Durante muito tempo, parece que vivemos um paradoxo. De um lado empresas que cresceram muito e se tornaram gigantes com bilhões de dólares de receita e lucro, mas que perceberam que não conseguem ter a velocidade e foco necessários  para criar e inovar em função de suas estruturas e, do outro lado, startups sem dinheiro algum,  pouca orientação de negócios e mercado, mas com grande velocidade e capacidade de inovação em produtos.  O resultado disso, empresas grandes fadadas a repetir produtos e startups que morrem por falta de capacidade gerencial e financeira.

 

Mas parece que a resposta a este paradoxo está na integração de grandes empresas com startups e não estamos falando de aquisição como vemos comumente através de empresas como Google e Facebook,  mas de processos mais simples como a aceleração das startups através da oferta de recursos tecnológicos e comerciais, como, por exemplo, tem sido feito pela IBM e Salesforce.

 

Na IBM, o programa se chama IBM Global Entrepreneur. Nele a startup terá acesso a softwares da base IBM sem cobrança por por 3 anos, serviços de hospedagem na nuvem, participação em eventos de conexão com capital de risco, mentoria de outros empreendedores em todo o mundo, acompanhamento de um gerente de relacionamento para o desenvolvimento do negócio e uma maior exposição ao mercado através da plataforma de soluções da IBM.

 

Já no Salesforce, líder mundial em CRM na nuvem, a formação ocorre através do PARTNERSHIP PROGRAM. As startups  utilizam a sua arquitetura para desenvolver soluções complementares que possam ser oferecidas através da plataforma de parceiros e passam por um programa de capacitação e validação técnica e mercadológica para lançar o seu produto para uma base de mais de 140.000 clientes  da Salesforce.

 

Apesar das diferenças entre os 2 programas, ambos possuem um processo rigoroso de seleção, cobram percentuais da receita a partir do momento da comercialização do produto, oferecem mentoria técnica e/ou de negócios e legitimam para o mercado que a startup está no caminho certo.

 

Tenho participado, em etapas diferentes, destes dois programas através do SALESIM  e tem me impressionado a disposição que os gestores têm em apoiar o  desenvolvimento da startup. Não tenho dúvidas que dinheiro é muito bom, mas acredito que o que está sendo oferecido nestes 2 programas pode ajudar tanto ou muito mais, sem que para isso, seja oferecido equity.

 

Por fim, convido aos interessados em conhecer mais estes programas a participar do Road Show que será oferecido pelo ITEP/PE para apresentar o SALESFORCE PARTNERSHIP PROGRAM previsto para o dia 22/04/14. Acompanhe através da fan page do SALESIM. Nos vemos lá!