Enquanto Gisele Bündchen desfila sensualidade no Copacabana Palace, em um ensaio exclusivo para a revista Vogue, no último dia 25 de agosto, compartilhando sua beleza para o mundo, outro movimento ganha mais espaço nas discussões sociais: a economia solidária ou a economia compartilhada.

Mas o que a über model tem a ver com esse assunto? Você descobrirá nas próximas linhas.

Aplicativos incentivam consumo coletivo

Simples: a Vogue “vaza” fotos da brasileira nas redes sociais como estratégia de divulgação esperando uma reação do público para comentar e, no futuro, comprar a publicação, assim como as empresas investem em projetos de consumo coletivo, divulgando suas ferramentas na Internet, onde o ato de compartilhar é natural aos usuários da rede mundial de computadores. E, em tempos de dinheiro escasso, nada melhor do que ter vendedores que não cobram porcentagens sobre as vendas, ajustando o consumo ao comportamento da sociedade, que busca alternativas para sobreviver na crise.

Na economia compartilhada, as pessoas dividem produtos e serviços com o intuito de diminuir o consumo, buscar experiências positivas e poupar os recursos disponíveis. Algumas já fazem sucesso no Brasil como a Uber – transporte mais barato e que pode ser dividido entre os passageiros –, o Catarse – que busca o financiamento para projetos diversos –, e a Airbnb, de hospedagem mais econômica.

Casa nova para animais de estimação

Em todo o país, já são cerca de 5.000 pessoas cadastradas como anfitriãs da plataforma DogHero, uma tendência para quem gosta de animais, sobretudo, cachorros. O aplicativo, e também site, conecta donos de pets, que precisam viajar, a outros apaixonados pelos bichos. Belo Horizonte, por exemplo, recebeu a plataforma recentemente e já é a terceira cidade no país em número de inscritos para receber pets em casas, com mais de 300 anfitriões. Outras capitais também já possuem anfitriões cadastrados.

A DogHero cuida de todos os detalhes da estadia dos cães, oferecendo assistência veterinária em caso de necessidade, além de todo o suporte de contato a distância entre os responsáveis e seus bichos. Para conhecer a ferramenta, o site é o www.doghero.com.br. O aplicativo DogHero está disponível para IPhone e Android. Se você gosta de cachorros pode ajudar e ainda ganhar uma grana, que não chega ao salário de Gisele Bündchen, mas a recompensa valerá a pena.

Você pratica a economia solidária? Quais aplicativos utiliza? Escreva nos comentários para todo mundo saber.