O mercado online se mostra cada vez mais lucrativo para os lojistas. De acordo com a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o e-commerce brasileiro deve faturar quase R$ 38 bilhões no segundo semestre, sendo um resultado recorde para o setor.

 

Em comparação ao mesmo período do ano passado esse montante representa um crescimento de 15%. Embora esse valor seja uma estimativa após uma análise do que já foi vendido no primeiro semestre desse ano em comparação ao primeiro semestre de 2017, a expectativa é que previsão se concretize.

 

E-commerce brasileiro

 

De acordo com a ABComm, o tíquete médio nos últimos seis meses do ano deve ser de aproximadamente R$ 310. Em relação a quantidade de produtos vendidos a entidade espera que as lojas entreguem pelo menos 122 milhões de pedidos. Isso é mais que o dobro de vendas do ano passado todo.

 

A tendência é que o segundo semestre tenha uma maior quantidade de pedidos que a primeira parte do ano. Isso se deve ao fato de datas sazonais que movimentam o mercado brasileiro, como o Dia dos Pais, Dia das Crianças, Black Friday e Natal. Essas duas últimas uma das mais aguardadas pelos lojistas e clientes.

Superando obstáculos

 

Vale salientar que o varejo offline e online teve que lutar contra alguns obstáculos nos primeiros meses do ano. Entre eles a greve dos camioneiros, que afetaram tanto os consumidores quanto os lojistas. Mas ao que parece esse evento não vai abalar o ritmo de crescimento do segmento.

 

Mauricio Salvador, presidente da ABComm, revelou que mais de 3 milhões de pacotes atrasaram no período da greve. No segundo semestre uma data que pode afetar o setor são as eleições, mas a expectativa de Salvador é que o e-commerce brasileiro não vá ser influenciado o bastante em 2018.

 

E aí, amigo, sua empresa está preparada para alavancar as vendas no segundo semestre de 2018?