A internet está cheia de opções para a gestão de e-mail marketing. Existem diferentes ferramentas para envio de mensagens para o mailing. Outras tantas ajudam a criar o layout desses e-mails. Há técnicas para bolar o título perfeito. Ok, mas vocês já pensaram o que faz uma newsletter simplesmente boa? Aquela que o leitor fica feliz em receber? Que ele realmente quer ler? Alguns exemplos podem mostrar como elaborar um conteúdo interessante.

 

O que faz uma newsletter ser boa

Sabe como muitas vezes se diz que “não há receita de bolo” para explicar que um assunto não é assim tão simples? Pois bem. Para fazer uma newsletter boa até que há uma receitinha sim. Anotem aí os ingredientes:

  • Conteúdo curto.
  • Texto leve.
  • Informações relevantes.
  • Personalidade.
  • Visual bonito.

Pronto acabou. É isso aí.

Claro que não é simples. A ideia é que o leitor ache o e-mail extremamente fácil de ler, o que dá a impressão de que foi fácil de produzir. Mas é só impressão mesmo. Quem está do outro lado, gerando o conteúdo, sabe que atingir a simplicidade é bem difícil. Mas essa é a receita de sucesso para newsletter.

Vamos a alguns exemplos.

 

Exemplos das melhores newsletter da atualidade

Pá e pum”. É assim que se descreve a newsletter da Perestroika. É direto ao ponto. Sem enrolação. A descrição é sensacional porque destaca exatamente a melhor característica de uma newsletter interessante: ser sucinta.

A escola batizou a newsletter de “O Spam”. E os leitores nunca gostaram tanto de receber e ler um spam. O e-mail da Perestroika é dividido em quatro editorias autoexplicativas: Criativo, Subversivo, Sensível e Do Bem. Cada um desses temas é explorado semanalmente com uma dica interessante e quatro links para o leitor se aprofundar naquele assunto. São quatro ou cinco linhas de texto para falar de cada tópico, quatro links e fim. “Pá Pum”.

O visual desta newsletter é minimalista. Sem imagens, só os textos. Mas funciona. O principal atrativo aqui é a facilidade de ler e a personalidade. O e-mail é orientado para gente curiosa, que manja de internet e que já é super bem informado. A percepção do leitor é que o Spam entende que estamos procurando aquele algo mais das informações. Aquela sacada legal. Um tidbit de internet que vai motivar minha conversa com uma amigo. “Você já viu aquele cara no YouTube que teve a ideia de…”

 

Perestroika

 

Se tem um formato que é comprovadamente fácil de ler é o das listas. O leitor “bate o olho” no texto e rapidamente já entende a ideia geral da mensagem só de ver os itens. O escritor e artista Austin Kleon envia semanalmente uma newsletter fantástica em forma de lista.

A proposta dele é mandar para os leitores 10 inputs interessantes que ele teve recentemente. É um material fantástico para quem atua com qualquer trabalho criativo. Kleon recomenda livros, fala de música, conta sobre seu processo produtivo, indica trabalho de amigos, manda recorte de notícias, e assim por diante. É uma delícia de ler.

Os pontos fortes da newsletter de Kleon são a leveza dos conteúdos e a personalidade. O formato lista, além de facilitar a leitura, torna o compartilhamento muito mais prático. E os conteúdos que ele envia está em total sintonia com a filosofia de trabalho dele, que prega que o artista deve dividir com o público as etapas da produção como o que o inspirou e como funciona a parte do mão na massa. A newsletter é a cara do artista e o leitor percebe isso.

(Sou fã de Austin Kleon. Já falei dele aqui e aqui)

 

 

Austin Kleon

Austin Kleon

 

O youPIX é referência em internet no Brasil. Quando o assunto é newsletter, eles também estão entre os melhores. O e-mail youPIX Ideas é “uma seleção de artigos e pensamentos sobre conteúdo digital, mídia e creators”.

A newsletter não tem periodicidade fixa. Chega de vez em quando. Mas quando chega, traz uma amostra do que está acontecendo de legal, curioso, estranho e interessante na internet. A cara do youPIX. O e-mail facilita a vida do leitor trazendo, para cada notícia, um parágrafo curto explicando “Por que isso é importante”.

 

youpix

 

Que newsletter vocês assinam? Quais vocês realmente lêem?

Falem para a gente!