O mercado global de startups está crescendo cada vez mais todos os anos, e essa modalidade de negócio também está ganhando espaço no Brasil. Para incentivar ainda mais a criação dessas empresas, o governo está apoiando um programa para ajudar empreendedores que possuem algum projeto nesse modelo de negócio.

Serão organizadas quatro visitas em países europeus, e a primeira viagem vai acontecer já no mês de dezembro. A primeira sede a receber as startups brasileiras será Paris, na França. As outras cidades receberão os brasileiros apenas em 2018, sendo Berlim em maio, Miami em julho, e Lisboa em novembro.

startups brasileiras chance negociar exterior

Projeto de inserção de mercado

O projeto é organizado pela StartOut Brasil, um programa que auxilia a inserção de startups brasileiras em importantes locais de inovação do mundo. Ela ainda conta com o apoio de diversas organizações de renome nacional, como Anprotec, ApexBrasil e o Sebrae, além do ministérios das Relações Exteriores e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

As inscrições para o primeiro ciclo, em Paris, já acabaram. Mas os interessados para a primeira viagem de 2018, em Berlim, deverão se organizar para se inscrever já no início do ano, provavelmente em janeiro ou fevereiro. Para cada expedição será dada a oportunidade para 15 startups com potencial de investimento internacional.

startups brasileiras chance negociar exterior 01

Participação em processo licitatório

A escolha das empresas será feita através de um processo licitatório, e as 15 selecionadas passarão por etapas preparatórias, como consultoria especializada para os negócios. Já nos países a serem visitados, as startups farão visitas a empresas locais, incubadoras e terão reuniões com possíveis investidores.

Marcos Vinicius de Souza, secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, revelou que os critérios para escolha são o grau de inovação, capacidade de integração dos projetos com o meio ambiente e maturidade das empresas. Segundo ele, todo o apoio para as startups terá continuidade após o retorno ao Brasil.

E aí, amigo, o que achou dessa oportunidade para as startups brasileiras?