Lá se vai uma Era. Hoje será descontinuado (termo atual para “é o fim”) o Orkut, a eterna rede social de todos os brasileiros. Sim, deixe de sua goga, você o amava.

 

Há 10 anos nascia a ideia do jovem Orkut Büyükkökten, projetista chefe e engenheiro turco do Google. Sua função na teoria? Aproximar as pessoas. Sua função na prática? Mudar de vez a internet.

 

Criada em 24 de Janeiro de 2004 nos Estados Unidos, a rede social logo se espalharia pelo mundo virando uma pandemia digital. A capacidade de aproximação entre pessoas era algo nunca visto antes no meio virtual e traria a curiosidade de milhões. Não demorou muito, ela chegou ao Brasil. Lembro que para acessar era necessário ser convidado por alguém que lá estava (pura ostentação).

 

 

O boom do Orkut no Brasil foi por volta do ano de 2006, quando já estava na casa dos milhões em números de usuários ativos. Nenhuma empresa havia tantos ‘clientes’ como a rede. Essa febre durou , incisivamente, cerca de 3 ou 4 anos, digamos. A queda começou em 2010, quando outras redes começaram a surgir, além de um tal Facebook.
Bom, há várias teorias sobre seu declínio. A mais comentada (e antissocial) foi por causa da inclusão digital da classe C e D. Não sejamos hipócritas ao achar que o Brasil não é um país que ignora as classes mais baixas. Aquele infame pensamento mesquinho de que “Pobre é a poluição social”, existe. Porém, é praticamente o mesmo pensamento dos Europeus ou Americanos em relação a nós. Quando começamos a ‘invadir’ o Orkut, muitos deles começaram a migrar para outras redes para não se misturar aos usuários de países do terceiro mundo.
Sendo assim, muitos brasileiros começaram a migrar pro Facebook – por exemplo – porque era mais “cool” e passava aquela inútil ilusão de que “sou inteligente, e me diferencio do povão”.
Porém, há um fundo de verdade nesse êxodo do Orkut, a ideia era tão nova e inovadora que nos perdemos na utilização. Nossa cultura social não existia no meio digital. Não fomos preparados pra isso.

 

 

O Orkut foi quem realmente, de fato, inseriu o termo “rede social” no vocabulário brasileiro. Já existia o MIRC, e ou MSN Messenger, mas nada comparado ao poder da informação gerada nos feeds dos usuários. Era algo tão inovador, que não soubemos como nos portar diante de tal ‘liberdade de expressão digital’.
Se pararmos pra ver direitinho – e deixarmos de lado as ‘mazelas’ da rede – ele foi o desbravador de muitas coisas digitais que existem hoje:

 

 

1 – Ele mudou a forma da nossa troca de informação:

Começamos a conversar através dos scraps ou chat. Algo que outrora você faria por e-mail. Estava tudo ali na mesma página.

 

2 – Ampliou conexões com as comunidades:

A criação das ‘comunidades’ foi algo genial. Já existiam os fóruns da vida internet a fora, e mais uma vez ele centralizou tudo em uma única página. As comunidades eram ferramentas para troca de informações sobre diversos assuntos, desde concurso público a besteirol. Essa capacidade de conexão com outras pessoas foi uma das maiores inovações no uso da internet social.

 

3 – Mudou nosso comportamento digital:

Se antes usávamos a internet para e-mail e pesquisa, hoje é quase obrigatório você ter uma rede social para se comunicar. Seja apenas para você ver as fotos da sua família, ou para negócios. As redes sociais mudaram nosso comportamento como consumidor e como usuário. Deixamos recado, conversamos, guardamos foto, discutimos ideias e tudo em um canto só. É a necessidade da informação mais rápida e prática.

 

4 – Deu voz às pessoas:

O início de uma mudança drástica. O Orkut promoveu algo que não esperava; Ele deu voz aos usuários. Vimos que podíamos falar o que pensávamos (sim, muitas besteiras também), expressar nossos pensamentos, nossas ideias, ser contra, ou favor de algo. As marcas viram o potencial da rede e começaram a aderir, em contrapartida os usuários não se calavam com os absurdos, que antes engoliam.

 

5 – Criou novas profissões:

Graças a esse tsunami de informações, alguém precisava organizar os dados, minerar as informações, transformar em estratégia. Mas quem poderia fazer isso? Então começaram estudar a fundo as redes sociais, usar o marketing digital nas mídias sociais. O Social Media é o fruto.

 

6 – Iniciou e terminou relacionamentos:

Sim, com certeza você deve ter paquerado alguém no Orkut, ou ter começado a conversar por ali. Ou ainda, depois de conhecer alguém pessoalmente vinha sempre aquela pergunta: “Tu tem Orkut?”(Quem nunca?). Se ele promovia o amor, promovia também o terror. Várias DR’s foram motivadas pelos scraps, pelas fotos, por adicionar certas pessoas. (Quem nunca? [2])

 

7 – Promoveu reencontro entre pessoas:

Sabe aquela amigo(a) que você não o via desde a época de colégio? Aquele parente que você perdeu contato? Aquela paquera da juventude? Pois bem, muito provável que a pessoa tivesse Orkut. Bastava digitar o nome da pessoa na barra de pesquisa e pronto. Bom, nem todos foram felizes, mas já era uma opção em encontrar alguém.

 

8 – Obrigou as empresas a mudarem sua postura com o consumidor.

As marcas viram a inclusão massiva de pessoas na rede e olharam como uma oportunidade de fidelizar clientes. Assim como os usuários (nós) não estavam preparados para tal, as empresas também não estavam. Ainda achavam que o comportamento do consumidor seria o mesmo em relação às mídias clássicas. Ledo engano. A cada “post fail” eram enxurradas de críticas. Elas se viram de repente num mar turbulento onde qualquer deslize a má fama era viralizada, e por mais que você contornasse… Sempre ficaria aquela imagem negativa. Eles precisavam ser mais humanos e menos máquina. Ficar mais próximo do consumidor, perder o medo de falar com o cliente (sim, as empresas têm/tinham medo).

 

9 – Revolucionou o mercado fotográfico no geral.

Imprimir fotos ficou arcaico. Todos queriam uma câmera digital pra postar suas fotos da viagem, festa, balada, encontros, etc. Ninguém queria mais imprimir e guardar as fotos naquele “álbum da Kodak”. Todos queriam guardar no álbum do Orkut. Nascia o narcisismo digital.

 

10 – Foi o Start da ‘Zuera Never Ends’.

Aaaahh, a zuera! Comunidades bizarras, fotos toscas, vídeos medonhos, frases a Caio F. Abreu ou Soja. Surgia um novo nicho que atraia milhares; A zoação alheia. Blogs como o Não Salvo começaram no Orkut e hoje são referência no humor digital. Em paralelo viriam os gifs chatospracaralho, e outras asneiras que poluíam nossos olhos.

 

Por que o ORKUT vai acabar?

 

Segundo eles: “Ao longo da última década, YouTube, Blogger e Google+ decolaram, com comunidades surgindo em todos os cantos do mundo. O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus ao Orkut e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários.”

 

Entenda o que irá acontecer com o Orkut:

 

O Orkut será oficialmente encerrado em 30 de setembro de 2014. Até lá, você pode:

 

  • Entrar, jogar e usar sua conta como sempre

 

 

 

Depois que o Orkut fechar em 30 de setembro de 2014:

  • Você não poderá entrar no Orkut

 

  • Você não poderá exportar seus álbuns de fotos para o Google+

 

  • Apps, APIs e jogos não estarão mais disponíveis

 

  • Comunidades públicas serão salvas em um Arquivo de Comunidades visível publicamente

 

 

Bom, eu prefiro ainda acreditar em um darwinismo digital; Sobrevive ao tempo aquele que melhor se adapta. Ou seja ainda, todos temos nosso tempo de glória, um dia ele passa e ficam os legados. O Orkut deixou o seu e cravou sua imortalidade na cronologia histórica da internet – na minha opinião de bosta.

 

 

A festa acabou todos foram embora e o último a sair… Favor feche a porta e apague aluz.

 

 

#DescanseEmPazOrkut

 

 

✰ 2004
✝ 2014