Desde outubro de 2014, a Rede Social TSU está no ar. Foi fundada pelo CEO Sebastian Sobczak e é apenas para usuários que são convidados por outros usuários já existentes. Sua ideia é concorrer com o Facebook, já pensou?

 

A palavra TSU vem do japonês que significa “Estética ideal e a pronúncia correta para os brasileiros seria “SU”. A rede social não tem quase nada de diferente das demais, você pode publicar fotos, vídeos, textos, compartilhar em sua timeline e adicionar pessoas. Seu objetivo é o mesmo de qualquer outra: conectar pessoas.

 

 

PAGANDO PRA VER

 

A TSU tem um diferencial bem interessante. Ela recompensa seus usuários por atividades e de acordo com o alcance, ou sejam quanto mais for difundida mais grana o usuário recebe.

 

Segundo a FAQ, apenas 10% dos lucros fica com a rede social, os demais 92% são distribuídos para os usuários e suas interações.

 

 

Foto Divulgação / TSU

 

 

Funciona da seguinte forma: imagine U$ 100 de receita. Desses cem dólares, 90 são distribuídos. Logo, se quatro pessoas compartilham o conteúdo, a distribuição seria: o criador do conteúdo original recebe 50% dos US$ 90. O primeiro usuário a compartilhar obtém 33,3%. Quem compartilha em segundo grau recebe 11,1%. Neste caso, US$ 9,99. O compartilhamento em terceiro grau gera 3,70%.

 

O recebimento pode ser de várias formas: o usuário pode transferir os fundos para o “banco” de outras pessoas sendo amigos ou demais membros do TSU, ou para a caridade. Só que eles só podem receber sua parte quando ultrapassa os U$100.

 

É uma fórmula um pouco confusa em primeiro momento. Mas, segundo a revista “Fast Company”, existem pessoas já faturando sobre a rede social. Foi informado que o compositor Andrew Fromm, responsável por várias músicas de Backstreet Boys, N’Sync e Selena Gomes, recebeu US$100 em uma semana, um valor considerado alto se for comparado à arrecadação do Streaming.

 

 

E DE ONDE VEM TANTO DINHEIRO ASSIM?

 

Vem de anúncios, parcerias e propagandas em geral, espalhadas por toda a plataforma do site.

 

O layout do site lembra bastante o Twitter. Você tem capa, informações pessoais, fotos, aniversário na distribuição tal qual o Twitter. Além disso, no lado esquerdo da página, você pode ter acesso às suas mensagens diretas, perfil, além de poder administrar informações e acompanhar seu rendimento. A utilização da rede social é muito simples e intuitiva, basta navegar para logo descobrir onde encontrar o que procura.

 

O problema do TSU são as contas falsas com intuito de ganhar dinheiro, afinal, isso é o que as pessoas procuram na rede social, além de espalhar conteúdos sem muita relevância que contradiz o propósito da rede social que é você faturar de acordo com o seu conteúdo.

 

 

                                                    Foto Divulgação / TSU

 

 

Hoje a rede social conta com aproximadamente 4,5 milhões de usuários, o que é considerado um bom número, mas não sabemos quantos desses perfis são fakes.

 

A TSU ainda é nova, então não há muito o que julgar, tem muito o que aprender ainda, pois o conteúdo espalhado não está sendo tão valioso quanto pretendiam e o compartilhamento orgânico tem deixado a desejar. Mas esperamos que esses problemas sejam resolvidos e quem sabe, teremos uma concorrência ao nível do Facebook.

 

Mas o surgimento de novas redes sociais tanto a TSU quando a Ello (de tempos atrás) mostra que existe espaço para coisas novas na web, sim. E que as veteranas devem se preocupar em reter os usuários buscando qualidade e inovação nas suas plataformas.

 

Lembra do que aconteceu com o Orkut? Quando o Facebook ganhou força, todo mundo migrou para ele deixando o Orkut perdendo usuários aos poucos até que desapareceu. Apesar do Orkut ter tentado inovar, não conseguiu reter, pois já era tarde demais. Então há sempre espaço para o novo e vamos ficar de olho nas cenas dos próximos capítulos com a TSU.

 

O que você acha dessa nova rede social? O Facebook deve ficar de olho aberto ou é imbatível? Deixa sua opinião aí pra gente!