Segundo Michael Faraday, um dos cientistas mais importantes de todos os tempos, há cinco habilidades essenciais para que empresas empreendedoras alcancem o sucesso: concentração, discernimento, organização, inovação e comunicação. Neste artigo, vamos falar deste último. Você é microempreendedor e está querendo iniciar um processo de comunicação, mas ainda não sabe por onde começar?  

Existem pontos iniciais para estabelecer uma rede de comunicação entre o seu negócio e o seu público, que podem ser admiradores do seu trabalho ou clientes fiéis que você já conquistou. Se você está pensando implantar processos de comunicação, de forma estratégica, em sua empresa, é importante que saiba diagnosticar o modelo de interação, além de quais ferramentas utilizar.

Saber por onde começar e aonde quer chegar, também faz parte do processo, inclusive, faz parte da estratégia, já que muitas pessoas começam sem ter um “norte” para se basear ao longo do percurso. Este, portanto, será um tutorial dos primeiros passos a serem tomados. Vamos lá! Mas antes:

Reunião de Planejamento

Fonte: Annie Spratt / Unsplash.com

Necessidades para início de um processo de comunicação

O primeiro passo, na verdade, é você olhar para o seu trabalho/negócio e se perguntar: O que eu preciso? Isso mesmo. Defina o que é necessário para a sua empresa e para você, enquanto empreendedor.

No seu negócio, é mais importante aumentar as vendas ou divulgar o seu ponto? Fidelizar os clientes, aumentar o fluxo de pessoal no seu local ou criar as bases online da sua empresa? Será que seria interessante participar de eventos do seu segmento?

Faça uma lista de quais são as suas necessidades enquanto empreendedor. O que você está vendendo? Quais são as características de seu produto/ serviço? A partir disso, você terá mais clareza do que deve fazer ao pensar em um planejamento de comunicação.

Pilares para um processo de comunicação

Resolvido essa parte, pulamos para a montagem do planejamento de comunicação para a sua empresa. Lembre-se sempre qual é a sua missão, já identificada após você listar as suas necessidades conforme falamos acima.

A partir daí, você vai preencher algumas lacunas emergenciais e definir as plataformas necessárias para criar uma rotina de comunicação.

Ponto fixo (se existir)

Sua empresa está legalmente em funcionamento? Ela possui placas, peças tangíveis de comunicação (folheto, banner, cartão, cardápio, carta de serviços, etc)? Todos os funcionários estão treinados para atender aos clientes? Ela possui uma identidade? É fácil de ser lembrada?

Esses itens são importantes para que você já tenha uma noção de onde começar. Ao saber de suas necessidades, você vai ver quais destes pontos podem começar te ajudando no seu processo de comunicação empresarial.

Negócio online

Você ainda usa perfil ou é uma página de fato? Todos as informações de contato, localização, história e serviços foram adicionadas? Há arquivos de mídia que mostram o seu trabalho/serviços/produtos? Os clientes estão sendo respondidos? Há um profissional que orienta/produz/gerencia esse pilar da sua administração?

O trabalho de comunicação começa a partir da resolução desses tópicos, para checar o que falta para você alcançar esse objetivo. Tenha em mente que precisa organizar a sua vida empresarial primeiro e depois começar a produzir em cima da comunicação.

Começar uma rotina de conteúdo, antes de sanar estes problemas (e até outros mais), é um tiro no pé. Alinhado tudo isso, comece a planejar a linguagem da sua empresa para a sociedade, mas antes é importante entender alguns pontos.

Não pense em criar posts, artigos e vídeos com teor 100% comerciais, como se fosse um anúncio para TV. Fazer isso é se igualar a outras empresas que fazem marketing sem planejamento e estratégia.

Prospecção de clientes

Talvez essa seja a parte mais complicada para alguns empreendedores, afinal, não é todo mundo que tem habilidades com as mais diversas técnicas de vendas. Há diferentes formas de vender, e isso vai depender de cada tipo de produto ou serviço. Uma dica é ter uma pessoa própria para o comercial, caso esse realmente não seja o seu perfil.

Além disso, é importante que você saiba que o ideal é oferecer uma solução para o cliente. Qual é a real necessidade dele? O que você vende, realmente vai ajudá-lo no que ele precisa resolver? Tudo aquilo que representar a forma como seu negócio dialoga, requer doses de informação e conhecimento para ele.

Agora sim. Passado estas etapas, vamos verificar o que podemos fazer, em termos de conteúdo para o seu negócio. E mais uma vez, vamos dividir o trabalho conforme a sua necessidade.

Planejamento de Comunicação

Fonte: Tran Mau Tri Tam / Unsplash.com

Tipos de conteúdo para comunicação de microempresas

Há diversos tipos de conteúdo que podem ser utilizados desde o processo inicial, até o desenvolvimento das estratégias de comunicação e marketing. Vamos falar sobre alguns deles, que são os mais conhecidos.

O conteúdo de influência é um tipo de conteúdo feito quando você tem o objetivo de induzir alguém ou uma rede de pessoas a comprar, alugar ou consumir o que você está querendo vender. Essa influência pode vir de usuários com ou sem poder de compra, mas de decisão, assim como peças publicitárias, conteúdo inbound ou mesmo de publicações jornalísticas.

Há também o conteúdo demonstrativo, que é quando as peças de comunicação precisam mostrar visualmente o seu trabalho, produto ou serviço. E também o conteúdo da necessidade adquirida, quando a mensagem é escrita com o propósito de resolver uma demanda do cliente, através da necessidade da aquisição.

A partir daí, é necessário a criação/manutenção/aprimoramento dos canais onde o conteúdo será veiculado, compartilhado e receberá interação dos usuários.

Lembre-se que, além das tradicionais mídias sociais (Facebook, Instagram, YouTube, WhatsApp, etc), existem outras redes sociais, onde o conteúdo pode ser melhor consumido (SoundCloud para conteúdo musical, Flipboard para revistas, LinkedIn para comércio B2B e B2C).

Fique atento aos desastres

Clientes sem respostas ou sem a finalização da venda, reclamações sem resolução, falta de inovação, falha na comunicação direta, falta de conteúdo e até mesmo casos de violência e preconceito, são problemas graves, não apenas de comunicação, mas de estrutura da empresa, em termos de vendas e atendimento.

Atualmente, o nosso mundo digital conta com “hábitos de vigilância”, onde tudo que falamos e nossas ações são fiscalizadas, principalmente, quando a nossa marca se torna símbolo de uma causa. Por isso, evite que problemas como estes apareçam e estraguem a reputação do seu ofício. Não deixe que o seu trabalho caia por tão pouco.

Agora sim, você terá uma base de comunicação. A partir daqui, você vai conseguir mostrar com o que trabalha, o que produz e o que apoia. Todo esse conteúdo pode ser levado para o seu município, estado ou mundo afora. Para o meio digital não há limites.

Haverá outros artigos como este, onde poderemos aprofundar cada etapa e garantir o seu processo diário de comunicação. Lembrando que é extremamente necessário a presença de um profissional para te guiar e esboçar um planejamento ideal para o que a sua empresa precisa.

E aí, amigo, qual etapa você achou mais difícil?