De acordo com a pesquisa sobre o e-commerce brasileiro feita pela empresa global de logística, UPS, o país possui a quinta maior internet móvel do mundo. Além disso demonstra forte demanda por varejistas estrangeiros, já que mais de 80% dos consumidores brasileiros afirmam já ter realizado pelo menos uma compra online internacional. Cerca de 60% dos entrevistados preferem a China e citam os preços baixos como o principal motivo para comprar.

duas pessoas em uma reunião de negócios

Dados da pesquisa sobre o e-commerce brasileiro

O relatório, conduzido pela comScore Inc, avaliou os hábitos de compra do consumidor, desde a pré-compra até a pós-entrega, e fornece as informações sobre comportamentos e preferências das pessoas que compram online. A diretora do marketing da UPS Brasil, Kátia Tavares, aponta que o mercado eletrônico do país continua apresentando oportunidades chamativas para varejistas de todos os países. O setor está com a expectativa de crescer 12% em relação ao ano de 2017, e espera faturar mais de R$ 53 bilhões.

Os consumidores brasileiros possuem a maior taxa de satisfação com a experiência de compra do mundo inteiro (88%) e preferem pesquisar e comprar online (40% das vezes), números acima de populações como as dos Estados Unidos, Europa e Canadá.

mulher tocando a tela de um smartphone

Preferências personalizadas

Ainda segundo a pesquisa, os brasileiros preferem ter os pedidos entregues em locais de entrega alternativos, crescendo de 26% em 2015 para 55% em 2018. O retirada em loja é outra preferência dos clientes – cerca de 44% afirmaram ter usado o método pelo menos uma vez no ano passado e 67% dizem planejar usá-lo novamente este ano.

O uso dos dispositivos móveis é uma grande tendência entre os usuários brasileiros, já que 90% dos compradores virtuais do país utilizam smartphones. É a segunda maior porcentagem do mundo, atrás apenas do México. Quase 60% dos consumidores já fizeram alguma compra através de um smartphone, o que representa um aumento de 40% em relação a 2015.

Mesmo em meio a crise econômica, o e-commerce brasileiro continua crescendo e se tornando um dos maiores mercados do mundo.

E aí, amigo, o que você acha dos resultados? Conta pra gente!