– Pelamordedeus, como é que eu aplico o Inbound na minha Agência? E sozinho? 

inbound marketing em agencias

Pedidos de socorro como esse (ou prenúncios de suicídio, a verdade é que nunca consigo distinguir muito bem)  são infelizmente cada vez mais comuns no circuito das Agências Full Service (inclusive as que se intitulam de Marketing Digital, tá????).

Seus gestores sabem – ou pelo menos ouviram falar em algum lugar – que o Inbound é a solução para a consolidação de ativos diante da crise econômica, e saem catando o primeiro profissional – famoso cabeça de bacalhau do mercado – que aplica um bold em Especialista Inbound no seu currículo online.

Daí a situação, no mínimo esdrúxula, de se deixar por conta do pobre coitado(a) a árdua tarefa de levar à frente o tal “Inbound” praticamente sozinho dentro da Agência, tendo que se desvencilhar de uma cultura já arraigada, uma estrutura normalmente viciada e uma hierarquia completamente confusa (pelo menos à primeira vista).

E quando não cabe ao “trovador solitário” do Inbound ter que se entender com os demais setores (arte, criação, web, etc) pra ver se encaixa suas concepções (como, por exemplo, qual a função de uma landing page) com o processo de trabalho alheio, “ai” dele se profere a request:

– Ah, mas agora precisamos montar uma equipe de Inbound. 

[Tela azul] O gestor provavelmente está apostando em algo que não conhece muito bem, que não sabe se dará certo e nem se você será a tal pessoa que conseguirá fazer dar certo. E agora é preciso arrumar mais budget para contratar uma equipe? Na na ni na não.

Marque o resultado:

a) Se o “Loner Inbounder” sobreviver aos primeiros 3 meses de trabalho, vai no máximo conseguir repassar à equipe noções de Inbound Marketing;

b) O Loner Inbounder vai abandonar o marketing para virar dono de Food Truck;

c) Se tiver muita, mas muita sorte, vai conseguir tirar da cabeça de quem o contratou, a ideia de que:

PARA AGÊNCIAS, INBOUND MARKETING É UM ENTREGÁVEL, E NÃO UMA METODOLOGIA 

Sim. O erro mais grotesco das Agências é tratar o Inbound Marketing assim como tratam um Outdoor da Marina Ruy Barbosa, uma campanha na TV, um pôster no estacionamento subsolo do shopping, etc…

Ah, podemos acrescentar um Inbound na conta desse cliente, acho que é a cara dele. Dá para fazer um funilzinho de vendas para até amanhã de manhã?

MEU DEUS, NÃO, MIL VEZES NÃO!

Geração de leads – se esse for mesmo o KPI (Key Performance Indicator) do cliente, a métrica pela qual você analisa a evolução do projeto – demora no mínimo 3 meses para começar a acontecer. Então, não pense que você vai entregar clientes embrulhados para presente no dia seguinte ao do pedido do projetinho lindo de Inbound.

Mais conclusões brutais sobre Inbound Marketing em Agências

Em pouco mais de 2 anos – que mais parecem 20, em termos de aproveitamento, suor e lágrimas – já tive a oportunidade de ver muita coisa acontecendo no campo do marketing digital por aqui.

Quer dizer, não só “ver”, mas, na prática, escrever até dar calo nos dedos sobre inúmeras tendências, novos conceitos, técnicas, estratégias, etc. São pelo menos 300 artigos espalhados pela web, sem contar os que assino.

Além disso, tive o privilégio de trabalhar tanto dentro e fora de uma Agência, o que amplificou minha visão sobre o tema, algo que minha formação de jornalista também me ajudou a interpretar.

E, claro, toda essa vivência me trouxe conclusões. Algumas brutais.

A principal delas é…3,2,1, voilà:

PROFISSIONAIS DE AGÊNCIAS NÃO ENTENDEM INBOUND MARKETING 

inbound marketing em agencias

Eis a principal (e mais triste) realidade. E não estou nem falando da metodologia do Inbound Marketing em si, mas dos conceitos mais básicos. Personas, Leads, conteúdo de topo, meio e fundo de funil.

Acredito que as Agências não investem nesse tipo de conhecimento para seus funcionários, até porque não casa com o ritmo frenético de entregas da rotina diária.

Assumir que não se entende o Inbound Marketing é o primeiro passo para conseguir implantar o Inbound Marketing como um serviço de qualquer Agência. O problema é que me parece que muitas não estão dispostas a perder tempo com isso…

MARKETING DE CONTEÚDO É REBAIXADO A ANÚNCIO PUBLICITÁRIO

Inevitavelmente, um desconhecimento leva a outro e acaba causando uma catástrofe. Ou seja, se o profissional de Agência não sabe sequer distinguir qual a proposta de conteúdo de topo, meio e fundo de funil, obviamente ele não saberá argumentar com o cliente por que o artigo dele foi entregue sem nenhuma menção ao seu produto/serviço.

Uma das maiores dificuldades das Agências é convencer os clientes de que o nome do seu produto/serviço não precisa ser exposto em conteúdos de topo e meio de funil.  

 É imprescindível que as Agências saibam distinguir press-releases de anúncios publicitários e, consequentemente, de posts de marketing de conteúdo voltados para o Inbound Marketing. E que isso, de fato, faça sentido para o cliente.

Ou senão, você há de convir que é muito esquisito pagar alguém para falar (bem) de você sem que a pessoa mencione seu nome. Ora bolas, a culpa não é do cliente! Ele está apenas lhe pagando!

INBOUND MARKETING É PERFUMARIA, E NÃO RESULTADO

Outro problema comum das Agências é amealhar ferramentas que normalmente fazem a engenhoca do Inbound Marketing funcionar e tratá-las como entregáveis.

Vamos fazer uma landing page maravilhosa aqui, que de preferência demore séculos para o nosso designer projetar, um hotsite maravilhoso com pegada retrô, sabe, ou, talvez, um e-mail marketing, só pra falar que a gente tá fazendo alguma coisa que os outros não estão.

E aí eu pergunto: Qual é a funcionalidade dessa trenheira toda, Jesus Christ? Landing Page bonita que demora séculos para ficar pronta? Será que os projetistas se preocuparam com o banco de dados para os quais os contatos deixados pelos leads serão enviados?

Banco de dados? Contatos? Leads? Mas a landing page tá tão TOP!!!!

Pois é…É mais uma vez o desconhecimento de conceitos básicos dando retrabalho e desmoronando qualquer chance de sucesso do Inbound em Agências.

Não, o Inbound não é salvador da pátria   

inbound marketing em agencias

Como você pode ver, o Inbound Marketing está longe de ser o salvador da pátria das Agências Full Service diante da pior crise dos últimos anos.

Contudo, não há dúvida de que vale a pena investir nessa metodologia – hoje já incorporada à carta de serviços das empresas especializadas lá fora e que aqui, pelo que parece, ainda engatinha.

O que não dá é pra ficar na ignorância, sacrificando (e sobrecarregando) profissionais, encantando (e enganando) clientes e, ao mesmo tempo, esperando que a situação se modifique por si própria. Inbound é, acima de tudo, trabalho, estudo e investimento.

inbound marketing em agencias

Já implantou o Inbound Marketing em Agências ou tem dificuldade? Conte pra nós nos comentários!