Resolvi começar minha resenha sobre “Conectados Mas Muito Distraídos” do Sidnei Oliveira parafraseando a forma como ele começa sua obra:

“Como foi gostoso ler esse livro!”

 

Tudo começou quando o li uma sinopse na Amazon e ele entrou para minha lista de “livros que preciso ler”. Mas, nunca ia imaginar receber em casa um exemplar autografado pelo próprio Sidnei! Em menos de duas semanas “devorei” seu conteúdo, foi irresistível, eu diria. E nos próximos parágrafos pretendo te contar um pouco da minha relação com esse livro.

 

Você deveria ler “Conectados Mas Muito Distraídos”?

 

Você tem sonhos? Então isso já é motivo suficiente para ler o livro. Eu poderia até parar de argumentar por aqui, mas acredito que não iria te convencer. Então ouso dizer que: Se você tem sonhos, se você precisa realizá-los, se você é jovem (ou não), se você está vivendo nos dias atuais, você certamente precisa mergulhar na obra de Sidnei. Ela funciona como um tipo de bússola que vai te ajudar a ter uma direção que você ainda não imaginava precisar.

 

A introdução aborda todo o cenário em que vive a Geração Y, a mais conectada (e distraída) que tivemos. Quais foram as grandes transformações sociais que motivaram o surgimento de uma nova geração e quais são as características que diferenciam esses novos jovens. Graças a grandes avanços na ciência e na economia, a expectativa de vida aumentou consideravelmente (80 anos +) nos últimos anos. Essa realidade proporcionou aos Y crescer com novos desafios, disputando e conquistando seu espaço na sociedade.

 

Geração Infeliz?

 

Movido por desafios, esse jovem tornou-se ambicioso e acostumado com a ideia de sempre ter mais que seus pais tiveram. Pensamento que acaba por desencadear o que o Sidnei chama de “fragilidade comportamental para frustrações”, em que diante de um fracasso, geralmente não há persistência. É mais fácil desistir e buscar outro desafio. – Alguém se identificou com esse comportamento? Sejam sinceros!

 

Diante das decepções o jovem dificilmente sabe como reagir, isso faz com que ele sinta-se infeliz e incompleto. Mas o que o faz infeliz não é o fato de fracassar, mas o sentimento que tem ao criar expectativas maiores que sua realidade. (Quem nunca?)

 

Um artigo da revista eletrônica Wait but Why ilustra muito bem esse caso. Recomendo a leitura! Leia: Why Generation Y Yuppies Are Unhappy?

 

Fórmula para levar para a vida <3

Fórmula para levar para a vida <3

 

Com toda essa contextualização comportamental sobre a Geração Y, ficou mais fácil entender porque estamos tão distraído, apesar de conectados, certo?

 

A história de seis jovens (e talvez a sua)

 

Depois de “entender” o novo jovem, vamos conhecê-los: Sidnei nos apresenta a seis jovens (personas construídas a partir de suas experiências com mentoria, mas que tiveram suas histórias e identidades preservadas). São eles: Daniel, Judith, Tales, Roberto, Liliane e Vitória. Cada um com suas peculiaridades, mas com um objetivo em comum, encontrar um propósito para seguir e realizar seus sonhos.

 

Ser sonhador é quase que um adjetivo à juventude, mas devemos concordar que entre sonhar e realizar existe um longo caminho que às vezes parece o labirinto do fauno de tão “assustador” e desafiante. Nesse momento a figura de alguém que pegue na sua mão e passe um pouco de segurança para seguir em frente parece o ideal.

 

Mas o melhor mesmo é quando encontramos alguém que nos dá um verdadeiro empurrão, capaz de nos manter em movimento por boa parte do caminho, o que nos motiva a seguir com os próprios pés na outra metade. Essa foi a sensação que tive sobre as experiências vividas pelos jovens durante a mentoria do Sidnei.

 

Você se envolve um pouco com cada personagem, pois em diversos momentos aquelas histórias fazem intersecção com a sua. Acontece uma identificação automática e de repente você se vê recebendo conselhos e refletindo sobre as respostas que você precisa “se dar” para que as coisas comecem a acontecer. Sabe a famosa história da zona de conforto? Aqui você vai ler a versão não clichê sobre o porquê você deveria parar de fazer as coisas como está fazendo para poder conquistar seus resultados.

 

rt0r3r

 

 

If you can dream it, you can do it

Se você pode sonhar, você pode realizar – Walt Disney

 

Devo concordar que essa frase dita por Walt Disney e mencionada durante o livro me influenciou de maneira especial (principalmente porque li Criatividade S.A. anteriormente e estava totalmente mergulhada nesse mundo). Mas o que me chama atenção é a maneira como às vezes fomos ensinados a deixar de acreditar em sonhos por que eles parecem fantasiosos ou impossíveis demais, quando na verdade isso não deveria acontecer. A condição sine qua non para qualquer realização é o sonho!

 

Eu poderia passar horas escrevendo sobre coisas que aprendi com “Conectados Mas Muito Distraídos”, mas não quero estragar a sua experiência. Por isso serei breve em deixar minha mensagem.

 

Nós somos a geração mais conectada que já existiu e não devemos deixar a miopia da distração impedir de enxergar o momento único que estamos vivemos. Somos capazes de realizar grandes sonhos e temos um mar de possibilidades adiante. Eu sei que a jornada não é fácil, por isso quando estiver desmotivado lembre-se de que “A estrada é construída a cada passo que você dá!” 😉

 

Finalizo minha resenha da mesma forma como comecei, citando uma passagem do livro (e também minha dedicatória).

 

Sonhe sempre, sonhe grande e realize muito!

 

sonhe-sempre-sonhe-grande

 

 

Bônus

 

Durante todo o livro, Sidnei usa modelos de formulários como recursos em suas seções de mentoria. Ao fim do livro, para minha surpresa eles estão todos disponíveis. Após preenchidos eles podem funcionar como mapas para alcançar o seu objetivo de vida.

 

Eu adorei a proposta!