E se na sua lua de mel, logo após se casar com uma pessoa alta e atlética de cabelos longos e sedosos antes de dar início à sua noite de núpcias você se deparasse com seu novo cônjuge descalçando um salto alto enquanto tira uma cinta e uma peruca logo após ter tirado dentadura e lentes de contato?

 

Provavelmente você sentiria a mesma coisa que muitos inscritos em canais do YouTube sem o anfitrião que esperavam devem sentir. Seu canal tem alguém (pessoa ou personagem) que personifique o conteúdo do mesmo?

 

Então leia até o final para entender como “O Cara” pode vir a ser “A Cara” que vai se conectar com a sua audiência.

 

 

Olho no Olho

 

De acordo com Matt Koval, estrategista criativo do YouTube, para alguns criadores a consistência de um canal é a mesma personalidade ou rosto estar sempre presente no canal. Por mais que um vídeo seja diferente do outro, a mesma pessoa ou pessoas estão lá marcando sua presença e carimbando sua marca. O próprio é consistente na série vídeos sobre os 10 Conceitos Básicos do YouTube. Apesar de sempre contar com diferentes celebridades da plataforma falando sobre os tópicos abordados, essa série tem garantida a presença de Koval como seu anfitrião.

 

Assim como o Dig (o Robô mais legal do Marketing Digital) é a cara do Portal Digaí, você pode apresentar para seu público alvo alguém com quem ele pode se identificar, gerando empatia ao humanizar a sua marca e estabelecer um maior potencial de engajamento, uma vez que sua audiência saiba “quem” está do outro lado.

 

 

Querido Vacilão

 

Um exemplo desse tipo de canal é o jovem prodígio Gustavo Horn, que faz vídeos para o seu canal de 2006, ainda um garotinho.

 

Hoje, em sua casa/estúdio/oficina/ateliê/etc, no qual seus canal é sediado, trabalha com seus amigos em nome da GusHorn Produções produzindo desde stop motions a curta metragens; criação de jogos; musicais; desenhos e animações; culinária; e praticamente tudo o que envolve entretenimento.

 

Além disso, Gustavo já criou canais alternativos nos quais ele podia explorar outros tipos de conteúdo como o Café com Ideias, HornGames, além de um outro experimental no qual tem apenas filmagens “cruas” do celular.

Em meio a tanta criatividade e versatilidade, periodicidade nunca foi o seu ponto mais forte.

 

Por algum tempo ele até se esforçou para publicar três vídeos por semana em dias e horários específicos, mas não podia se dedicar tanto a cada vídeo individualmente e estava inconformado com as visualizações que vinha obtendo.

 

No auge de sua dificuldade em ter frequência com a “cara” que ele queria, publicou o polêmico e decisivo vídeo curta de 2 minutos e 43 segundos: Tentação, que é um mix de desabafo e esclarecimento da situação. Porém ao estilo GusHorn de fazer as coisas. Com direito a roteiro, anjo, diabo e efeitos especiais.

 

 

 

 

Desse vídeo em diante estava estabelecido que ele não iria mais ter um formato ou uma periodicidade fixos. Seria sempre algo diferente, quando ele estivesse afim.

 

E, apesar de eu não recomendar que qualquer pessoa tome uma atitude dessas, é como ele está fazendo e ainda conta com uma audiência fiel que não apenas continua o seguindo, como também o defende tomando partido da sua causa.

 

Embora nenhum de seus expectadores tenha a menor idéia do que pode vir no próximo vídeo, uma certeza eles têm: Gustavo Horn estará lá. Mais recentemente ele enviou um vídeo explicando o que vem se passando nos bastidores:

 

 

 

 

Gustavo Horn é a única coisa que está presente em cada vídeo. E é o motivo pela qual sua audiência continua contando com novas inscrições e expectativas desses inscritos.

 

Esse é o poder de um — personal branding — sólido e consistente.

 

 

Enfim

 

 

Deixando bem claro, esse não é um exemplo que deve ser encorajado a seguir seguido por qualquer pessoa. Afinal, várias décadas de boa reputação podem ser corrompidas com um simples mal entendido, que dirá uma decisão abertamente premeditada com relação ao não cumprimento da entrega do que você se comprometeu com sua audiência.

 

O próprio Gustavo Horn perdeu credibilidade de muitos seguidores decepcionados e dificilmente poderá conseguirá convencê-los de que irá manter sua palavra.

 

Por que então mostrar o seu caso?

 

Por que errar é humano.

 

E quando as pessoas estão diante de um ser humano, com suas qualidades e seus defeitos mostrando transparência e honestidade, um vínculo pessoal é estabelecido. Uma amizade começa. E assim como relevamos as limitações de amigos íntimos, os seus pontos positivos serão uma razão maior para permanecer.

 

Digaí nos comentários se você começou a acompanhar algum canal por causa de nele que te cativou e se já perdoou algum vacilo do mesmo.
E como sempre:


Muito sucesso para você!

 

Conheça o e-book “7 Lições Que Aprendi Com os Youtubers de Sucesso”, do Felipe Pereira, clicando no link:
BAIXE AGORA!