O Digaí conversou com Geraldo Santos, partner na DEMO Brasil, durante o evento. Conversamos sobre o próprio evento, o cenário de startups e tem até dica para quem quer tem interesse em começar uma startup. Vamos conferir?

 

 

Gostaria que você se apresentasse pra nossa audiência

 

Sou Geraldo Santos, empreendedor há mais de 15 anos, com formação na área de Tecnologia. Depois de trabalhar por muitos anos no segmento de Tecnologia da Informação e Comunicação – em empresas de hardware e software – acumulando funções desde gerente de produtos, de marketing, de suporte técnico, consultoria, treinamento e por fim de negócios, decidi que estava na hora de empreender, afinal desde criança sempre tive uma veia empreendedora.

 

Inicialmente fundei uma agência de Marketing e Eventos, posteriormente uma de Web Marketing e Call Center especializado em geração de leads e por fim uma Startup – a primeira na América Latina a oferecer serviços de vídeo on demand (filmes e vídeos via Web). Nesses 15 anos, muitos deles foram de extremo sucesso, outros nem tanto. Das 3 empresas, uma existe até hoje, outra quebrou e a outra foi vendida para investidores do mercado financeiro. Tudo isso me deu muito aprendizado, muita experiência, tanto no que se deve fazer quanto onde um empreendedor não pode errar.

 

 

O que é o Demo Brasil?

 

Para falar da DEMO Brasil, temos primeiro que falar da DEMO Conference que surgiu no Vale do Silício há 24 anos e tornou-se o mais importante palco de lançamento de Inovação Tecnológica do planeta.

 

Na DEMO USA foram lançados produtos como Waze, Salesforce.com, Picasa, Webex, Skype entre milhares de outros que se tornaram grandes empresas, receberam investimentos ou foram adquiridos por grandes empresas de Tecnologia como Google, Microsoft, Oracle, IBM, Dell, entre outras.

 

Uma das mais importantes conferências voltadas para startups e investidores, a DEMO está presente hoje nos Estados Unidos, Brasil, Rússia, China, África.

 

 

Como surgiu a ideia de criar o Demo Brasil?

 

O Brasil vive nos últimos 3 anos um momento especial no aumento do empreendedorismo e na criação de startups de tecnologia. Muitos eventos foram surgindo, alguns muito importantes como o Startup Weekend, que reúne em um final de semana pessoas com sonhos e ideias que não sabem por onde começar uma startup. Porém, não havia nenhum evento ou conferência com a proposta da DEMO – ser um palco onde se apresentam as melhores inovações existentes no Brasil – de startups com produtos maduros, prontos para serem comercializados e modelo de negócios definido e inovador.

 

Da mesma forma, apesar de existirem muitos meetups (encontros informais entre statups e investidores), nenhum deles tinha a proposta de realizar estes encontros em um ambiente de negócios e atrair efetivamente investidores que buscam empreendedores para investir.

 

E, mais que investidores, a DEMO Brasil reúne na plateia potenciais clientes – compradores de tecnologia – empresas em busca de inovação para aumentar sua competitividade no mercado. E, como bons empreendedores, foi isso que fizemos. Trouxemos uma marca global porém adaptada à realidade do mercado nacional, criando uma das mais importantes conferências para o ecossistema de startups no país.

 

 

Qual o histórico do evento?

 

A primeira edição da DEMO Brasil foi realizada em junho/2013. Tivemos mais de 500 inscrições, onde 35 startups selecionadas em todo Brasil que se apresentaram no palco da DEMO durante 2 dias para mais de 800 participantes, entre empreendedores, investidores, empresários e executivos de tecnologia e inovação.

 

 

Uma banca avaliadora formada por especialistas e investidores escolheu os 6 vencedores, entre eles o primeiro colocado que ganhou o direito de fazer um pitch na DEMO USA além de participar de um Programa de Capacitação e Treinamento no Vale do Silício por 30 dias.

 

Em 2014 criamos as edições estaduais e regionais. Foram realizados eventos em 5 estados do Brasil para selecionar 3 startups de cada um. Pela primeira vez o Nordeste também recebeu uma edição regional da DEMO Brasil, onde tivemos 9 startups vencedoras que foram classificadas para a final nacional. O primeiro colocado da edição Nordeste ganhou ainda 90 dias de aceleração.

 

Este mês no Rio de Janeiro aconteceu a edição nacional – a segunda no país, onde tivemos mais de 500 participantes, 34 startups no palco, mais de 20 palestrantes nacionais e internacionais.

 

Os 6 vencedores da DEMO Brasil 2014 ganharam o direito de participar da DEMO USA em novembro no Vale do Silício, expor seus produtos para os investidores internacionais. Já o primeiro colocado ganhou também 90 dias de Aceleração na Plug and Play Tech Center – uma das principais Aceleradoras do Vale e o direito de fazer um pitch no palco da DEMO na Califórnia. Mais de 30% das startups que se apresentaram no palco da DEMO Brasil receberam aporte de capital, além de conquistar muitos novos clientes e muita visibilidade na mídia.

 

 

Quais as áreas mais promissoras para startups no Brasil e no mundo?

 

Acreditamos que uma das formas mais rápidas para uma startup dar certo é conquistando clientes e gerando receitas. Para isso é fundamental criar produtos inovadores que atendam às necessidades reais do mercado. Por isso, a DEMO hoje busca startups com soluções para os segmentos de educação, varejo, saúde, mercado financeiro, transportes, óleo & gás, entre outros.

 

Ainda existem muitas oportunidades para criação de novas soluções para Governo por exemplo, as cidades inteligentes estão só começando, assim como para Mobilidade Urbana e a chamada “Internet das Coisas”. Se olharmos para a DEMO USA, algumas startups vencedoras nos últimos 2 anos foram focadas nesse tema.

 

 

O que pessoas interessadas em criar uma Startup devem fazer?

 

Primeiro, entender que empreender não é para todos, ou seja, precisa ter certeza de que irá entrar em uma estrada muito longa, com muitos desafios, cheia de obstáculos e enxergar que os primeiros 5 anos serão de muita turbulência e exigirão muito, não somente do empreendedor mas de todos que o cercam. Empreender significa abrir mão até mesmo da família e dos amigos, esquecer os finais de semana e até mesmo estar disposto a ficar sem aquele salário básico no final do mês.

 

Feita esta reflexão e estando disposto a correr todos os riscos, o primeiro passo é avaliar se sua ideia é inovadora, se já não existem muitas outras, não somente na sua cidade, no seu estado, mas em todo Brasil e fora dele. Criar produtos que já existem sem um grande diferencial exigirá do empreendedor muito mais esforço, muito mais investimentos e o risco de insucesso é grande.

 

Segundo passo montar um time – pois sem uma equipe dificilmente uma startup terá sucesso. De preferência, selecione bem os sócios, encontre pessoas que tenham habilidades complementares. Exemplo se você é o desenvolvedor, precisará ter na equipe pessoas de marketing, de negócios e de design. Não tenha no time somente desenvolvedores pois em algum momento futuro você irá precisar de outros talentos.

 

Enquanto desenvolve seu produto, procure se atualizar no aspecto legal, tributário, fiscal, jurídico da empresa. Para isso procure ajuda do SEBRAE em sua cidade, este é o melhor caminho para iniciar uma startup com processos legais corretos. Dificilmente um investidor no futuro colocará dinheiro em sua startup se não estiver 100% adequada à legislação.

 

Se antes de iniciar o desenvolvimento ainda tem dúvidas ou precisa de orientações, daí o melhor caminho são os eventos de mercado. Procure aumentar seu relacionamento com o ecossistema (outros empreendedores, mentores, aceleradoras, investidores anjos etc), você poderá economizar muitos meses ou até anos, cometendo erros que outros já cometeram e podem te contar.

 

 

E quem já tem uma startup que ainda não ganhou tração, poderias dar alguma dica?

 

A minha dica para isso é buscar ajuda externa, participar de eventos, encontrar outros empreendedores ou mentores que lhe indiquem qual o melhor caminho a seguir. Cada caso é um caso, não existe fórmula mágica. É necessário entender seu nível de informação, seu estágio de maturidade empreendedora, seu estágio de desenvolvimento do produto para daí sim dar dicas e sugestões de como e onde prosseguir para ganhar tração ou validar seu produto no mercado.

 

 

É necessário ter investimento pra uma startup dar certo?

 

Nem sempre. Uma startup precisa de clientes, gerar receita. Claro que todo investimento deve ser bem-vindo, principalmente aquele inicial que vem do próprio empreendedor ou da família, dos amigos, principalmente para iniciar a operação. Porém tenha em mente que seu esforço, trabalho, dedicação, persistência será muito mais importantes do que qualquer investimento financeiro.

 

 

O que os investidores buscam em uma startup?

 

Cada investidor tem um foco diferente, por isso, antes de falar com um procure conhecer o perfil do investidor. Acesse suas páginas pessoais nas redes sociais, procure informações com amigos deles, participe das palestras e eventos em que eles estão expondo abertamente o que pensam e como agem. O mesmo vale para as aceleradoras, cada uma tem um foco e no site delas normalmente tem tudo o que elas buscam e principalmente em quais startups estão investindo. Isso lhe dera muito mais subsídios para iniciar uma conversa com investidores.

 

Por outro lado, todo investidor aposta no risco do projeto do produto. Por isso, mais importante que uma produto inovador é a equipe, o time de empreendedores. O investidor prefere investir em uma equipe forte, com grande capacidade de execução e chance da sucesso do que em um produto inovador mas que não tem um time forte.

 

Gostou da entrevista? Conta aqui nos comentários!