Compras em plataformas digitais, principalmente de comidas e bebidas, estão cada vez mais recorrentes no Brasil e no mundo, embora o Brasil ainda se mostre um pouco resistente aos supermercados online. A expectativa é de que esse crescimento seja contínuo e cada vez maior nos próximos anos, segundo uma pesquisa divulgada pela Tetra Pak Index.

Até 2022, espera-se que o canal cresça 6,5% no país. Para o mesmo período, em esfera global, estima-se um aumento de 17,4% em compras feitas em supermercados online.

Apesar dessa resistência apresentada pelo Brasil, não há dúvidas sobre o crescimento, uma vez que os consumidores irão experimentar novas experiências e modelos de negócio. Um exemplo disso é a compra feita em supermercados online e, posteriormente, retirada na loja física. Essa mistura de interações em dois ou mais canais caracteriza um novo modelo, que inclusive possui grande potencial de venda.

Acredita-se, com isso, que haverá grande estímulo para o varejista que atua em loja física, já que agora ele poderá se fortalecer também no ambiente digital.

mulher fazendo compras na internet

Fonte: Bruce Mars / Pexels

Supermercados online e o comércio eletrônico

Fazer compras sem precisar sair de casa tem sido algo bastante procurado, tendo em vista que as pessoas estão cada vez mais sem tempo para irem a supermercados. A facilidade que esse tipo de serviço oferece fez com que surgissem supermercados online, uma categoria que ainda estava passando por testes e análises.

Comodidade é uma característica bastante procurada atualmente. Até pouco tempo atrás, e-commerces voltados para compra de roupas, sapatos, cosméticos e eletrônicos eram muito comuns. Agora, os estabelecimentos voltados para o ramo alimentício estão se integrando aos milhares de e-commerces de diversos ramos que já existem no ambiente online.

frutas e legumes no supermercado

Fonte: Pixabay

Por que o brasileiro ainda resiste aos supermercados online

Como já foi visto, a pesquisa divulgada pela Tetra Pak Index, mostrou que muitos brasileiros ainda resistem a compras em supermercados online. Isso se deve ao fato de que muitas pessoas veem o ato de fazer compras em supermercados físicos como um passeio ou até mesmo como uma terapia.

Ir até o local, encontrar pessoas, conversar com os funcionários, escolher os produtos manualmente, passar no caixa, embalar e colocar no carro são ações bem vistas por uma grande parcela da população, principalmente àquela que tem um pouco mais de tempo disponível.

E aí, amigo? Você prefere fazer compras em locais físicos ou em supermercados online?