Como falei no artigo anterior (aqui), hoje é dia de escrever sobre o novo modelo de blog. Antes de falar sobre as novas aventuras do “diário da web”, falemos das ideias. A internet em si já é um grande passo de criatividade e, claro, de intelecto. Seguindo adiante, temos o www, os e-mails, as redes sociais, os blogs e os próprios gadgets. Palmas para os queridos criadores de tudo isso que nos deram uma gama de novidades e abriram o leque para outros criativos.

 

A pessoa que cria um blog é, antes de tudo, um ser inovador – e o novo mercado de trabalho ama quem dá um passo a frente. Mais de uma vez fui lembrada profissionalmente por ter (na verdade ter tido) a página cedida gratuitamente pelo WordPress (thank you) e fui escolhida em seleções por causa disso. Na época, por volta de 2008/2009, o blog pedia boas fotos, bom texto e muita opinião sobre inúmeros produtos (desde o novo smartphone ao novo shampoo). Mas em 2013 a coisa mudou um pouco.

 

As profissões não caretas também exigem disciplina, por isso um bom blog tem um mídia kit, editor de vídeo (o próprio blogueiro ou terceirizado), fotos excelentes, um visual impactante. Isso vale para os blogs independentes, ou seja, os que não estão no índice de jornais; o do cronista Xico Sá, da Folha de S. Paulo, por exemplo é interligado ao jornal, por isso as regras mudam um pouco, ele veio do impresso para a web – e não surgiu por causa da internet.

 

Esta reportagem fala um pouco sobre a profissão de blogueiro:

 

 

 

Mas, queridos leitores, o que ainda vale ouro é conquistar o público pelo conteúdo. Escrever o que as pessoas querem ler é um desafio, você deve ser basicamente um Google humano. Sorte ou talento? Não, é coisa de visão. Neste caso não poderia não citar a blogueira recifense Camila Coutinho, do blog Garotas Estúpidas,  com a bagatela de 3,5 milhões de acessos por mês, segundo pesquisa do Signature 9 só no setor de moda e beleza. A página tem 5 anos e claro, ela percebeu tudo que as meninas/mulheres queriam ler e não encontravam nas revistas.

 

voguege

 

 

Outro exemplo é o Papo de Homem, hoje portal, mas já eleito como um dos blogs que você não pode perder pela revista Época, em 2008. Este está na lista da evolução, além daquela visão de conteúdo, houve o bom tato para finanças, artigos diferenciados e seguiu o caminho das pedras com inúmeras parcerias. Dentre os mais recentes e revolucionários, podemos citar o de uma little blogueira, a estudante de 13 anos Isabel Faber criou o “Diário sem classe” para contar sobre as más condições da escola em Florianópolis. Resultado? Sucesso.

 

 

 

O blog parou por motivos vistos na reportagem (problema solucionado em parte e legalidade já que ela é menor de idade), mas a página no Facebook está com todo vapor. São mais de 600 mil curtidas!

 

Já ficou bem claro que o bom mesmo do blog, aliás da internet, é a criatividade. Como o diário virtual é voltado para o conteúdo, ele valoriza quem consegue perceber o que está ao seu redor, gritando por opinião. Tome a iniciativa e fale sobre isso! Mas não adianta dar bobeira e achar que tudo é fácil, para um blog alcançar sucesso é preciso dedicação, emprenho, leituras e tempo. Criar sem estimular o intelecto não vale. Então, se você está com a cabeça fervilhando, aproveita e escolhe o caminho das novas aventuras.

 

Se você ainda não tem um blog e quer aprender como fazer um, clique aqui.

 

Se você já tem um blog e deseja aprender como ganhar dinheiro com ele, conheça esse curso.