Mais de 80 programadores e profissionais de computação se reuníram para assistir a palestra “Como trabalhar no Facebook e outras grandes empresas de tecnologia” realizada pelo programador Tadeu Zagalo, recém contratado como engenheiro de “front end”, atuando na renderização do site do Facebook. O evento foi promovido pelo grupo Google Developers Group (GDG) de Juiz de Fora – MG, na 3255 Cockworking.

 

 

20150127_195030

Tadeu Zagalo aconselha presentes sobre o processo seletivo do Facebook.

Google

Antes, o gestor do GDG, Tiago Gouvêa, apresentou o objetivo do grupo de desenvolvedores em Juiz de Fora, que é compartilhar conhecimento e técnicas oferecidas pela empresa, através de encontros de grupos de estudos realizados periodicamente, aberto ao público.

 

 

Tiago Gouvêa, do GDG JF acompanha palestra / Foto: Lucas Portilho de Faria Cunha

 

 

O Grupo de Desenvolvedores Google Juiz de Fora é para todos interessados na tecnologia para desenvolvedores da  empresa. Tudo, de plataformas do Android, do App Engine e do Google Chrome, a APIs de produtos, como a API do Google Maps, a API do YouTube e a API do Google Agenda. Os próximos eventos podem ser vistos aqui.

 

 

Carreira

 

 

Tadeu Zagalo explica que candidato precisa trabalhar para a empresa que realmente quer / Foto: Lucas Portilho de Faria Cunha

 

 

Em seguida, Tadeu destacou sua trajetória, começando em uma pequena agência, passando por um intercâmbio na Irlanda, e quando retornou ao Brasil, trabalhou com várias outras companhias. A história com o Facebook começou durante esse tempo, ele cadastrou seu currículo e foi chamado, passando por diversas etapas seletivas. A primeira tentativa não deu certo. “Só não consegui passar por causa do visto”, afirmou.

 

 

De acordo com Tadeu, o processo seletivo do Facebook é constituído por três processos: o Codding Challenge, um problema de programação entregue pelo Facebook para ser resolvido em até três dias, uma entrevista via Skype e quatro entrevistas de 45 minutos realizada na Califórnia (EUA). “Eles querem identificar seu perfil de trabalho e como você pode se relacionar dentro da empresa. As perguntas são ‘Como você aborda os problemas?’, querendo saber sobre seu plano de elaboração e ‘Aonde você quer chegar’, para ver se você tem ambição. Gente acomodada não dá”, comenta.

 

 

Como se preparar?

 

 

O inglês é fundamental, mas tão importante quanto é saber programar no papel. “Comece já aprendendo a escrever os códigos manualmente. Eu, na época comprei um quadro branco e escrevia nele. Mas, durante o processo seletivo, quando chegar a hora, não tenha medo de perguntar, questionar o entrevistador durante a elaboração da programação. Pense alto, explique suas ideias. Demonstre interesse. Peça ajuda, mas não deduza nada”, explica.

 

Mesmo concorrendo a vaga, não fique fixo a ela. “Participe de outros processos seletivos, ache outras empresas que você gostaria de trabalhar, ganhe experiência”, conta. O Facebook pode ser o sonho profissional de várias pessoas, entretanto outras empresas pode encher os olhos de programadores. Tadeu comenta que a estrutura do processo em geral é bem parecida. “Quanto aos requisitos, ao meu ver, varia mais da vaga do que da empresa, mas o conteúdo que eu abordei é bem básico, e vai ser cobrado em qualquer vaga dessa área”.

 

Durante a palestra, ele deixou várias dicas e links para o candidato estar apto a entrevista para o Facebook. Uma, em especial, ele ressaltou. “Pra quem quer saber em detalhes do processo de uma dessas empresas em específico eu recomendo o site www.glassdoor.com, aonde as pessoas contam como foram suas experiências nas entrevistas e funcionários  que avaliam as empresas”.

 

 

Segue abaixo uma pequena lista de sites e aplicativos que pode te ajudar a se destacar no processo seletivo:

 

The Google Resume;
Duolingo;
Cracking the Code Interview (Livro);
HackerRank;
Coursera.org;
Introduction to Algorithms;
HiredIn Tech.

 

 

Ao final da palestra, a frase que ficou em evidência no slide foi:

GET THAT JOB!