O crescente aumento no número de vendas nos últimos meses do ano põe em risco a segurança do consumidor na internet. Nesse período é muito comum ocorrer operações suspeitas, e a vítima pode sofrer prejuízo financeiro, além de ter dados pessoais roubados. E essa ameaça prejudica bastante as operações comerciais online.

Visando analisar esse risco, o Pagar.me, empresa com foco em tecnologia de pagamento, fez um estudo do comércio eletrônico. Segundo a análise, as fraudes podem atrapalhar as vendas da Black Friday de maneira considerável, reduzindo em até 14% as vendas no período. Considerando que a última edição do evento movimentou mais de 1,9 bilhão de reais, é perceptível a importância que a data tem para os lojistas.

fraudes atrapalhar vendas black friday

Análise de especialistas

Segundo Alessandra Giner, CEO do Pagar.me, o valor arrecadado na Black Friday poderia ser muito maior se não fossem os erros recorrentes. A especialista afirma que o valor de 14% de negativas dos bancos para efetuar os pagamentos onlines representa algo em torno de 360 milhões de reais.

Desse valor, a maior parte é devido a operações do banco para evitar fraudes, e apenas uma pequena parcela é por falta de dinheiro na conta do consumidor. O bloqueio pode ocorrer por muitas pessoas não estarem acostumadas a comprar através da internet, ou também por usuários tentarem efetuar uma compra com dados de outra pessoa.

fraudes atrapalhar vendas black friday 01

Cuidado na hora de comprar online

Muitos usuários devem ter cuidado na hora de preencher os dados nos sites. Os especialistas dão dicas do que deve ser feito antes de efetuar uma compra, como verificar a segurança e reputação da loja, para que o risco de roubo de dados seja menor. O erro no cadastro ou processo de pagamento também pode acarretar em bloqueio de cartão, o que pode ser uma dor de cabeça para o usuário.

Outras ações que podem ajudar a evitar problemas é atualizar o antivírus do computador ou celular, não abrir links desconhecidos, e não fornecer dados de cartão de crédito em sites que não tenham conexão segura (indicada por HTTPS:// ou por um cadeado). Seguindo esses passos, o risco de ser prejudicado diminui bastante.

E aí, amigo, sua empresa está preparada para o volume de vendas da Black Friday?