A Internet das Coisas, ou Internet of Things, é uma verdadeira revolução tecnológica que terá impacto sobre tudo com o que fazemos. É uma onda gigantesca de novas possibilidades que estão destinadas a mudar a face da tecnologia.

 

A IoT, como é popularmente conhecida, é a interligação entre as coisas que utilizam a tecnologia de comunicação sem fio para conectar objetos, lugares, animais ou pessoas na internet, permitindo assim a transmissão direta e de compartilhamento de dados.

 

Em resumo, ela refere-se a dispositivos que são capazes de trocar informações automaticamente através de uma rede.

 

Esta tecnologia já está entre nós com a Nike Fuelband, Google Glass, Fitbit, e o recente iWatch da Apple.

 

Mas afinal, qual será o impacto sobre a forma como fazemos negócios, especificamente onde o marketing se encaixa nesta tendência? Listamos os 4 benefícios que a Internet das Coisas trará ao marketing nos próximos anos:

 

 

1. Análise instantânea do Cliente

 

Uns dos bens mais valiosos para qualquer negócio são os dados de vendas. Ao ter acesso à informações sobre como, onde e por que os produtos estão sendo comprados e usados seremos capazes de adaptar melhor nossos esforços de marketing com os nossos clientes.

 

Dispositivos inteligentes poderão reunir esses dados e fornecer de volta, em tempo real, o feedback dos consumidores. Assim, se um produto ou um serviço não está à altura das expectativas, não teremos que esperar muito tempo para descobrir mais detalhes sobre ele, poderemos minimizar as perdas e evitar uma possível tragédia.

 

Quando usado em conjunto com uma ferramenta de gestão de relacionamento com cliente (CRM), a Internet das Coisas será capaz de fazer mais do que simplesmente reunir e organizar os dados do cliente, ela será capaz de forma eficiente e com precisão analisar esses dados, bem como, fornecer resultados específicos ​​em relação a sua base de consumidores.

 

 

2. Dispositivos auto-gerenciáveis

 

Um dos aspectos mais promissores de produtos inteligentes é sua capacidade para realizar seu próprio diagnóstico e manutenção.

 

Quando se trata de dispositivos convencionais, muitas das vezes o primeiro sinal de que alguma coisa está errada vem quando o dispositivo abruptamente para de funcionar. Quando isso acontece, não há muito que fazer, ou obter a sua reparação ou encomendar um dispositivo totalmente novo e aguardar sua entrega.

 

Os dispositivos da IoT poderão eliminar todo esse tempo ocioso, monitorando constantemente as suas próprias funções e sugerindo soluções, quando necessário. Em casos de detecção de um problema, o dispositivo poderá enviar um alerta permitindo com que o cliente possa tomar uma iniciativa antes mesmo dele desligar.

 

 

3. Mídias Sociais

 

Antigamente, a maioria das empresas não acreditavam na poderosa ferramenta que são as mídias sociais. Porém, hoje, 74% dos empreendedores relatam que houve um aumento considerável no tráfego depois de investir apenas 6 horas por semana em esforços de marketing nas páginas e perfis dessas redes sociais.

 

A Internet das coisas já foi concebida para explorar ao máximo os recursos das mídias sociais, as empresas que souberem direcionar seus esforços para essa nova tendência, serão capazes de chegar a potenciais clientes que antes não estariam disponíveis.

 

 

4. Imagine um CTR de 100%

 

Reunidos, todos esses fatores apontam para um objetivo final: mais agilidade e publicidade mais relevante.

 

Com um número crescente de dispositivos conectados, o perfil da publicidade tanto para o comerciante quanto para o consumidor irá mudar.

 

Não serão mais banners ou pop-ups que irão atrair a atenção dos clientes, até por que a maioria dos dispositivos serão completamente incapazes de processar ou até mesmo exibir tais recursos.

 

Como resultado, o marketing finalmente estará do lado do consumidor. A publicidade será totalmente relevante e estará 100% alinhada com os interesses, comportamentos e compras dos consumidores.

 

Mas como isso é possível? Um exemplo simples dessa tecnologia está em uma lâmpada que se queima numa “casa inteligente”. A casa conectada, não só poderia fazer a anotação da necessidade de uma substituição, mas também fornecer um cupom digital para uma nova lâmpada enviada diretamente ao smartphone do proprietário. Ainda melhor, poderia exibir o número exato de horas em que a lâmpada esteve em uso podendo transmitir um aviso antes mesmo do fim de sua vida útil, desta forma o proprietário poderia comprar uma nova lâmpada e quando esta se apagasse a nova já estaria em sua casa pronta para ser substituída.

 

Não só o consumidor que economizaria tempo, os anúncios que seriam exibidos estariam relevantes à situação daquele cliente, o marketing não vai mais desperdiçar em publicidade irrelevante e finalmente poupará dinheiro.

 

 

Trabalhe para tirar proveito da Internet das Coisas

 

Com uma expectativa de aproximadamente 75 bilhões de conexões em 2020. Com uma infinidade de dispositivos novos se tornando “mais inteligentes”, não deixe que a sua estratégia de marketing permaneça parada no tempo.

 

Pense sobre como você atualmente interage com seus produtos e serviços. Pense mais profundamente como seu negócio pode se preparar para os dispositivos inteligentes, isso porque a Internet das Coisas vai dar um novo significado para o marketing digital.

 

Deixe sua opinião sobre como você espera que essa onda irá interferir no seu negócio. Compartilhe conosco!