O mercado digital brasileiro continua num caminho longo e tortuoso, rumo à formação de equipes multidisciplinares e à integração eficaz entre indústria, pesquisa e governo. Há uma luz no fim do túnel? Sim! Estas linhas iniciais buscam resumir em poucas palavras o que representou a segunda edição da Conferência Internacional Brasil Canadá 3.0, realizada em João Pessoa, nos dias 05 e 06 de dezembro.

 

Lições do Canadá sobre empreendedorismo digital

 

O evento que traz no seu cerne o desafio de colocar em discussão a importância do tripé governo – academia – mercado para o avanço da economia digital, conseguiu avançar as discussões em sua segunda edição. Dentre as palestras, destaque para o painel ‘Promovendo a economia digital criativa’, em que o Canadá mostrou porque tem muito a ensinar para o nosso país.

 

O diretor do Instituto de Nanotecnologia da Universidade de Waterloo, Alain Franq, inspirou a todos a responderem o seguinte: De onde vem as ideias? A partir desta reflexão, o professor explicou como os trabalhos são realizados no Instituto, com pesquisadores trabalhando em ambiente acadêmico no desenvolvimento de projetos demandados pelo mercado, assim como sobre o apoio do governo canadense em todas as etapas de pesquisa, desenvolvimento, prospecção e comercialização dos produtos desenvolvidos. Uma integração que já é realidade lá no país da América do Norte e sonhada (além de pouco realizada) no Brasil!

 

Já o empresário Peter Sun falou sobre o trabalho da Canadian Digital Media Network (CDMN), organização canadense voltada para a promoção da economia digital no Canadá. A entidade é dedicada a tornar o Canadá líder mundial em mídia digital, através do apoio ao trabalho conjunto entre empreendedores, companhias, startups, institutos de pesquisa e gestão pública.

 

A CDMN atua em ações para geração de empregos no campo digital e coordena uma plataforma online onde os empreendedores trocam ideias sobre como vencer barreiras e crescer no mercado nacional e internacional. Com mais este exemplo, dá pra perceber o quanto o Brasil tem a aprender com o Canadá. Todavia os palestrantes brasileiros também fizeram bonito no #BrasilCanadá 3.0: este, inclusive, será o foco do nosso próximo post!

 

Ao todo mais de 1200 participantes, entre universitários, pesquisadores e empresários, acompanharam os dois dias de painéis da Conferência, com temáticas desafiantes nos campos da indústria da convergência, segurança digital, processos criativos e produção de conteúdos.

 

Vale lembrar que o evento é inspirado no modelo da Conferência Canadá 3.0, que coloca em debate anualmente as discussões sobre as mídias digitais e seus impactos na sociedade. No encerramento da segunda edição brasileira, não foi anunciado se teremos a edição 2014. Fiquemos na torcida, pois este é um debate que não pode parar!