As ações de comunicação ligadas ao Marketing Digital já se mostraram essenciais quando o assunto é divulgar determinado serviço ou produto. Além de permitir uma interação direta com seu público, anunciar através de mídias sociais é uma alternativa bem mais barata se comparada às ferramentas do Marketing tradicional, como a televisão e o rádio, por exemplo. Mas, como em qualquer mecanismo de divulgação, deve-se ficar atento aos riscos, e, mais do que isso, garantir que tais ações tragam resultados eficazes.

 
 

Mas como é possível mensurar resultados em um segmento cercado por tantas mudanças?  Com o chamado Marketing de Performance isso é possível. Esta vertente do Marketing Digital permite a uma empresa medir seus rendimentos com base em seus investimentos, ou seja, nela é possível prever os resultados de qualquer campanha, que, diga-se de passagem, nem sempre serão os mesmos.

 
 

Geralmente composta por uma equipe que vai de engenheiros a estatísticos, as agências especializadas neste segmento do Marketing analisam uma série de questões a fim de que a campanha proposta traga bons resultados. Monitoramento das atividades digitais da empresa, análise do comportamento do usuário e avaliação de todas as mídias online  da empresa são algumas delas. Apesar de seu caráter democrático, toda ação de Marketing de Performance deve ser planejada com base em diretrizes já preestabelecidas, tendo como base principal seu público-alvo.

 
 

A fim de compreender melhor o funcionamento deste modelo do Marketing Digital, o Digaí conversou com Andre Palis, fundador e diretor comercial da agência de Marketing de Performance Raccoon.

 
 

Existe algum tipo de restrição do marketing de performance no que tange o mercado de e-commerce ou qualquer tipo de empresa pode recorrer à esta ferramenta?

 
 
Andre Palis: O marketing de performance é um dos principais pilares de qualquer e-commerce. Ele faz parte de uma série de questões que precisam estar extremamente alinhadas para que o sucesso ocorra. Ter um bom mix de produtos, preços competitivos, prazos de entrega eficientes são tão fundamentais quanto os aspectos relacionados ao marketing digital. Até porque todos os outros pontos podem estar rodando com perfeição, se o site não recebe visitantes interessados nos produtos, a um preço adequado, o negócio se torna insustentável.
 
 

Para você, qual o principal erro cometido na escolha de agências de marketing performance?

 
 
Andre Palis: A escolha de uma agência de marketing de performance é extremamente complexa e necessita de tomadores de decisão que realmente entendem com profundidade desse mercado. São muitos os erros que costumo ver por aí, mas gostaria de citar a negociação de preços. É comum o cliente querer (ou achar que precisa) espremer a agência o máximo possível. O que muitos desses clientes não se dão conta, é que a agência não vai aceitar ter prejuízo para atender nenhum cliente. Na maioria dos casos, para não perder o cliente, a agência aceita a negociação e para manter sua margem, adequa o nível de serviço. No final temos cliente e agência insatisfeitos.
 
 

Mesmo proporcionando certa garantia de resultados, existem maneiras de evitar riscos em determinado investimento?

 
 
Andre Palis: Com certeza – e por isso a importância de escolher uma boa agência de performance. Existem mídias que são muito mais voltadas para a performance do que outras. Concentrar a maior parte dos investimentos nelas, evita riscos de desperdício. A agência precisa de fato ter os interesses do cliente em primeiro lugar e então desenvolver o planejamento de mídia mais adequado.
 
 

Marketing de afiliados vs Marketing de performance: como essas duas ferramentas se correlacionam?

 
 
Andre Palis: O marketing de afiliados é uma das ferramentas utilizadas dentro do marketing de performance e definitivamente uma ótima opção. De maneira resumida, as redes de afiliados tem como objetivo unir produtores de conteúdo a anunciantes. O resultado das vendas gerado através desses canais é então divido entre os três envolvidos (anunciante, rede de afiliados e afiliado).
 
 

Em seu artigo intitulado “Como Escolher sua Agência de Marketing de Performance?” você lista inúmeros tópicos importantes, desde  o entendimento da abrangência de serviços prestados pela agência ao contato com seus atuais clientes. Desta forma, como a internet – incluindo os sites de redes sociais – interfere (positiva ou negativamente) nesses processos?

 
 
Andre Palis: A internet é uma enorme fonte de informações e facilitadora nesse processo. Você pode utilizar as redes sociais para entrar em contato com outros clientes da agência em que está interessado em trabalhar, pode procurar por cases, artigos e até mesmo fazer buscas para conhecer um pouco melhor da estratégia que a agência usa para alguns de seus clientes.
 
 

Há alguma diferença significativa entre o marketing de performance tradicional para o direcionado à empresas de e-commerce? Como funciona para cada uma delas?

 
 
Andre Palis: O marketing de performance funciona para basicamente qualquer tipo de negócio. Os e-commerces são os que mais o utilizam basicamente porque todo o processo de compra acontece online e assim se tem acesso a muito mais informações para a tomada de decisões. Para um gerente de e-commerce é muito mais fácil e confiável saber quanto de venda cada mídia está gerando do que para um gerente, por exemplo, de uma incorporadora, onde o processo de venda acontece offline e a chance de acontecer erros é muito maior.
 
 

Opções como links patrocinados e comparadores de preços são bastante utilizados nas empresas online. Quais outras ferramentas você acha que devem ser levadas em conta na hora de investir em marketing de performance sem gastar muito?

 
 
Andre Palis: Se executado de forma correta, para empresas que possuem uma boa base de clientes, e-mail marketing é uma ferramenta relativamente barata que funciona muito bem.
 
 
 
 
Se você quer dominar o e-mail marketing e turbinar as vendas do seu negócio, clique aqui.