A FinTech brasileira anunciou que está entrando para o setor corporativo e, nesta terça-feira (16),  iniciou a fase de teste de contas para pessoa jurídica. Assim, a Nubank deu, oficialmente, o start em seu projeto voltado para profissionais autônomos e microempreendedores individuais.

Inicialmente, a empresa afirma não ter interesse em expandir o serviço para grandes empresas, que apresentam necessidades mais sofisticadas. A ideia é focar seus esforços nos pequenos negócios.

O teste do projeto selecionará, a priori, 10 mil clientes. Para se qualificar entre os escolhidos, é preciso obrigatoriamente que a empresa tenha um único dono e que esse dono já seja usuário do Nubank.

O banco digital ainda afirmou que a ideia de convidar os clientes para testar essa novidade tem o intuito de conseguir construir, junto aos seus usuários, toda uma experiência acerca desse novo produto.

nubank-pequenas-empresas

O projeto

O projeto, recém lançado, tem como principal foco atender as necessidades de pequenos empreendedores e profissionais independentes, já que ambos os públicos muitas vezes são negligenciados pelos grandes bancos.

Cristina Junqueira, cofundadora e vice-presidente do Nubank, informou que, como empreendedores, é possível sentir na pele o peso que a burocracia e as altas tarifas podem ter sobre um negócio. Segundo ela, todos os dias é possível ouvir queixas semelhantes dos nossos clientes. Foi esta, então, a ideia que baseou a criação do Nubank, há três anos. De acordo com Cristina, agora a ideia é libertar também os pequenos empreendedores de toda essa complexidade.

A conta para pessoa jurídica inicialmente permitirá transações como transferências financeiras entre usuários Nubank e de outros bancos, depósitos via boletos, além de pagamento de contas e impostos.

A vice-presidente tem a intenção de replicar a NuConta, que já é utilizada por pessoa física, com cobrança apenas para saques. Além desse serviço, a empresa também planeja lançar o cartão de débito para esses usuário até o fim de 2019.

nubank-pequenas-empresas

Porque entrar para esse mercado?

A vice-presidente da startup afirmou que um dos motivos pelo qual a empresa iniciou o projeto foi para conseguir entender melhor a demanda das pequenas empresas e profissionais autônomos.

Além, de compreender esse público, a ideia também é conseguir oferecer o serviço de conta corporativa para os pequenos empresários que enfrentam dificuldades quando entram em contato com bancos regulares.

Essa preocupação surgiu pela própria dificuldade enfrentada pela startup quando iniciou suas atividades e encontrou dificuldades em abrir conta nos bancos HSBC e o Itaú. Atualmente, avaliada em US$ 4 bilhões, o Nubank resolveu usar de seus serviços para evitar que outros tenham que enfrentar as burocracias que eles sofreram quando começaram a empresa.

E aí, amigo, curtiu a iniciativa da Nubank?