Imagine-se em plena segunda-feira às 8:00 da manhã em um terminal de transporte público de qualquer grande cidade do planeta…centenas de pessoas andando depressa e o barulho do início de uma semana de trabalho vêm rapidamente à mente e não é por acaso: grandes metrópoles no mundo inteiro vivenciam um cenário semelhante todos os dias.

 

Buzinas, sons de trens se movendo dos trilhos, pessoas conversando, ambulantes e moradores de rua pedindo por algum trocado são apenas alguns exemplos da grande poluição sonora presente no cotidiano de milhares de pessoas e foi pensando nesta realidade que um projeto curioso foi idealizado pelo músico, produtor e DJ norte-americano James Murphy – famoso por seu trabalho no LCD Soundsystem – e está sendo a poiado pela Heineken: o Subway Symphony, uma iniciativa que mostra como o planejamento estratégico pode ser aplicado em várias esferas da nossa vida e é essencial para a busca de soluções inovadoras a problemas de todas as dimensões.

 

 

A Ideia

 

Como qualquer usuário de metrô, James Murphy sempre esteve familiarizado com as catracas que controlam a entrada e saída de pessoas e, especialmente, conhece o seu característico incômodo “bip bip” (som emitido pela máquina após a passagem de um passageiro). O músico então teve a ideia de transformar estes sons chatos e irritantes em pequenas peças de música: “Ao invés de ser um pesadelo, a “hora do rush” pode tornar-se a mais bela hora para se estar em uma estação de metrô. A catraca tem que fazer algum som, que seja então algo bonito”. Com a simples programação dos chips presentes nas catracas, é possível atribuir diferentes notas musicais a cada giro das barras e compor diferentes melodias para cada terminal.

 

 

 

 

 

 

Após anos tentando desenvolver o projeto, Murphy foi abordado pela Heineken, que decidiu apoiar a iniciativa. Com a ajuda da cervejaria holandesa, o músico espera mudar a forma como nós enfrentamos os momentos de pico e a estação de metrô da cidade de Nova York seria o primeiro projeto colocado em prática. Seria!

 

 

O Problema

 

Apesar da bela iniciativa de tornar a vida dos novaiorquinos mais agradável, o Subway Symphony enfrenta um grande problema. Ainda que a proposta de implantação do sistema considerar a já programada troca das atuais catracas e alegar que não seria necessária uma grande modificação nos novos chips, a administração do metrô (MTA) não demonstra interesse em colocar a ideia em prática.

 

Com a negativa do MTA, iniciou-se uma campanha online para buscar adeptos ao projeto e espera-se, com um livro de assinaturas virtual, convencer as autoridades de que é interessante investir em algo que tornará a rotina dos passageiros mais agradável e suas vidas mais felizes. Com a criação sites explicativos do projeto e uma série no youtube que mostra toda a história por trás do Subway Symphony  é possível ver que os idealizadores estão buscando escutar especialistas em psicologia e poluição sonora para entender como seria a melhor forma de aplicar a ideia e quais os problemas que devem ser considerados para conseguir tirá-la do papel. Também é possível conhecer mais sobre os envolvidos e acompanhar a evolução da saga de Murphy, bem como apoiá-lo assinando a petição.

 

 

 

 

http://subwaysymphony.heineken.com/agegate/

http://www.subwaysymphony.org/

 

 

Como é possível verificar, o Subway Symphony começa a ter uma projeção significativa e o apoio de figuras importantes como o Ex-Governador de Nova York David Paterson.

 

Quando pensamos em planejamento estratégico, tendemos a pensar em ambientes corporativos, mas planejar o nosso bem-estar diário também deve ser um exercício de todos. Iniciativas como essa sendo apoiadas por grandes empresas, personalidades importantes e o grande público podem fazer a diferença na vida de muitas pessoas e as mídias digitais podem – como fica evidente nesse case – ser importantes ferramentas para a divulgação e implementação de grandes soluções.