A brasileira Carla Dauden resolveu postar um vídeo criticando a Copa do Mundo que ocorrerá no Brasil em 2014. O vídeo intitulado “No, I’m not going to the world cup” (“Não, eu não vou para a copa do mundo”, em português) já tem mais de 3 milhões visualizações no Youtube. O vídeo foi lançado antes das série de protestos que estão acontecendo no país, viralizou na web rapidamente e ganhou repercussão no munto inteiro.

 

Carla Dauden

 

Carla é diretora, diretora de fotografia e mora nos EUA há 5 anos. A ideia do vídeo surgiu ao falar para pessoas que  é brasileira e elas comentavam que iam para a Copa do Mundo no Brasil. No vídeo ela fala dos muitos problemas (analfabetismo, fome, sistema público de saúde precário, etc.) que o país está passando, que a Copa não vai resolvê-los e como o Brasil é visto de forma estereotipada no exterior. Dentre os problemas citados é o preço exorbitante da construção dos estádios aqui no Brasil (US$30 bilhões) que supera as três últimas copas do mundo juntas (US$25 bilhões). O vídeo encerra com uma crítica a presidente Dilma Rousseff ao apresentar um discurso que ela fala sobre as vantagens da copa na vida do brasileiro. Só lembrando que o vídeo foi postado antes mesmo de começarem as manifestações no Brasil.

 

Carla escreveu no dia 20/06, uma nota a respeito da repercussão do vídeo no seu canal no Youtube:

 

“Oi gente!
Estou acompanhando com um misto de surpresa e temor o que vem acontecendo por conta do vídeo que postei no YouTube. Além de ser muito grata a todos aqueles que compartilharam e que têm contribuído com o debate construtivo, gostaria de pontuar algumas coisas importantes. Leiam isso como uma tentativa de me posicionar diante de críticas e, sobretudo, diante do uso do meu vídeo por parte de grupos que, definitivamente, não me representam.

– Repudio, veementemente, qualquer discurso que coloque em risco o Estado Democrático de Direito;
– Não sou favorável ao impeachment de ninguém. Não se utilize de meu vídeo defender essa ideia;
– Não faço parte nem simpatizo com nenhum partido político ou movimento social, apesar de não ser apolítica e de ter bastante clareza sobre minhas convicções ideológicas;
– Minha iniciativa não tem ligação alguma com os protestos contra o aumento da tarifa, embora eu seja totalmente solidária à causa, como a todas as outras que, de alguma maneira, e através dos movimentos sociais, tentam reverter as históricas injustiças sociais e a desigualdade em nosso País;
– A publicação do vídeo apenas coincidiu com os protestos. Confiram a data da postagem;
– Como explico no início da peça, uso o inglês apenas porque meu objetivo primeiro era falar com amigos e colegas americanos e do mundo, com a intenção de mostrar a realidade do nosso país e trazer atenção internacional ao tema. Consequentemente, essa atenção gera uma pressão maior para que mudanças ocorram.
– Por último, e principalmente, não tenho as respostas para o que está acontecendo, não sou política ou ativista, apenas quis manifestar meus pensamentos. Acreditem, felizmente, nem tudo nesse mundo vem a partir de interesses financeiros ou políticos. Muito mais preparados para responder a essas perguntas estão as diversas organizações e movimentos sociais legítimos que estão lutando há bastante tempo, e diariamente, para que a Copa e as Olimpíadas não passem por cima dos direitos dos brasileiros.

Agradeço enormemente se puderem ajudar a espalhar essa mensagem e peço que não usem vídeo para causas que não condizem com as ideias acima”.

 

 

Recomendo que vocês percam um pouco mais de 6 minutos do seu tempo para verem uma crítica bem feita sobre as desvantagens da Copa do Mundo no Brasil.