Considerado o futuro do comércio online, graças a sua condição de promover empresas e seus produtos através das mídias sociais, é possível prevê a intensificação das vendas, o que garante o aumento da arrecadação de lucro e um contato aproximado com o seu cliente.

 

 

O Social Commerce integra duas coisas que as lojas físicas se esforçam para aprimorar: qualidade no atendimento e o envio rápido de respostas às demandas do consumidor, que constantemente postam feedback do aproveitamento do seu consumo nas redes sociais.

 

O Omnichannel faz essa ligação entre as compras pela internet e pelas lojas físicas. Esse conceito de venda confirma a intenção das pessoas por conhecer o produto pela internet e comprar em lojas físicas, ou vice-versa, de acordo com a sua necessidade.

 

O consumidor tem o controle do que lhe é oportuno comprar e espera uma experiência nova ao adquirir um item. E será esse contato personalizado que o fará optar comprar mais pelas mídias sociais.

Como fazer sucesso no comércio online

 

Para começar a “bombar” na internet, o gestor precisa identificar seu público–alvo dentro da redeSocial Commerce social, aquelas pessoas que já conhecem e consomem aquela marca e que fazem um marketing positivo do produto. A partir disso, é preciso atraí-los para serem seguidores do perfil ou visitarem a página da instituição, porque tais usuários serão disseminadores de informação e espalharão as novidades da empresas para seus contatos.

 

E, para estimulá-los, é preciso produzir conteúdo que se identifique com aquele público e, consequentemente, fazer parte da vida dessas pessoas, criando a vontade diária de ler as novidades da marca, através das redes sociais. Consequentemente, isso incentiva o cliente a comprar. E comprar. Sem olhar para a concorrência.

 

Para ajudar a se destacar e tornar referência no atendimento ao cliente, selecionamos cinco novidades do Social Commerce que estreitará o relacionamento comercial virtual. Confira:

 

AUGMENT

 

Aplicativo disponível para iOS e Android que permite digitalizar objetos, criando modelos 3D e inseri-los em fotos para o cliente ver como ficará, por exemplo, um sofá na sala ou um carro na garagem. Empresas podem inserir seus produtos, possibilitando uma realidade aumentada e compartilhar o resultado em redes sociais como Facebook ou Twitter.

 

CHIRPIFY

 

Plataforma de compra anexada ao Instagram, You Tube, Facebook e Twitter que permite adquirir produtos de marcas parceiras do projeto com apenas uma publicação ou um comentário com a palavra ‘‘buy‘‘. O usuário pode comprar e até enviar pagamentos.

 

VITRINA

 

Ganhando repercussão em jornais e revistas como Folha do Estado e Exame, é uma startup que vende qualquer peça de roupa, seja nova ou usada, a partir da publicação dos usuários que vendem seus itens de moda no site. As publicações também podem ser exibidas na rede social Pinterest.

 

SCUP

 

Plataforma de monitoramento de dados com o intuito de avaliar a popularidade das empresas nas mídias sociais, permitindo ter um feedback dos usuários sobre a postura e o comportamento dessas companhias. É uma ótima ferramenta para evitar o marketing negativo e responder reclamações e as demandas dos clientes.

 

FACILEME

 

Aplicativo inserido no Facebook que cria lojas para o empresário divulgar o que quiser, desde um produto ou vários. Pagando taxas de até R$ 50,00 mensais, a plataforma cria sorteios, banners, versão mobile da loja e inserção em e-commerce como o Buscapé.

 

Dica: Para clientes que querem saber quais lojas oferecem os melhores preços no Social Commerce, consulte o Gurulike, startup que faz pesquisas das melhores ofertas no comércio online. Atualmente, ela possui mais de 50.000 lojas cadastradas nas plataformas F- Commerce e T- Commerce.

 

Embora a existência de ferramentas voltadas para o Social Commerce seja abundante, o foco, o objetivo em questão é a venda, o lucro da empresa. Por isso, verifique qual ferramenta é a mais assertiva para o segmento do seu negócio e invista com sabedoria nas redes sociais. Um “curtir” pode fazer a diferença no balanço do mês.