– O que você faz? 

– Sou atriz (ator) e modelo. 

Quantas vezes vocês não viram ou ouviram esse tipo de resposta, principalmente em programas de auditório, como Faustão? Sim, pseudo-celebridades escamoteadas em profissões de carteira assinada como modelo, ator e até jornalista.

Mas esses tempos acabaram.

Ex-BBBs, por exemplo, já ficaram muito manjados e não emplacam mais nem capa de revista como modelos. Com o boom de séries de TV de altíssima qualidade, falar que se é ator/atriz, também não cola, a não ser que você queira ser figurante. Jornalista, então, nem precisa comentar. Ou você é parente do William Bonner ou tem que aprender gramática.

Agora a moda é dizer:

SOU SOCIAL MEDIA!

O problema é que, quando simplesmente todo mundo decide dizer que é Social Media, fica praticamente impossível encontrar um Social Media de verdade no mercado.

Mas, Marcos, deixa de ser chato. Você já ouvir falar em profissionais autodidatas?

Olha, eu já troquei mangueira, pneu, seta, bateria, farol e até cebolinha (dá um google aí) do meu carro. Mas isso não significa que eu seja um mecânico, e sim que eu tenho contato com um automóvel.

O que vemos no LinkedIn é uma enxurrada de jovens supostos Social Medias recém-aparecidos e recém-contratados que, bottom line, apresentam um conhecimento que, muitas vezes, é resumido a logar nas principais redes sociais, enviar “emojis”, criar hashtags e, claro, cutucar o “crush”.

Não. Ter contas nas principais Redes Sociais não te faz um Social Media, mas um Social Media Login. 

O Social Media Login é aquele que entra e sai do Facebook, Instagram e Twitter, posta alguma coisa e fica por isso mesmo: ele acha que seu trabalho está terminado.

Então o que, diabos, faz alguém um Social Media, além de conhecer as principais Redes Sociais? Na verdade, é simples.

  • Saber escrever
  •  Entender a persona – linguagem do cliente/marca
  • Saber dialogar
  • Gostar de ler
  • Ter visão estratégica

Visão estratégica: o principal diferencial entre o Social Media Login e o Social Media

social-media-digai

Calma. Se você, a essa altura, se considera um Social Media Login e está doido para fechar essa janela, é hora de fazer mea culpa.

É que não é só você, mas o mercado, como um todo, ainda não foi educado para olhar as Redes Sociais do ponto de vista estratégico.

Ou seja, no Brasil, agências, empresas e especialistas tratam o Facebook, que atualmente possui mais de 93 milhões inscritos, como uma vitrine amorfa, onde são expostas peças sem nenhuma utilidade aparente, cabendo ao Social Media o papel de “montador de vitrine”.

No entanto, adivinhe…

Social Media não é montador de vitrine

Longe disso. Social Media é o profissional que entende profundamente de:

  • Marketing Digital e metodologias como Inbound Marketing;
  • Conteúdo útil e relevante do Marketing de Conteúdo;
  • Ferramentas como e-mail marketing;
  • Principalmente, do papel das Redes Sociais dentro de qualquer estratégia.

E qual, geralmente, é o papel das Redes Sociais dentro de uma estratégia?

Basta dizer que é no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn que estão as pessoas hoje em dia, conversando, absorvendo conteúdo, divertindo-se, namorando, engajando… Ninguém quer pregar no deserto, quer? Tendo isso em conta, podemos elencar:

  • Relacionamento com o público-alvo;
  • Engajamento;
  • Nutrição;
  • Promoção e divulgação de conteúdo;
  • Geração e atração de tráfego;
  • Branding.

Isso para ficarmos apenas em alguns pontos!

E como é hoje, no mundo dos Social Media Login e do mercado das Redes Sociais de vitrine?

Não é nada bom, tenho que dizer. O mais sintomático nesse cenário é encontrarmos:

  • Páginas de empresas com menos de 500 curtidas e postagens frequentes – ou seja, conteúdo sendo “desperdiçado” em função de falta de estratégia;
  • Páginas de empresas com muitos “k” de curtidas e, no entanto, postagens sem engajamento nenhum – curtidas conquistadas através de estratégias feitas sem segmentação;
  •  Redes Sociais dissociadas de blogs e sites – clientes que não entendem o propósito de se alimentar as redes sociais com conteúdo próprio e relevante para as personas (personas? o que é isso?)
  • Redes Sociais que destacam posts de páginas de outros clientes/marcas/empresas – sem contextualizar o motivo;
  • Redes Sociais que funcionam mais como um reservatório de peças gráficas e textos – sem nenhuma consonância com a linguagem das personas;
  • Mesmo conteúdo replicado para todas as redes sociais, sem nenhuma distinção em função das características de cada um;
  • Clientes e profissionais extremamente atrelados às chamadas “métricas de vaidade” como número de curtidas em uma postagem, deixando de lado KPI’s (Key Performance Indicator) e ROI (Return of Investment), ou seja, resultados reais e que geram dividendos para o cliente;
  • Prática inexistente de testes A/B em se tratando do que funciona ou não funciona para cada rede social – o que leva ao retrabalho e a equipes reféns das aprovações pessoais como o famigerado “gostei” ou “não gostei”.

O maior desafio do Social Media: provar o valor estratégico das Redes Sociais

Sim, meu amigo. Aqui não tem para Social Media Login. Nesse território em que todos estão mais perdidos do que nunca, cabe a você a missão de provar o valor estratégico das Redes Sociais.

Provar que uma empresa não tem que estar no Facebook apenas e simplesmente porque os concorrentes também estão.

Que uma imagem esteticamente desagradável, porém que gera engajamento e viraliza, vale mais a pena em termos de resultados do que uma imagem belíssima, a qual apenas os primos do dono da empresa curtem.

Como diria Chris Martin, nobody say it was easy. Mas já passou da hora de pararmos de mentir para nós mesmos e para o mercado. Nem que seja para recomeçar tudo do início. Fim ao Social Media Login. Fim às Redes Sociais de vitrine. Fim aos Social Media’s ex-BBB’s!
social-media-digai

E você? É um Social Media Login ou Social Media? Conhece o primeiro tipo? Como sua empresa trata as redes sociais? E os seus clientes, como as veem? Conta aí pra nós pelos comentários!