O YouTube está preparando surpresas para os usuários, e parece que teremos mais notícias em breve. De acordo com o portal norte-americano Recode, os produtores de conteúdo receberam uma carta que precisam se adequar aos novos termos da mídia social até o dia 22 outubro. O objetivo será criar uma nova fonte de receita para youtubers e empresários, através de uma taxa mensal imposta para os usuários, com o intuito de tornar paga as visualizações. Se os produtores não se adequarem, eles podem ter os seus vídeos não acessados.

 

 

youtube

 

 

“Estamos progredindo conforme o planejado para oferecer aos fãs mais opções de como eles podem desfrutar do conteúdo. Temos o apoio esmagador da maioria dos nossos parceiros, e estamos prestes a fechar”, afirmou um representante do YouTube. A proposta se estende para duas vertentes: o lançamento do “YouTube Music Key”, que oferecerá um serviço de streaming de músicas para os usuários, e a chance de os anúncios não aparecerem para quem está vendo o vídeo. 

 

Até o momento, os youtubers brasileiros não são obrigados a aceitar os novos termos de uso para manter seus vídeos online. A taxa mensal será de U$ 10 e começará uma nova etapa na mídia social, que ficou dez anos gratuitamente. Se for concretizado a nova modalidade de serviço, ele será um forte concorrente de plataformas como a Apple Music, Spotify, Tidal e Netflix. A empresa já fechou streaming de vídeos para o vídeo game PlayStation 4. Um outro problema seria o acordo com as gravadoras e pessoas físicas e jurídicas que detém direitos autorais e precisam receber uma porcentagem desse lucro.

 

Outro dilema será os anunciantes que patrocinam canais para aparecerem em canais de relevância e público. Sabemos que os youtubers lucram com a publicidade, que pode estar ameaçada em ver o vídeo sem os famosos “cinco segundos”. Claro que os usuários optarão por ver sem a peça publicitária ou banners, o que pode complicar o modelo de negócio ou diminuir a renda dos canais.

 

 

tubes

 

 

Confira abaixo a carta que o YouTube enviou aos donos dos canais:

 

Durante anos, os fãs do YouTube têm-nos dito que eles querem mais – mais escolha ao assistir seu conteúdo favorito, mais maneiras de apoiar os seus criadores favoritos e, acima de tudo, a opção de assistir a seus vídeos favoritos ininterrupto.

 

Para dar aos fãs mais escolha que iremos lançar uma nova versão livre de anúncios do YouTube, disponível para os fãs de uma taxa mensal. Este serviço irá criar uma nova fonte de receitas ao longo do tempo que complementam a sua receita de publicidade. É por isso que a esmagadora maioria dos nossos parceiros – o que representa mais de 95% de watchtime YouTube – solicitaram e se inscreveram para este serviço.

 

Como você ouviu falar em nossos e-mails anteriores, queremos garantir que os fãs que optam por pagar por uma experiência livre de anúncios pode assistir a todos os mesmos vídeos que estão disponíveis na experiência anúncios apoiados. É por isso que nós estamos pedindo que você atualize o seu acordo para refletir os termos atualizados para o serviço livre de anúncios.

 

Para aceitar, basta fazer login em YouTube.com como a partir de um desktop ou Notebook e seguir as instruções que serão dadas dia 22 de outubro.

 

Se você não tiver assinado até essa data, os seus vídeos não estarão mais disponíveis para exibição pública ou monetização nos Estados Unidos. Esse resultado seria uma perda para o YouTube, uma perda para a presença próspera que você construiu na plataforma, e acima de tudo, uma perda para seus fãs. Continuamos comprometidos em trabalhar com você, como sempre fizemos. E, claro, a qualquer momento, você pode aceitar os termos atualizados que fará com que seus vídeos sejam publicados e monetizados novamente.

 

Acreditamos que esses novos termos se fortaleceram muito a nossa parceria no futuro. Passamos por um processo semelhante três anos atrás, quando começamos a distribuir e monetizar seu conteúdo em dispositivos móveis. Hoje, dispositivos móveis representam mais de metade de toda a receita watchtime e móvel. Assim como com móvel, estamos confiantes de que essa atualização mais recente vai animar seus fãs e gerar uma previamente inexplorada, fonte adicional de receita para você.

 

Se você tiver dúvidas ou encontrar dificuldades técnicas, estamos aqui para ajudar.

 

À Equipe do YouTube

 

Resta nos esperar como a modalidade afetará o nosso país.

 

Conheça o e-book “7 Lições Que Aprendi Com os Youtubers de Sucesso”, do Felipe Pereira, clicando no link:
BAIXE AGORA!