Depois de muito tempo na UTI, tendo passado a vida inteira com a saúde frágil, o Google Plus é, finalmente, pronunciado morto pela Google. Mas os fãs da rede (isso, eles existem e são muitos) podem ficar felizes porque os órgãos do falecido serão doados e muito do que gostamos do G+ vai continuar vivendo, firme e forte, por aí.

 

Adeus Google Plus, seja bem-vindo Google+ Collections

 

O mural de posts, onde os usuários publicavam novidades, liam as notícias postadas pelos amigos, davam +1s e comentavam, vai morrer mesmo. Ou, para ficar mais leve, será completamente transformado e vai virar o  Google+ Collections. Segundo o engenheiro Dmitry Shapiro, que anunciou a novidade, o Collections será “uma nova maneira de agrupar seus posts por tema”.

 

 

No post oficial, Shapiro explica como a novidade vai funcionar. “Todas as coleções serão focadas em um conjunto de posts sobre um tópico em particular, permitindo uma forma fácil de você organizar tudo que você curte. Cada coleção pode ser compartilhada publicamente, de forma privada, ou com um grupo determinado de pessoas. Uma vez que você crie sua primeira coleção, seu perfil vai mostrar uma nova aba dizendo onde outras pessoas podem encontrar em seguir sua coleção”. Parece um pouco com a lógica dos “painéis” do Instagram, que também separa as publicações por temas, mas é condizente com o que o Google+ já havia tentado fazer com os “circles”. A ideia é que nem toda atualização é para todo mundo ver porque, simplesmente, pode não interessar a toda a sua rede de contatos.

 

 

Oh não, não matem o Google Plus Photos!

 

Quem usa o Google Plus (a gente existe!) já havia percebido que o espaço para arquivar ou publicar fotos na rede já estava passando por transformações. Recentemente, o Google Plus Photos passou a organizar automaticamente as imagens por tema. Apesar de alguns problemas bizarros, a novidade, na maioria das vezes, funciona tão bem que até parece mágica. Já era o presságio das transformações do Google Plus. O Google Photos continuará existindo, mas fora do Plus, como um app isolado. Segundo a empresa, a mudança vai tornar o G+ “mais focado, mais útil e com mais estímulo ao engajamento”.

 

 

O Google+ não será mais a identidade principal de quem usa ferramentas Google

 

A maioria dos usuários da Internet neste globo terrestre tem uma conta na Google. Seja para usar o Gmail ou para curtir vídeos no YouTube, todos nós usamos Google de alguma forma online. Essas contas, (email, blogger, YouTube, G+) sempre foram conectadas. Bastava fazer login em uma delas para usar todas. Segundo a própria Google, os usários gostavam desta praticidade, mas de-tes-ta-vam o fato de a identidade no G+ ser a principal delas. O grande problema era o fato de comentários feitos no YouTube serem postados automaticamente no G+. Essa lambança já havia sido corrigida, mas agora as duas ferramentas se divorciaram de vez. Com as mudanças no Google Plus, será possível usar todos os recursos da Google sem ter uma conta por lá.

 

 

O Google Plus vai fazer falta para você?

 

No ano passado, escrevi, aqui mesmo no Digaí, sobre o possível fim do Google Plus. Na época, perguntei para os leitores se eles ia sentir falta da ferramenta. Em 2014 a resposta foi esmagadora: SIM!

 

Acontece que, mesmo com tantas piadas circulando sobre como só quem usam o G+ são os próprios funcionários da Google, muita gente usa o négocio sim. O Plus não tem muitos usuários ativos, mas quem está por lá adora. E vai sentir falta se ele acabar.

 

Com essas novidades, o Google Plus certamente não morreu. Mas virou outra coisa. Eu acho que, de fato, vai ficar mais focado e interessante como eles pretendem. E vocês, o que acham?

 

O Google Plus vai fazer falta para vocês?