De acordo com uma pesquisa realizada pelo Cuponomia, um portal que reúne ofertas e promoções, existe uma grande variação nos preços de frete de acordo com a cidade de origem e o destino dos produtos adquiridos. No geral, o reajuste no valor dos envios anunciado pelos Correios no início do ano gerou um aumento de até 40% no valor para algumas cidades. O levantamento foi feito entre 5 de março e 7 de abril, e os preços foram avaliados antes e depois das mudanças aplicadas.

frete mais caro após reajuste correios

Dados da pesquisa

O portal levou em conta quatro capitais brasileiras: São Paulo, Porto Alegre, Brasília e Salvador, bem como lojas de diversas categorias, todas entre os nomes mais fortes do comércio eletrônico no país. Em alguns casos, o encarecimento foi de apenas 4%, mas em outros, as taxas chegaram a subir até os 40%, o que é considerado altíssimo.

O maior aumento foi encontrado em um envio de “copo de viagem” para a capital do Rio Grande do Sul, que custava R$ 12,03 e depois do reajuste subiu para R$ 16,80. A menor subida foi detectada no envio de um tênis para a cidade de São Paulo, passando de R$ 8,90 para R$ 9,30. No meio destes números, está Salvador, recebendo um crescimento de 25% no valor da entrega de uma televisão de 43 polegadas.

frete mais caro após reajuste correios 01

Os estados mais impactados

Enquanto alguns lugares conseguem obter uma pequena redução nos preços do frete, outros se prejudicam mais ainda, como os estados do Norte e Nordeste. Segundo a pesquisa, o envio de produtos de diferentes categorias para as duas regiões pode custar até quatro vezes mais do que a entrega em São Paulo ou Porto Alegre, por exemplo. Produtos como o PlayStation 4 saem por R$ 30 para a capital paulista, enquanto para a Bahia o custo é de R$ 138.

A explicação é a localização geográfica das lojas e das suas parceiras de logística, que geralmente estão no eixo Rio-São Paulo. Quanto maior a distância percorrida, mais alto é o custo do envio. Entretanto, este não é o único argumento. No caso do Rio de Janeiro, os Correios defenderam a aplicação de uma tarifa extra de R$ 3 para os envios por conta da situação de segurança pública do estado.

E aí, amigo, o aumento do custo de frete está afetando o seu negócio?