Marketing de afiliados é pirâmide? Essa é a pergunta que muitos fazem a si mesmos antes de cogitar investir neste mercado. Afinal, não são incomuns os casos de pessoas que são atraídas por propostas que parecem ser lucrativas, mas na verdade só geram prejuízos para quem as aceita.

Semelhante aos esquemas de pirâmide, o marketing de afiliados também se mostra ser lucrativo. Assim como em uma pirâmide, também oferece um pagamento para recrutar novos clientes. Por isso, muitas pessoas creem que marketing de afiliados é pirâmide.

De acordo com o G1, golpes envolvendo pirâmides financeiras são recorrentes e até mesmo atrizes famosas já caíram nesse tipo de esquema. Por e

xemplo, o esquema no qual a atriz Juliana Paes caiu, descoberto pela Operação Kryptos e noticiado pelo G1.  No entanto, há algumas diferenças entre os dois modelos.

Qual é a diferença entre marketing de afiliados e pirâmides financeiras?

Se você pensa que marketing de afiliados é pirâmide, pensou errado. O marketing de afiliados é uma ferramenta lícita que tem como foco a venda de um determinado produto ou serviço. Já a estrutura de uma pirâmide é ilegal e mantida pelos investimentos de novas pessoas que entram no esquema. 

O que é Marketing de Afiliados?

Marketing de afiliados é uma relação comercial em que uma pessoa divulga o produto de uma empresa em troca de comissão pelas vendas geradas. O processo ocorre de forma 100% online e várias empresas já investem neste formato. Por exemplo, a Amazon, o Befree e o Linkshare. 

Muitos pensam que marketing de afiliados é pirâmide devido suas semelhanças, porém, são duas coisas diferentes. O marketing de afiliados é um formato estratégico legalizado que cresce a cada dia. Conforme o Portal Proxxima, houve um crescimento de 72% nas vendas geradas pelo setor em maio de 2020.

Além disso, o portal informa que, dos US$ 3,8 bilhões investidos em anúncios em plataformas digitais, em 2020, no Brasil, US$ 152 milhões foram para o marketing de afiliados. Segundo o texto, os dados são do estudo Awin Report 2021, feito para ver como o setor contribuiu com o aumento de transações no e-commerce.

O que é uma pirâmide financeira?

Segundo a Lei 1521/51, a pirâmide financeira é crime. As pirâmides costumam oferecer retorno expressivo em pouco tempo, e seus lucros focam no recrutamento de novos participantes em vez de na venda de algum produto. Por isso, muitos pensam que marketing de afiliados é pirâmide.

Entretanto, elas só funcionam enquanto estiverem atraindo novos investidores. Assim que para de recebê-los, o esquema não consegue mais oferecer os lucros prometidos e quebra. Em alguns casos existe venda de produtos, mas com a finalidade de encobrir a fraude.

Em uma pirâmide, a remuneração dos líderes depende das taxas de adesão, como pagamento por treinamentos, cursos, compra de equipamentos, etc. De acordo com a UOL Economia, a estimativa é que 85% dos integrantes tenham apenas prejuízos, e os únicos a lucrarem sejam os líderes.

Além disso, não há a finalidade lícita de um empreendimento, mas sim, a intenção de lucros altos e rápidos para os idealizadores do esquema. Por isso, geralmente são realizados recrutamentos enganosos de diversas pessoas, prometendo faturamentos irreais, o que caracteriza a atividade como criminosa. 

Como identificar um esquema de pirâmide?

Para nunca mais acreditar que marketing de afiliados é pirâmide, é necessário saber identificar os esquemas ilegais. As características de uma pirâmide são: promessa de lucro exorbitante e retorno garantido; promessa de ganhos extras ao atrair novos clientes; falta de informações sobre o produto oferecido; falta de informações básicas sobre a empresa e seus donos.

Antes de investir, faça uma pesquisa prévia sobre o negócio. Verifique a finalidade da empresa na CVM, analise suas informações, leia comentários no Reclame Aqui e converse com especialistas da área em que a empresa atua. Caso queira participar, leia bem o contrato e nunca aceite fechar nada apenas no boca a boca.

Como evitar cair em golpes na internet?

Agora que você sabe que estava errado ao pensar que marketing de afiliados é pirâmide, saiba como não cair em outros golpes. De acordo com o site do Serasa, há uma série de medidas que os usuários podem tomar para evitar de cair em golpes na internet. Em seguida, veja as recomendações do órgão:

1 – Confira a idoneidade da empresa: Os canais de venda online são obrigados a divulgar dados como razão social, endereço, telefone e CNPJ (de preferência em sua página inicial). Desconfie de sites que não os disponibilizam. 

2 –  Identifique as informações de contato: Procure por telefones, endereços e e-mail para entrar em contato caso dê algum problema com a entrega do produto ou serviço. Antes de realizar o investimento, faça o teste entrando em contato pelos canais disponibilizados pela empresa. Se você não for atendido ou não houver informações de contato, desconfie. 

3 – Procure pela certificação digital: Lojas virtuais que se preocupam com a segurança de seus clientes buscam obter selos e certificados de segurança para proteger seus dados. Confira se essa informação aparece na página inicial. Além disso, sites de comércio online iniciam sempre com https, não com http

4 – Analise a qualidade dos textos: Erros de português e fotos ou imagens de má qualidade são características de sites amadores, não-idôneos e com o objetivo de aplicar golpes.

5 – Conheça a reputação da empresa: Sempre pesquise o que as pessoas falam sobre o produto ou serviço de uma empresa. O Reclame Aqui é um bom site para localizar reclamações e elogios para lojas, sejam elas físicas ou online. Outra opção é o Procon, que mantém uma lista de empresas a serem evitadas

As recomendações podem ser utilizadas não apenas para evitar compras enganosas, mas também para evitar entrar em esquemas de pirâmide. Além disso, é importante tomar cuidado com propostas que prometem dinheiro fácil e rápido. Quando recebê-las, informe-se sobre a empresa e procure a opinião de outras pessoas sobre ela. 

Como receber renda extra através do Marketing de Afiliados?

Agora que você já sabe que se enganou ao achar que marketing de afiliados é pirâmide, saiba como ganhar dinheiro com isso. Há diversas formas de ter renda extra com o Marketing de Afiliados. Por exemplo: custo por clique (CPC); custo por ação (CPA); custo por mil impressões (CPM); custo por venda (CPV) e outros.

Primeiramente, pesquise sobre como funciona cada tipo de programa de afiliados. Quando souber qual combina mais com o seu perfil, pesquise quais empresas investem neles e faça seu cadastro online no site delas. Muitas vezes, o afiliado recebe um link para divulgar. 

O afiliado deve fazer com que outras pessoas efetuem a ação desejada pela empresa e, a partir disso, lucra com o link. Os canais mais indicados para a divulgação dos links são, em geral, sites ou blogs, redes sociais e e-mail marketing (neste post explicamos como este último funciona).

Para usá-los, é necessário aprender a gerar engajamento para aumentar os cliques no link. Nesta postagem do Digaí nós mostramos quais são as melhores redes sociais para atrair clientes. Além disso, o blog também traz dicas para usar o Facebook e o Instagram

Custo por Clique (CPC)

O CPC é um dos tipos de comissionamento mais antigos da internet, surgido nos anos 2000 com o Google Adwords. Nele, o afiliado divulga banners em sua própria plataforma online e recebe uma comissão a cada clique que o banner obtiver, independente da ação posterior ao clique.

A principal vantagem deste modelo é que o afiliado não é responsável pela quantidade de vendas do produto anunciado. Porém, é necessário uma grande quantidade de cliques para receber uma boa quantia.

Custo por Ação (CPA)

Diferente do custo por clique, neste o afiliado pode ser responsável pela quantidade de vendas do produto anunciado. Isso porque neste caso, o pagamento é feito quando o cliente realiza uma ação específica, geralmente quando a venda é fechada.

Essa ação também pode ser um preenchimento de cadastro, o download de um ebook ou até a inscrição em um curso. O modelo está entre os mais rentáveis. Porém, também é mais difícil para o afiliado, que precisa criar uma estratégia para entender as dores e desejos do cliente para guiá-lo até a ação necessária.

Custo por Mil Impressões (CPM)

Famoso nas agências de publicidade e mídia tradicional, foi uma das principais formas de remuneração online na década de 90. Neste modelo, a cada mil impressões (número de vezes que uma publicação foi exibida em um determinado período), o afiliado recebe uma comissão. 

Custo por Venda (CPV)

A cada compra realizada pelos clientes, o afiliado recebe uma comissão. Por exemplo, no programa de afiliados da Amazon, é possível receber uma comissão de 15% por cada venda gerada no e-commerce.

Custo por Lead Válido (CPL)

Os leads válidos são os contatos considerados valiosos para uma empresa. Neste modelo, o afiliado recebe uma comissão a cada lead válido obtido. Por exemplo, ao indicar uma pessoa para se tornar anfitrião no Airbnb, é possível receber uma determinada quantidade de créditos.

Custo por Formulário (CPF)

Neste formato, o afiliado recebe um valor a cada formulário respondido. O valor varia entre os tipos de formulário, que podem ser simples ou complexos (com mais ou menos dados). 

Custo por Instalação (CPI)

No CPI, o afiliado recebe uma quantia a cada vez que um determinado aplicativo é instalado, independente de ele ser utilizado ou não. Por exemplo, nos apps Tik Tok e Kwai, os usuários podem receber dinheiro trazendo novos usuários para as plataformas.

Como ganhar dinheiro com o mercado de afiliados?

Primeiro, é preciso conhecer os tipos de programas e escolher o que combina com você. Além disso, defina se ele será apenas uma renda extra ou se poderá dedicar-se integralmente como afiliado.

Na maioria dos casos, o seu trabalho como afiliado será a divulgação, seja para cliques em um link, compra de um produto, instalação de um aplicativo ou qualquer outra coisa. Ou seja, é necessário aprender a utilizar uma linguagem persuasiva e fazer com que ela alcance o maior número de pessoas possível.

Por isso, é primordial aprender estratégias de SEO e marketing digital. Ao aumentar o seu engajamento, seja em um blog/site ou em uma rede social, as chances de fazer com que esse público se interesse pelo produto que você vai vender são maiores.

Entretanto, não basta apenas ter um público engajado: é preciso também entender a qual nicho pertence o produto que você está vendendo. Por exemplo, se você possui um Instagram sobre leitura, o produto que mais despertará interesse do seu público são os livros. 

Além disso, saber quais são os nichos mais rentáveis é um ótimo critério a ser definido antes de escolher o seu programa de afiliados e estratégia de divulgação. Portanto, faça uma pesquisa de mercado e veja quais são os tipos de produtos ou serviços que mais geram lucro para os vendedores.

Plataformas mais conhecidas para marketing de afiliados

Além dos programas de afiliados de empresas como a Saraiva, Magazine Luiza e outras, também existem plataformas feitas especialmente para o marketing de afiliados. Algumas delas são a Hotmart, a Monetizze e a Lomadee. Em seguida, veja diversas plataformas e programas de afiliados para escolher.

Hotmart

A Hotmart é uma das maiores plataformas de marketing de afiliados, com mais de 1 milhão de usuários. Além disso, em 2019, a plataforma teve um aumento de mais de 80% em seu faturamento. O foco da Hotmart é a venda de infoprodutos, especialmente cursos, com um suporte completo para usuários que desejam criar um ambiente de estudos online. 

Para saber mais sobre a Hotmart, clique aqui. 

Monetizze

A Monetizze permite que seus usuários façam a gestão completa das métricas. Além disso, a plataforma permite a integração com o Google Analytics, o que gera uma análise mais assertiva dos dados. A plataforma tem mais de 300 mil afiliados cadastrados e movimenta R$ 100 milhões por mês em produtos físicos e digitais.

Para saber mais sobre a Monetizze, clique aqui. 

Lomadee

A Lomadee oferece os formatos de comissão por vendas e ganho por clique. Ela possui uma quantidade significativa de anunciantes e permite a segmentação dos produtos por tipo. Além disso, a remuneração é feita mensalmente, aproximadamente no dia 10, através do BCash.

Essa alternativa é boa para quem deseja vender produtos físicos e de diferentes setores do mercado.

Para saber mais sobre a Lomadee, clique aqui. 

Amazon Associados

A empresa oferece um grande acervo de livros e outros produtos. No programa da Amazon, o afiliado recebe um link para divulgar, e recebe uma comissão sempre que alguém comprar através dele. Os lucros são variados e podem chegar a até 15%. Além disso, o afiliado também recebe uma comissão caso o visitante que entrar no site através de seu link adquira outras ofertas. 

Para saber mais sobre a Amazon Associados, clique aqui

Afilio

A Afilio foi criada em 2008 e sua estratégia é focada em performance: o cliente só paga quando seus resultados são reais e validados pela plataforma. Por isso, os clientes se sentem mais seguros em relação à plataforma, uma vez que o pagamento só é feito depois das conversões. Além disso, a Afilio também trabalha com audiências internacionais. Dessa forma, as chances de ganho são ainda maiores para os afiliados.

Para saber mais sobre a Afilio, clique aqui

Saraiva

No programa da Saraiva, o afiliado escolhe o produto e o formato da divulgação, e recebe até 8% de comissão para cada venda gerada. Além disso, a Saraiva também disponibiliza ofertas, avisa de todas as novidades, oferece ferramentas para facilitar os anúncios e materiais para a divulgação.

Para saber mais sobre o programa de afiliados da Saraiva, clique aqui

Afiliados

Pela plataforma, o afiliado pode entrar para o programa de afiliados de diversas empresas, como Americanas, Submarino e Shoptime. São diversos os tipos de serviços, produtos e ofertas que podem ser divulgados. Além disso, é possível escolher entre diversos modelos de afiliação.

Na Afiliados, é possível obter até 11% de lucro nas comissões, receber cupons e ofertas diárias, monitorar suas vendas em tempo real e anunciar as maiores marcas de e-commerce do Brasil. Para isso, o interessado só precisa se cadastrar, seja ele uma pessoa física ou jurídica.

Para saber mais sobre a Afiliados, clique aqui.

Tik Tok

O Tik Tok é um aplicativo em que os usuários publicam vídeos curtos com conteúdos sobre diversos temas. Por exemplo, humor, receitas, tutoriais, música e outros. Sua estratégia de afiliados é a CPI: os usuários ganham um link e ganham comissão quando alguém instalar o app por esse link.

Para saber mais sobre o Tik Tok, clique aqui.

Eduzz

A Eduzz é focada em produtos digitais e possui uma plataforma de aperfeiçoamento para seus produtores e afiliados, chamada Academia 360. A Eduzz possui diversas vantagens. Por exemplo, há possibilidade de receber os ganhos em dois dias, identificar e recuperar clientes que abandonaram o carrinho, aumentando os lucros.

Para saber mais sobre o Eduzz, clique aqui.

Agora que você já conhece diversas opções, basta escolher a que combina mais com você para investir!