A Locaweb é uma empresa brasileira pioneira na área de serviços para a internet que atende a diversos segmentos, com diferentes perfis de clientes, oferecendo serviços tais como: hospedagem, cloud e servidores, ecommerce, marketing online, entre outros serviços.

 

O Encontro Locaweb de Profissionais de Internet é uma iniciativa da Locaweb, que já reuniu mais de 26.000 participantes somando suas 15 edições. O evento tem como objetivo levar conteúdo de qualidade aos profissionais de Internet e empreendedores de importantes capitais brasileiras, além de incentivar o networking e ampliar o contato entre clientes e fornecedores.

 

Nessa 16ª edição, a Locaweb levará o Encontro a seis capitais brasileiras (Recife, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo). Na edição Recife que aconteceu dia 18 de Março no Mar Hotel, o Dig e a equipe Digaí fizeram questão de marcar presença e viemos contar tudo o que aconteceu por lá.

 

Estrutura do evento

 

O local escolhido foi o Mar Hotel em Boa Viagem. O evento ocupou a área do centro de convenções do hotel no primeiro andar. No auditório principal, o bloco Marketing Business Innovation  liderado por ninguém menos que Martha Gabriel trouxe palestras que abordaram temas como empreendedorismo, tendências de tecnologia e marketing digital. Já na sala Tableless,  o foco foi total no mundo dos desenvolvedores e tudo que o cerca, como linguagens de programação, códigos, responsive design,  SEO, acessibilidade, entre outros. O evento durou doze horas e contou com dois coffe-breaks  e a presença de promotoras da Red Bull ao término do Encontro distribuindo o energético que “dá asas”.

 

Marketing Business Innovation

 

A palestra de abertura trouxe dados importantes sobre dois mercados superaquecidos: o E-Commerce e o M-Commerce (ou Mobile-Commerce). Sobre o assunto, Marcio Kumruian (CEO do Netshoes) e Romero Rodrigues (CEO do Buscapé) participaram virtualmente e falaram sobre a era da democratização do acesso e a velocidade com que isso vem acontecendo. Também aproveitaram para falar sobre o poder do consumidor na palma da sua mão utilizando dispositivos móveis. “Hoje, 15% das buscas no Buscapé são através de plataformas mobile. Em aproximadamente 2 anos, a expectativa é a de que esse número suba até 50%”, aposta Romero.

 

Encontro Locaweb Recife

 

Com cada vez mais consumidores conectados à web, a tendência é que maiores investimentos sejam feitos em buscas pagas, já que o Brasil lidera o ranking de CTR (click-through rates,  ou taxa de cliques) de busca paga no mundo. E o perfil desse consumidor online vem mudando bastante. As mulheres já ultrapassam os homens, representando 55% dos consumidores na web e, se formos falar de renda, atualmente mais da metade dos consumidores conectados tem renda mensal de até R$3.000,00, ou seja, adquirir produtos e serviços online não é privilégio dos “ricaços”.

 

Algo bastante relevante foi falado sobre o E-mail Marketing que, apesar do que muitos podem apostar, não está com seus dias contados. Essa ferramenta passa por uma transformação significativa, investindo no responsive design (já que 47% dos e-mails lidos hoje são através do mobile) e numa tendência que eu, particularmente, achei muito bacana: o Ad-Retargeting. Agora, já existe e-mail marketing unicamente baseado em abandono de carrinho nos sites de compra. Se o consumidor desistir de concretizar a compra na última etapa e abandonar o carrinho, ele receberá um e-mail com produtos semelhantes e ofertas relacionadas. O resultado? Esse modelo de mensagens já superou em 300% as mensagens tradicionais.

 

“Esqueça usabilidade. Experiências e lazer é o nome do jogo” – Marcelo Tripoli

 

O publicitário e presidente no Brasil da agência Sapient Nitro, Marcelo Tripoli, trouxe um conceito inovador chamado #UX, a User Experience  (ou Experiência do usuário) e atentou para o fato de que, apesar de hoje a tecnologia ser incrível, muitas pessoas estão insatisfeitas com sua experiência online. “Se a conexão do seu celular deixar de funcionar por breves segundos, você já reclama enfurecido. Nos tornamos uma nação de ‘mimados’ onde a tolerância é zero”, brinca Marcelo.

 

Marcelo defende que não basta ter uma ideia que não seja executável e que não adianta lançar propagandas fantásticas se o produto é um lixo. Tripoli ainda conta em sua palestra que “a experiência com o produto é mais importante do que a construção do produto ou da propaganda para anunciá-lo”. Um ótimo exemplo disso é a Nike que recentemente tem voltado seus esforços para a fabricação de produtos que proporcionem uma experiência ímpar para seus consumidores deixando em segundo plano os investimentos em propagandas.

 

Quando se trata de usabilidade, Marcelo foi claro: “usabilidade é mais percebida quando não funciona”. E não é que ele tem razão? Por exemplo, apps que recebem avaliação “5 estrelas”, raramente têm comentários dos usuários que baixaram seu conteúdo. Já aqueles aplicativos que deixaram muita gente insatisfeita têm uma lista enorme de reclamações. E falando em apps, Marcelo menciona a realidade da interface digital e fala sobre o cenário multi-device,  ou seja, todo conteúdo deve ser desenvolvido de forma responsiva a todos os dispositivos que dão acesso a esse conteúdo. Seria o que ele chama da abordagem holística para o desenvolvimento de conteúdo online.

 

“Inove ou morra tentando” – Gustavo Caetano

 

Mineiro de Araguari, o presidente da Associação Brasileira da Startups e presidente do Samba Group, Gustavo Caetano iniciou sua palestra retratando o cenário atual da internet. Ele mencionou as incertezas do mercado, a grande competitividade entre empresas e a transformação da acessibilidade, ou seja, mais pessoas mais conectadas e mais grupos diversificados com mais opções disponíveis para escolherem.

 

Para sobreviver nesse cenário, Gustavo deu algumas dicas fundamentais.

 

1 – Foque em nichos de mercado: Pense num grupo específico de pessoas e busque melhorar algo na vida delas. Identifique um problema e tente solucioná-lo. “Não inove só por inovar, tenha propósito

 

2 – Pare de dar murro em ponta de faca: “Planeje menos e faça mais”. Quando tiver um projeto, ponha mais fé na prática e não se restrinja a só seguir o plano. Se no andar da carruagem algo der errado, não insista em algo que estava previamente planejado só porque você ouviu por ai que “planejamento é tudo”. Muda o curso.

 

3 – Aposte no futuro: É importante lembrar o que foi mencionado no início: vivemos num mercado de incertezas onde o cenário das empresas oscila constantemente entre picos de crescimento e crises. Portanto, aposte no futuro e aprenda com os momentos de queda.

 

4 – Small is beautiful (O pequeno é lindo): Aqui vão dois conselhos. Primeiro: não copie algo de uma empresa gigante se você é pequeno. Invista naquilo que “cabe” no seu negócio. Segundo: monte pequenas empresas dentro da sua própria empresa. Dê autonomia para grupos específicos tomarem decisões sobre assuntos específicos sem que seja necessário passar pela aprovação do CEO. Descentralize.

 

5 – O colaborador é rei: Ao contratar novos funcionários para sua empresa, venda um sonho para essas pessoas. “Muitas pessoas hoje não trabalham só pelo dinheiro

 

6 – A guerra hoje é entre redes de empresas: Vários componentes dos produtos da Apple são fabricados por outras empresas (a tela de touch é da LG, a câmera é da Sony, etc) altamente competentes e especializadas na sua especificidade de produção. É importante criar um ecossistema de empresas parceiras e terceirizar aquilo que não é sua especialidade.

 

7 – Use a estratégia do “Fail Fast”: Falhe rápido, falhe constantemente e falhe de forma barata. Teste mais e com os dados dos resultados, aprimore seu produto e serviço antes de lançá-lo em grande escala.

 

8 – Power to the Edge (Poder para as pontas): Dê poder de decisão aos que estão no front  de batalha. Crie DRIs (Direct Responsible Individual,  ou indivíduos de responsabilidade direta). Esses profissionais responderão por uma etapa ou componente do seu processo de produção e trará respostas rápidas acerca dele.

 

9 – Crowdsourcing: A verdade é que fazemos crowdsourcing há muitos anos, mas o nome mais usado antigamente era “vaquinha”. Agora o crowdsourcing se transformou em uma possibilidade de evolução dos produtos e serviços usando pessoas que o utilizam. Interaja com seu cliente e demais colaboradores.

 

Palestras Ted style

 

Quatro palestrantes de peso assumiram o segundo momento do evento e, em curtas palestras de 20 minutos cada, abordaram temas bastante relevantes para os profissionais da internet.

 

Thales Brandão do Cidade Marketing atentou para o cuidado que se deve ter com a chamada síndrome do “Retorno a Curto Prazo” ou do “Vou Ficar Rico Logo”. Nossa colunista Erika Zuza tocou num assunto imprescindível para qualquer pessoa que administre algo online (seja o site de uma grande rede varejista, seja seu perfil pessoal no Facebook). Em sua palestra sobre Media Training e As Mídias Sociais, Erika deu dicas de como se comportar nas mídias sociais, falou sobre a importância da gestão de crises e alertou “Reputação é patrimônio”.

 

Edney Souza (o “Interney”) apontou quatro aspectos importantes sobre a produção de conteúdo online: 1) As pessoas não querem somente informações sobre um produto/serviço, elas também querem saber como usá-los e no que isso facilitará suas vidas; 2) Fale a linguagem do seu público, mesmo que isso queira dizer usar “gírias”; 3) Seja transparente e saiba que abrir e o jogo, reconhecer que errou e pedir desculpas vale ouro; 4) O planejamento é importante, portanto, faça um projeto editorial para a produção do seu conteúdo; e 5) Métricas e visibilidade não são tudo, afinal, mais que aparecer, seu objetivo é vender. Leandro Vieira veio mostrar seu case no Administradores.com e como um tímido grupo de discussão no Yahoo virou um grande portal que hoje tem mais de 860 mil fãs no Facebook e mais de 135 mil seguidores no Twitter.

 

Discussão Ted style

 

Martha Gabriel como curadora do 16º Encontro Locaweb em Recife,  além de palestrar também mediou uma discussão com os 4 palestrantes TED Style. Nessa discussão, o público interagiu com perguntas que giraram em torno de estratégias para a gestão de informação, na produção de conteúdo online e da construção da sua marca pessoal online, sem deixar de lado os riscos de misturar perfis pessoais com profissionais.

 

Painel TED encontro locaweb recife

 

Encerrando o evento, Martha assumiu o auditório para falar sobre as transformações no mundo da internet e de como tudo está acontecendo rápido demais num crescimento exponencial da tecnologia sem que a humanidade consiga acompanhar no mesmo ritmo.

 

Alguns conceitos como o Cibridismo apontaram para novos elementos que configuram nossa realidade como usuários: o On e o Off simultaneamente. A prova de que já vivemos essa realidade é quando nosso Twitter posta automaticamente tweets pré-agendados ou quando percebemos os resultados alarmantes de sintomas de abstinência quando o Whastapp saiu do ar, por exemplo.

 

Além disso, Martha também explorou a transformação nos ambientes digitais onde até mesmo os relacionamentos serão drasticamente redesenhados nos âmbitos corporal, cerebral e social. A complexidade nos relacionamentos também acompanha essa transformação. São muitas opções, muitas pessoas conectadas ao mesmo tempo e agentes altamente sofisticados atuando nesse contexto. As MEGA Tendências (Mobile, Data Economy, Real Time, Social e Sustentabilidade) ganharam espaço especial na palestra e Martha aposta que o futuro será pautado por elas através da juventude, ou seja, a geração Y.

 

Você estava no evento? Já participou de alguma edição? O que achou dos tópicos abordados pelos palestrantes?

Comente aqui e nos conte o que achou.