Em seu primeiro dia de trabalho o novo vendedor foi questionado pelo chefe como ele, ainda no período da manhã, havia vendido: duas varas de pescar, um kit de anzóis, um kit de iscas, dois coletes salva vidas, dois botes, um par de óculos escuros e 2 protetores solares à primeira pessoa que atendeu.

 

A resposta dele foi tão surpreendente quanto coerente com todos os itens que ele vendeu.

 

Continue lendo para entender bem essa resposta e o que ela tem a ver com os vídeos do seu canal no YouTube.

 

 

Pescando no YouTube

 

Eu, particularmente, não pratico pescaria mas vejo nela uma grande alegoria para muitas coisas. Uma delas é o consumo de conteúdo na internet. Nesse texto vamos nos ater à sua aplicação dentro da plataforma do YouTube.

 

Nela, você encontra basicamente dois tipos de pescadores e cada qual com diferentes recursos: um usa arpão e o outro usa rede.

 

O pescador de arpão sabe exatamente qual é o peixe que quer pegar e vai afastando os outros peixes da frente do seu alvo enquanto lança sua investida com a maior energia possível sobre ele.

 

Já o pescador de rede, não é tão criterioso e abraça a maior quantidade que seu instrumento de trabalho conseguir abraçar. Podendo depois escolher quais levará consigo.

 

Ambos resumem a sua audiência. O primeiro é aquele expectador que está em busca de um conteúdo específico, e descartará aquele que não se parecer com o que está buscando no momento. Já o segundo é o expectador que entre os vários vídeos que consumia encontrou o seu.

 

No texto anterior nós demos um zoom ao segmentar a programação do seu canal. Agora vamos dar outro e ver como podemos fazer isso com os seus peixes, digo, vídeos.

 

 

Lata de Sardinha

 

Uma vez que você tenha em mente qual é o seu posicionamento diante do seu público alvo, e tenha definido o formato do seu vídeo, o título e a miniatura (thumbnail) são o os pontos mais importantes para segmentar a sua audiência logo de cara.

 

Se o seu vídeo é uma sardinha, a thumbnail é a lata. O bom é que você não tem muito trabalho para abri-la, basta um clique. Mas com tantos vídeos e suas respectivas miniaturas o que vai fazer com que o seu público alvo clique na sua?

 

Basicamente, ela deve seguir a identidade do seu canal e mostrar coerência com a abordagem do seu vídeo ao mesmo que chama a atenção do seu expectador para o tema que está sendo tratado.

 

Já o título, deve deixar claro o assunto do vídeo e a quem ele se destina. Juntos, a thumbnail e o título devem imediatamente revelar sobre o que o vídeo é, para quem ele é, e qual é o seu tom.

 

 

Na Prática

 

 

Tipos de Professores Pt. 1 – Parafernalha

 

 
Esse vídeo chama a atenção tanto de estudantes como de professores. E como trata de sala de aula, algo que a maioria das pessoas vai se identificar, tem um enorme apelo viral. Além de um segundo vídeo, a parte dois.

 

 

Dicas de Marketing Digital Para Pequenas e Médias Empresas com João Kepler – Digaí

 

Esse é um dos exemplos de vídeo bem segmentados do canal do Digaí. Sobre o que o vídeo é, para quem é, e o formato (dicas com autoridade sobre o assunto) é cuidadosamente entregue à primeira vista. Além de citar categoricamente seu público alvo: Pequenas e Médias Empresas.

 

 

INGLÊS: Números do ZERO a UM MILHÃO em (MENOS de) 5 Minutos ( Numbers ) – Cleydson Barbosa

 

 

Com uma Thumbnail irreverente, o tema é a primeira palavra do título, seguida pelo assunto do vídeo que também revela seu nível: “do ZERO”. Além de enfatizar a rapidez com a qual o tópico será tratado.

 

 

Agora atenção:

 

Super vulcão para feira de ciências – Manual do Mundo

 

 

Esse é obviamente direcionado a estudantes que pretendem fazer experimentos ou apresentações para feira de ciências. Mas o que eu quero que você preste muita atenção ao finalzinho, a partir dos 6 minutos e 12 segundos: esse é o gancho. A cada vídeo, o Manual do Mundo indica outros vídeos relacionados e assim o canal faz como o nosso amigo vendedor novato.

 

 

Enfim

 

-É muito simples – explicou o vendedor a seu chefe – aquele senhor queria saber onde havia uma peixaria pela redondeza. Aí eu perguntei se ele já teve a experiência de pescar o próprio peixe. O resto foi consequência…

 

Quando você sabe quem é o seu público alvo e do que ele precisa, fica mais fácil oferecer algo que lhe seja útil e relevante, além de poder fazer links com outros vídeos que o façam consumir mais de você.

 

Mas nada substitui a experiência do seu expectador. Se ele gostar, vai ter que se segurar não afundar o próprio bote com tantos peixes.

 

E você?

 

Digaí nos comentários se você já se inscreveu num canal e passou a seguir seu conteúdo assiduamente graças a um vídeo bem segmentado. É nos comentários também que você pode deixar suas perguntas ou sugestões que teremos o maior prazer em dar continuidade a essa conversa.

 

E como sempre:

 

Muito sucesso para você!

 

Conheça o e-book “7 Lições Que Aprendi Com os Youtubers de Sucesso”, do Felipe Pereira, clicando no link:
BAIXE AGORA!