pode seguir hashtags ou canais, ou seja, dá para acompanhar postagens sobre uma tema específico. Eu comecei a seguir a tag #breakfast porque é a minha refeição favorita 🙂 e achei legal ver o que as pessoas comem ao redor do mundo (onde já se viu comer marzipã no café da manhã, Alemanha!). Também achei interessante que além de fotos, o Mobli permite upload de vídeos.

 

O lado ruim: ninguém está usando ainda.

 

Ok, exagero. Lá encontrei o amigo Victor Moury (cantor, publicitário e tuiteiro de sucesso). Ele me disse que começou a usar o Mobli para marcar presença em mais uma rede que começa a crescer, mas que ainda não está muito animado. “Acho que tudo que vem depois do original tenta imitar. É um aplicativo legal, parecidíssimo com o Instagram, mas um pouco lento, apesar de já terem liberado uma atualização pra ajeitar esse bug. Tenho porque quis reservar o /victormoury por lá pra ninguém usar. Mas atualizo de vez em quando”, contou.

 

Vamos continuar por lá para ver se a brincadeira fica mais interessante!