Você já sentiu o seu coração batendo mais forte ao ler um simples texto?

Às vezes nos deparamos com histórias que nos prendem: sobre alguém que sofreu bastante na vida, um projeto que deu certo ou muito errado, um relato de serviço mal feito por determinada empresa, ou puramente uma opinião de Facebook diferente da sua, suficiente para te fazer corar e não pensar duas vezes para comentar e rebater.

São textos que tiveram o poder de provocar uma agitação de sentimentos enquanto você lia. Seja pela identificação com o que estava escrito, pelo fato de causar contrariedade, ou por algum elemento específico que gerou envolvimento com aquele contexto.

As palavras têm o poder de ativar as modalidades sensoriais do leitor, ou seja, fazê-lo inconscientemente sentir, ver, tocar, ouvir e provar… Tudo isso enquanto ele lê e entende com clareza a mensagem que está sendo transmitida.

Isso é possível quando as palavras certas são usadas para persuadir o seu público a partir das emoções produzidas.

Como escrever melhor: use palavras para provocar as emoções certas. Imagem: Pixabay

Como escrever melhor: use palavras para provocar as emoções certas. Imagem: Pixabay

 

Então, a equação até parece simples de resolver: basta contar uma história super emocionante com uma chamada para ação no fim e tá tudo resolvido?

Na prática não é tão simples assim, infelizmente…

Do Que Estamos Falando:

Por exemplo: Sabe aqueles vídeos de vendas de produtos digitais que são feitos no estilo apresentação de slides? Veja o exemplo abaixo de um produto de desenvolvimento pessoal e sedução disponível no Hotmart:

É um vídeo simples, como se fosse uma apresentação de Power Point. Mas segue um roteiro cuidadosamente preparado para persuadir.

Em resumo seria: uma quebra de padrão que gera curiosidade (imagem da girafa no início), uma grande história de pesadelo, a jornada do herói que resolveu o problema, dicas de como começar a melhorar o principal problema do público e apresentação de uma fórmula para resolvê-lo de vez.

Trata-se de um formato utilizado com sucesso por dezenas de produtores digitais e que é capaz de gerar, entre outras sensações: medo, dor, prazer, curiosidade…

São vários passos, que utilizam elementos de Programação Neurolinguística (PNL), em que o objetivo principal é o de criar uma razão forte o suficiente para que o potencial cliente assista todo o vídeo (que geralmente é grande) e tome uma ação para começar a implantar mudanças na sua própria vida, a partir do desejo que foi gerado.

Se você trabalha como produtor ou afiliado profissional e utiliza (ou pretende utilizar) o Marketing de Conteúdo, deve saber que um texto muito bem escrito em um blog, e-mail, Facebook, Instagram, ou qualquer meio utilizado, pode significar uma avalanche de conversões e vendas.

Portanto, é realmente importante saber como escrever melhor com o intuito de persuadir. Porém, acertar o alvo com precisão na hora de produzir e realmente conseguir provocar sensações únicas no seu leitor não é tarefa das mais fáceis…

Então, preste muita atenção nestes 3 passos comprovados que podem ser um divisor de águas para os seus posts/e-mails a partir de hoje: 

 

1 – Enriquecendo o Texto

Você pode (e deve!) utilizar das mais diferentes mídias nas suas publicações, especialmente áudios e vídeos. Eles devem ser complementares ao seu texto e poderão ajudar a criar toda a atmosfera de conversão que você pretende.

Para algumas pessoas, basta ler o texto que a imaginação começa a fluir com facilidade, outras precisam escutar com atenção (aprendizagem auditiva), também tem aqueles que bastam visualizar imagens (aprendizagem visual); e ainda há quem precise pôr em prática o que acabou de ver.

Por isso é importante repassar dicas práticas de ações que o seu leitor deve evitar ou de como fazer para resolver o problema que ele está vivendo.

 

como-escrever-melhor-modalidades-sensoriais

Descubra como o seu público reage aos diferentes tipos de mídias. Imagem: Pixabay

 

 

 

 

 

 

 

 

Obviamente tudo depende de testes e de como os seus leitores reagem às suas publicações. Com o tempo você passa a conhecer melhor os gostos e a substituir o que não funciona pelo que é mais eficaz.

Cada pessoa tem diferentes percepções com relação ao conteúdo, porém, é preciso mapear os principais padrões e entender como é possível conectar com as emoções primordiais do seu público e saiba lidar com as variâncias, corrigindo o percurso até chegar ao máximo de eficácia.

“O que acontece quando você fala ou escreve para alguém e a resposta que você recebe é de conteúdo completamente inesperado? Às vezes, você poderá partir do princípio de que as pessoas estarão sendo inadequadas ou ignorantes ao não responderem da maneira que você espera. Enquanto colocar o ônus em cima delas para de algum modo chegar à sua própria interpretação do que está “certo”, você não conseguirá mudar as coisas. Contudo, assim que entender seu próprio papel na equação, você poderá considerar fazer algo diferente para conseguir passar a mensagem pretendida” – Mo Shapiro ¹

Não importa se você tenha que ‘destruir’ um conteúdo, começar tudo de novo ou mudar completamente a sua maneira de se comunicar com o alvo.

Acerte o alvo com precisão. Imagem: Pixabay.

Ao produzir conteúdo, acerte o alvo com precisão. Imagem: Pixabay.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O seu papel é reprogramar o seu modo de produzir conteúdo quantas vezes for necessário para conseguir atingir como um tiro à laser o coração do seu leitor.

Dentro dessa perspectiva, também precisamos falar sobre um campo primordial e que muitos profissionais têm dificuldades ou não conseguem chegar ao que realmente importa: todas as importantes definições acerca da sua persona.

 

 

2- Como Escrever Melhor: O Tiro Importante No Público:

“Pô, Murilo! Mas de novo falar sobre persona?”

Calma aí que hoje quero tratar deste assunto de uma maneira um pouco diferente:

Você provavelmente já sabe que é preciso definir com muita precisão a sua persona,  sabendo quais são seus anseios, dores, sonhos, o que gosta de ler, ouvir, assistir, etc…

E para saber como escrever melhor para o seu público, é preciso dar uma atenção especial à linguagem utilizada, ou seja, a maneira de falar, como se comunicam entre si, o que consideram realmente importante na hora de ler e o que geralmente identificam de longe como sendo uma ‘encheção de linguiça’.

Como escrever melhor e persuadir: vá a fundo nas expressões do seu público-alvo.

Como escrever melhor e persuadir: vá a fundo nas expressões do seu público-alvo. Imagem: Pixabay

Assim você pode realizar um processo de word mapping, ou seja, é possível criar categorias e combinações persuasivas junto das principais palavras-chave usadas pelo seu público.

Você encontra diversas listas de palavras que vendem e que provocam impacto em quem está lendo. E sim, é importante usá-las. Mas faça isso de modo que consiga dar maior intensidade de acordo com essa combinação: frases mais utilizadas pelo público + palavras persuasivas.

 

NA PRÁTICA:

Vamos supor que você trabalhe com produtos no nicho de emagrecimento e está começando campanhas e produção de conteúdo nessa área.

Iniciar um processo de análise de discurso é simples: basta ir até os lugares que o seu público está, seja em páginas do Facebook, grupos de discussão, se fazem reviews de livros, entre outros, para ver quais são as discussões importantes e mapear as palavras mais utilizadas.

Só para termos um exemplo rápido aqui, fui até a Amazon e acessei os reviews de um dos livros mais vendidos sobre emagrecimento.

Dá só uma olhada em alguns dos comentários:

 

Fonte: Amazon.

Fonte: Amazon.

 

Portanto aqui já é possível identificar algumas palavras importantes e frases de impacto para este público:  dietas da moda, estaca zero, dieta de abstinência, abstinência de tudo, sacrifício, morrendo de fome, etc…

Então, o seu texto poderia ter uma chamada ou começar com um tom mais ou menos assim:

“As dietas da moda sempre fazem você voltar para a estaca zero? Chega de sacrifícios e das dietas com abstinência! Conheça os segredos do novo método comprovado por centenas de pessoas que não te faz morrer de fome…”

Note como é possível usar as frases utilizadas pelo público em conjunto com as palavras suculentas que despertam a curiosidade: segredos, novo, comprovado…

Não esqueça que este é apenas um exemplo e considere gastar o tempo necessário para realizar a sua pesquisa acerca das expressões utilizadas pela persona.

Comentários em posts, blogs e em grupos também são uma ótima opção.

 

3 – Afinidade: Sua Principal Arma de Persuasão

Note que tudo o que falei até agora se resume em criar afinidade com o seu leitor. Você deve estabelecer uma relação de confiança e nada melhor do que falar a mesma língua, entendendo com precisão o que ele quer de você.

“Quanto mais sensíveis a esses aspectos nas outras pessoas, e quanto mais os respeitarmos, maiores as chances de estabelecermos relações que levem à afinidade. Afinidade é influência”, – Sue Knight.²

O seu cliente vai se aproximar e ter confiança em você, porque ele sentiu algo de positivo. E isso é o principal trunfo quando falamos de Inbound Marketing.

Neste vídeo o Felipe Pereira fala sobre isso e é possível notar como a conexão com o público é um elemento chave para ter sucesso nesta  modalidade:

 

DICA BÔNUS:

Se você também precisa aprender técnicas para deixar os artigos do seu blog impecáveis e com elementos fantásticos de conversão, recomendo que acesse este artigo aqui, em que falo sobre como escrever um artigo matador para o seu blog ou site.

 

Tem alguma dúvida sobre produção de conteúdo? Deixe seu comentário e vamos trocar umas ideias!

 

Também não esqueça de compartilhar este conteúdo com os seus amigos e colegas que precisam aprender sobre como escrever melhor…

 

Um grande abraço e até a próxima!