Ultimamente muito tem se falado sobre copywriting. Com o boom de novas técnicas, maneiras e ferramentas para fazer negócios deslancharem, sempre surge um novo conceito.

 

Novo?   A questão é que essa técnica de nova não tem nada. O termo vem do idioma inglês e é amplamente utilizado lá fora.   O que mudou aqui é a forma de encarar esse assunto tão importante para quem quer vender alguma coisa: um produto, um serviço ou até mesmo uma ideia.

 

Copywriting é arte de escrever textos que vendem. São aqueles textos que têm o poder de persuadir a audiência a agir da forma desejada, seja clicando, comprando, assinando a newsletter, compartilhando, etc.

 

Talvez você esteja aí pensando: e no meu conteúdo, onde a copy se encaixa? Na carta de vendas? No e-mail marketing? No post? A resposta é: onde houver uma palavra escrita, você pode usar as técnicas de copywriting. Ou seja, você pode utilizar o método em materiais impressos, newsletters, roteiros para vídeos, e-mail e em todos os recursos utilizados para vender uma ideia, um produto ou serviço.

 

 

Se você acha que não tem o dom para escrever textos que vendem, saiba que cerca de 20% do esforço é criatividade e 80% é técnica. Embora uns tenham mais talento que outros, qualquer pessoa pode aprender as inúmeras técnicas.   Você não utilizará todas as técnicas numa mesma mensagem, mas alguns pontos não mudam. São essenciais e não devem ser ignorados. E é sobre eles que falaremos hoje.

 

Veja a seguir:

 

 

1. Defina o seu objetivo

Em primeiro lugar, estabeleça o seu objetivo com a sua mensagem. Uma boa copy deve ter uma clara função, que é a proposta do texto. O que você quer com a mensagem? –       convencer o leitor a respeito de uma ideia? –       conseguir mais clientes? –       fazer o cliente comprar mais? –       fazê-lo comprar mais vezes?   Antes de iniciar, é fundamental ter o objetivo claramente definido em mente.

 

2. Conheça seu público

Seja o mais específico possível. Quem é a pessoa para quem você está escrevendo? Pense no seu nicho de atuação e desenhe uma persona, um avatar: descreva em detalhes as suas dores, seus desejos… Quais são as preocupações e os sonhos dessa persona?   Conhecer bem o seu leitor ou sua audiência é a base de todas as atividades de marketing. Sua comunicação será muito mais efetiva se ela for corretamente direcionada a uma pessoa de um nicho específico. Além disso, você será capaz de prever e eliminar as possíveis objeções desse perfil de cliente.

 

3. Determine a reação desejada

O que você quer que o seu público faça? Compre? Compartilhe? Assine? O quê ele tem que fazer?   Se você não sabe a reação desejada, o seu público também não saberá. Por isso, é muito importante saber e informar ao leitor através da call-to-action (chamada para ação). Veja mais sobre o assunto neste post.

 

4. Explore os benefícios

Em vez de falar das características e recursos da sua oferta, pense no seguinte: como as características e recursos do seu produto ou serviço atendem as necessidades e desejos de seu público?   Como eles o beneficiam? Como você pode ajudá-lo?   Em vez de falar do produto ou serviço, fale de como o seu público será beneficiado se comprar sua ideia. Foco na audiência e não em você.

 

5. Apresente sua Proposta Única de Valor

Agora que você já explorou os benefícios, diga o que há de novo, diferente ou único em sua oferta.   O que o seu produto ou serviço faz? Como ele faz? No que você se diferencia? Por que aquele cliente deve comprar de você e não do seu concorrente?  

 

6. Defina a melhor estratégia

Qual a melhor forma para apresentar as características e benefícios para atingir o seu objetivo? Você vai escrever? Um e-mail? Uma carta de vendas? Em um vídeo? Quais são o principais benefícios e características que devem ser mostrados?  

 

7. Utilize gatilhos mentais

Nosso cérebro utiliza atalhos para tomar decisões.  Esses atalhos são chamados de gatilhos mentais. Existem vários gatilhos, mas os mais usados são o da escassez, autoridade, aprovação social e disponibilidade.   Lance mão deste recurso para sua copy funcionar. Para saber mais sobre os gatilhos, assista ao vídeo no post “O que são gatilhos mentais”.

 

8. Cuide de sua credibilidade

É importante ter em mente que se o produto, ideia ou serviço não forem bons, não há milagres que a copy possa fazer. Se você persuadir as pessoas e sua oferta for ruim, sua credibilidade estará afetada.   Da mesma forma, erros de ortografia e gramática afetam também. Algumas pessoas deixam de comprar porque passam a duvidar da qualidade do produto ou serviço ao encarar um texto com erros.    Cumpra sempre o prometido. Além disso, procure sempre entregar mais do que aquilo que prometeu.   Credibilidade é tudo. Não vale a pena empurrar um produto ou serviço ruim. Jamais as técnicas devem se sobrepor à qualidade do conteúdo de sua mensagem.

 

Bem, esses são os pontos principais. As linhas gerais que devem guiar a mensagem e outras diferentes técnicas a serem aplicadas ao texto ou vídeo.

 

Fique ligado nos próximos posts que trarão dicas valiosas.

 

Se você gostou e acha que este post pode ajudar aquele seu amigo que precisa escrever para a web, compartilhe!