O sucesso das redes sociais não é resultado apenas do uso dessas plataformas como ferramentas de conversação e entretenimento. Nos últimos anos, a utilização de personalidades em campanhas publicitárias foi um dos fatores responsáveis pelo aumento no número de novos usuários no Facebook, Twitter e Instagram, por exemplo.

Utilizados em ações de marketing, os influenciadores digitais continuarão a ser tendência em 2018. Isso foi o que indicou uma recente pesquisa da Linqia, empresa especializada em marketing de influência. O relatório constatou que 39% dos profissionais de marketing devem aumentar o investimento nessa estratégia de divulgação esse ano.

influenciadores digitais tendencia 2018

O poder dos influenciadores digitais

Segundo o levantamento da Linqia, 86% dos gestores que responderam às perguntas revelaram que utilizaram essa estratégia em 2017, e 92% disseram ter ficado satisfeitos com os resultados obtidos. Com isso, a expectativa é que o investimento cresça aproximadamente 30% em relação ao ano passado, com um gasto entre US$ 25 mil e US$ 30 mil.

Uma parcela dos entrevistados revelou que pretende ir além, investindo entre US$ 50 mil e US$ 100 mil. De todas as redes sociais, o Instagram foi apontado pela maioria (92%) como a ferramenta mais importante para 2018, seguido pelo Facebook (77%). Os Blogs, não levados em consideração por muitas empresas, aparecem em terceiro lugar com 71% da preferência.

influenciadores digitais tendencia 2018 01

A importância do conteúdo e público-alvo

O estudo mostrou que as empresas devem avaliar qual a melhor forma de produzir o conteúdo da campanha. Enquanto algumas marcas deixam o influenciador desenvolver todo o projeto, outras preferem fazer um trabalho em conjunto. Além disso, é preciso analisar bem a personalidade, para que tenha uma convergência entre os públicos-alvo.

Para avaliarem os desempenhos das campanhas, os gestores que participaram da pesquisa revelaram que engajamento, cliques e as conversões são os principais indicadores observados. Muitas empresas começaram a desenvolver ferramentas próprias de monitoramento, o que demonstra um amadurecimento nessa atividade.

E aí, amigo, o que você acha dos influenciadores digitais?