Recentemente, o Facebook anunciou que está fazendo mudanças na API da rede social com objetivo de descontinuar o monitoramento dos murais públicos (ou atualizações públicas) dos usuários,  a partir de maio de 2015.

.

Na prática, isso significa que todas as ferramentas para monitoramento de redes sociais (como Buzzmonitor, Hootsuite, Radian6 e Scup) não conseguirão mais capturar os depoimentos dos usuários do Facebook, podendo deixar um certo “buraco” nos projetos de monitoramento das marcas, uma vez que estamos falando da maior rede social do momento no Brasil e no mundo.

.

Nem de forma manual será mais possível realizar a busca pelas atualizações públicas dos usuários, uma vez que a rede social já excluiu a aba “atualizações públicas” de seus filtros de busca, como é possível visualizar abaixo:

.

                                                ANTES                 |                                    AGORA

monitoramento

.

Ainda não se sabe se Mark Zuckerberg comercializar alguma API própria, visando cada vez mais a monetização da rede social, mas independentemente do pronunciamento de seu fundador, é importante que 3 considerações sejam feitas:

.

1. Monitoramento Manual

 

O monitoramento da rede precisa continuar, afinal estamos falando da principal rede social brasileira e mundial. Nem que este monitoramento seja realizado de forma manual e contemple apenas os grupos, as páginas criadas por consumidores e a busca por hashtags.

.

Acreditem, nos tempos do Orkut, a API que capturava automaticamente os posts era bem ruim, sendo necessário fazer quase tudo manualmente, olhando comunidade por comunidade, tópico por tópico. Mas deixa o Orkut para lá, afinal, ele é (quase) finado.

.

2. Aprofundar o monitoramento em outras redes sociais

 

A partir do momento que a profundidade do monitoramento dos murais públicos no Facebook diminua (menos depoimentos coletados = monitoramento mais superficial), torna-se necessário o aprofundamento das análises em outras redes, como Youtube, Twitter e Instagram (sim, a descontinuação da API, acontecerá apenas no Facebook).

.

3. É hora de focar nas Fan Pages

 

Para diminuir os efeitos do fim da API no monitoramento dos murais públicos da rede, outra atitude importante a ser tomada pelas marcas é utilização de estratégias cada vez mais focada no marketing de conteúdo e no marketing de relacionamento, para atrair os consumidores e instigá-los a interagir na Fan Page, fazendo desta, uma experiência prazerosa para ambas as partes.

.

Assim, será possível entregar resultados das análises da Fan Page cada vez mais aprofundados e concisos, objetivando uma análise mais qualitativa das métricas (ranquear as publicações que obtiveram mais comentários é importante, porém,  analisando que tipo de publicações costumam gerar mais comentários, sobre o que se comenta, qual a linguagem utilizada pelos fãs, dentre outras considerações, o resultado da análise se tornará bem mais interessante e mais útil).

.

No mais, o que se pode fazer é esperar que o Facebook lance sua API para que as marcas possam continuar entendendo como seus públicos costumam falar delas fora da Fan Page e saber continuamente como anda sua reputação entre os usuários da rede social, além de possibilitar o monitoramento e a gestão de crises na rede.

.

O que achou de mais essa mudança do Facebook? Será que o Zuckerberg vai lançar uma API própria e comercializar sua utilização? Comenta aí!