Bastaram cinco minutos de pesquisa para confirmar a minha opinião:

 

Correio 24h – Aqui

1

 

Diário de Pernambuco: aqui

2
Hoje Centro Sul aqui :


3

Satisfação e observação

A importância da estética na vida dos brasileiros não está mais ligado a questões de vaidade. Vai além de estar bem diante do espelho, e sim com o bem estar, a saúde dos cidadãos. Tudo bem que atualmente estamos numa era em que a necessidade de exposição nas mídias sociais vem crescendo de várias formas, mas o caminho da estética ampliou para questões corporais externas e internas.

 

E o profissional de mídias sociais deve estar atento às mudanças de consumo e hábitos que os brasileiros possuem. É preciso a observação antes de pensar em construir personas e planejamentos para seus clientes. Voltar a gastar a sola do sapato e conversar com as pessoas, saber seus gastos com produtos, as rotinas e que serviços optam por adquirir no momento. Só assim você vai garantir um bom desenvolvimento do público que seu cliente quer atingir.

 

E, por falar em cliente, quando pegar trabalhos de comunicação para centro de estética, estúdio de pilates, profissionais autônomos, etc, seja como freela ou fixo com agências, antes de abrir o Illustrator ou Google Docs, senta e conversa com o profissional e tenha uma percepção da rotina do estabelecimento:

 

  • Qual o tipo de público que é frequentado pelo centro?
  • Eles são vaidosos (do tipo que fazem selfie, comentam que procedimentos está fazendo para os amigos, tiram fotos na hora da sessão, etc)?
  • Ou são mais tímidos, guardam para si o que estão fazendo, não comentam com ninguém, etc;
  • São mais idosos ou mais jovens que frequentam o local?

 

E, assim, montar a persona do local e seguir com a produção de conteúdo baseado na rotina e no comportamentos dos clientes.

 

Conteúdo

 

Situação 1

 

Para estúdios com mais pacientes que expõem o tratamento, que comentam, produzem conteúdo à sua forma e divulgam o local, o desenvolvimento pode ser mais humanizado, focando no passo a passo dos serviços oferecidos (pilates, massagem, criolipólise, etc). Assim como no desenvolvimento do paciente, na sua evolução, no trabalho do profissional e na informações aos usuários sobre como cada trabalho é desenvolvido. O objetivo é vender o estúdio, através do trabalho exercido dentro dele:

 

  • Fotos do procedimento (selfies, do trabalho com pilates, dos tipos de massagem, tipos de processo estético);
  • Vídeos de posições, alongamentos, práticas e exercícios;
  • Foto Antes/Depois;
  • Links, notícias, reportagens, artigos e novidades do ramo;

 

Situação 2

 

Para estúdios onde os pacientes são mais discretos e gostam de privacidade (ou não querem mostrar que estão numa clínica estética), a vertente de conteúdo deve ser focada na venda de serviços, apresentando as modalidades de trabalhos oferecidas, os benefícios, pesquisas, anúncios de promoções, de sessões – sorteio de sessões gratuitas, novidades na área e na facilidade do cliente em adquirir o tratamento. Isso pode ser convertido em textos para blogs, posts, artes gráficas, imagem para Instagram, Snapchat e por grupos de Whatsapp.

 

Ouvir sempre os pacientes

Para o fisioterapeuta Felipe Fernandes,  a assessoria de um profissional de comunicação é importante para a produção e condução do trabalho de mídia, além de assessoria oferecida para acompanhar o desenvolvimento de cada cliente.

“Atualmente, qualquer negócio que não tenha um apoio dentro das mídias sociais não consegue ter visibilidade ou alavancar o seu trabalho. Através do bom gerenciamento das Fan Pages e da produção de conteúdo no centro de pilates ou estética em geral, claro, com a autorização dos atendidos, que os usuários vão perceber o trabalho do profissional e assim, passar a ser clientes do estúdio”, declara.

Sobre o discernimento com o uso das imagens dos pacientes, ele destaca a importância de entender cada cliente, seus hábitos e costumes.

“Vendo isso na estética, tem clientes que não se importam de serem fotografados, entrevistados e até gostam, e tem outros que em hipótese alguma querer ver a sua imagem em algum site, nem mesmo uma imagem ANTES e DEPOIS”, explica.

Ele aborda profissionais que utilizam imagens de outros locais, de depósitos de imagens para relatar procedimentos utilizados por eles.

“Tem profissionais que até usam fotos de pacientes dos quais eles nunca trataram, anunciando tratamentos milagrosos, sendo que qualquer tratamento estético pode dar resultado,  sendo feito com um profissionais, avaliações e técnicas corretas. Com relação à divulgação das imagens, eu como fisioterapeuta, não gosto de publicar uma foto de um procedimento sem que esta pessoa saiba antecipadamente. Tem gente que faz para mostrar aos amigos, à família, ao cônjuge, para eventos e tem pessoas que gostam de sentir bem, que fazem para elas mesmas e não gostam de exibir a terceiros”.