Você já deve ter percebido que a quantidade de YouTubers no Brasil tem crescido bastante. A maioria se cadastra, cria um canal, começa a produzir vídeos, mas logo desiste, pois percebe que não é tão fácil quanto parece. Por outro lado, há os que investem o que pode (e até o que não pode) e assume grandes responsabilidades no que diz respeito ao gerenciamento de sua imagem.

Segundo dados da plataforma, a mídia atinge 1.8 bilhões de usuários mensalmente. Eles produzem conteúdo relevante para seus seguidores e se tornam, com isso, responsáveis pelo crescente número de canais na mídia.

O que nem todo mundo sabe é que esses produtores de conteúdo se dedicam muito mais do que se imagina. Pensar no assunto, entender o que o seu público espera de você, gravar, editar, descrever, publicar, mensurar resultados e divulgar em outras mídias, são alguns dos processos que fazem parte da rotina dos YouTubers no Brasil.

youtuber estressado

Fonte: Lukasbieri / Pixabay

YouTubers no Brasil e o marketing de influência

Diante de todo o processo de atividades que envolvem desde a criação do canal, até à alimentação e divulgação dele, existe muito “por trás disso”.

Além de passar conteúdo para a sua audiência, esses YouTubers precisam se preocupar muito com a sua imagem, pois um de seus objetivos com o canal é ser visto por empresas ou parceiros como parte de uma estratégia de marketing.

O marketing de influência é um ponto primordial para eles, principalmente para os produtores individuais que usam essa mídia social como principal fonte de renda e meio profissional. E para que uma empresa associe sua marca à uma figura do YouTube, é preciso conhecer bem sobre a imagem dele.

A recomendação é que o usuário, antes de produzir qualquer conteúdo, se pergunte: quem eu quero influenciar? Além disso, é importante estar ciente de que nem toda influência é positiva, e isso é capaz de acabar com qualquer marca/produtor individual.

youtube aberto no computador

Fonte: Pixabay

Gestão da marca pessoal dos YouTubers no Brasil

O Personal Branding, ou gestão de marca pessoal, é um termo indispensável para esses influenciadores. É a partir dele que esses produtores de conteúdo conseguem crescer e ser vistos como desejam, e de forma positiva, coisa que nem sempre acontece.

O erro é que, em muitos casos, o YouTuber se concentra apenas em visualizações, seguidores, likes e comentários, e isso não é tão válido se comparado à importância do Personal Branding, que muitas vezes não faz parte do planejamento do YouTuber.

E aí, amigo, você já analisou a postura de algum YouTuber?