Não é novidade que a importância do marketing digital cresce a cada ano, tanto para as pessoas como para as empresas, que o utilizam para aproximar-se de forma efetiva dos seus clientes. Um dos canais mais utilizados na internet são as redes sociais, que são utilizadas para criar relacionamento com o público. Sua utilização tem como foco o engajamento dos usuários online, que mede o quanto uma pessoa está envolvida com alguma coisa – nesse caso, com a marca em questão.

 

Em um estudo desenvolvido em conjunto por Arnaldo Silva Junior, Jorge Correia-Neto e eu, foram identificados aspectos que influenciam as interações dos usuários no Facebook. Essa é atualmente a rede social mais utilizada pelos brasileiros – segundo o Socialbakers, o Brasil é o país que possui o segundo maior número de usuários do Facebook no mundo, sendo que aproximadamente 28% de brasileiros (56 milhões) utilizam essa plataforma.

 

Mas não é apenas o aumento no número de usuários que deve ser estudado. É preciso também conhecer e compreender o perfil dessas pessoas que utilizam as redes sociais, para que as empresas saibam a melhor forma de investir em seu marketing. Para que isso seja bem feito e traga bons resultados, é fundamental que seja feito um planejamento de comunicação, que deve se basear no comportamento do seu público alvo, qualquer que seja o segmento de atuação da empresa.

 

Para compreender esse processo, fizemos um estudo com as 05 maiores páginas de instituições de ensino superior no Facebook. Analisamos todas as postagens dessas páginas durante determinado período para identificar a variação do engajamento do público de acordo com o tipo de conteúdo.

 

Após as análises realizadas, foi constatado que vários fatores podem influenciar a interação dos usuários com as páginas, com maior destaque os tipos de postagens (texto, imagem, enquete, etc.), se a postagem era própria ou de terceiros, se ressalta benefícios, se destaca a marca da empresa, o professor ou um aluno e o assunto abordado. A pesquisa mostrou diferenças significativas do ponto de vista estatístico no engajamento dos posts de acordo com essas características.

 

É preciso ter em mente que a equipe responsável pelas publicações deve estar sempre atenta a esses aspectos e criar postagens seguindo as características que mais influenciam seu público. Desse modo, haverá um maior engajamento e, consequentemente, retorno do investimento em mídia social para a marca – algo que é muito cobrado pelas empresas.

 

Outra constatação da pesquisa foi que, em geral, as taxas de curtidas nas páginas estudadas são superiores às de compartilhamento que, por sua vez, superam as de comentários. E o que isso indica?

 

Que os usuários buscam atividades que exijam menos esforço de sua parte quando utilizam as redes sociais. Curtir exige menos “trabalho” (cliques) do que compartilhar, que é mais simples do que comentar. Desse modo, para obter um comentário ou compartilhamento (que aumenta o alcance da marca mais do que um simples curtir), as empresas precisam ser mais criativas em seu conteúdo, estimulando os usuários.

 

O resultado da pesquisa está em um artigo apresentado no Simpósio Brasileiro de Tecnologia da Informação e publicado na Revista Brasileira de Administração Científica. O artigo pode ser acessado aqui nesse link.