Em abril deste ano falamos aqui no Digaí sobre o PegaBot, uma plataforma que detecta perfis de bot no Twitter. O objetivo da ferramenta era sinalizar os perfis que não produziam conteúdo de forma orgânica e sim por robôs. Como forma de intensificar esse monitoramento, o Twitter agora tem perfil que combate as fake news.

Da mesma forma que o PegaBot, o intuito é evitar que notícias falsas circulem pela rede social. Esse é um fato que tem despertado grande preocupação até mesmo no governo federal, principalmente pelo fato de 2018 ser um ano eleitoral. É muito comum que nessas épocas muitos perfis comecem a propagar informações com o objetivo de denegrir ou enaltecer algum candidato.

notebook com imagem do twitter

O Twitter e as fake news

Para combater as fake news o Twitter lançou o seu próprio perfil, batizado de @fatimabot. A proposta aparenta ser bastante interessante e, se funcionar como o esperado, vai dar muita dor de cabeça para quem utiliza a rede social para propagar informações falsas. Essas pessoas, inclusive, já estão na mira do “caçador de fake news”.

Até mesmo Jair Bolsonaro já foi alvo de matérias manipuladas para defender a sua imagem. Logo que um perfil compartilhou um link com uma notícia falsa, o @fatimabot entrou em contato exibindo um link com o conteúdo verdadeiro. Além dessa notícia, a descoberta da cura do diabetes tipo II também foi negada pelo perfil do Twitter.

mulheres olhando celular

O perigo das fake news

As fake news são bastante perigosas nas redes sociais, principalmente em um mundo em que poucas vezes os usuários verificam a veracidade da informação. Por essa razão que o @fatimabot se torna um grande aliado para a proteção da veracidade.

Esse perfil, por sinal, já havia sido anunciado em abril, como um projeto de parceria entre o Facebook e o site Aos Fatos, que faz uma checagem de informações na internet. O nome do perfil é derivado das palavras “fact”, “machine” e “bot”, algo como fatos, máquina e robô. Desde que começou a operar, o @fatimabot já identificou mais de 500 mensagens falsas.

E aí, amigo, você costuma verificar a veracidade das informações que compartilha na internet?