Elas estão revolucionando de vez a forma de fazer negócios no mundo e agora pouco também no Brasil. De quem eu falo? São as queridinhas do momento, as startups. Por estar na moda e em seu auge maior, agora todo mundo quer fazer parte de uma startup também. Mas, será que é mesmo assim tão fácil?

 

Startup, segundo Eric Ries (o evangelista do assunto), é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócio repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza.

 

Meio confuso ainda? Calma que eu irei explicar melhor os motivos pelos quais elas são tão diferentes dos negócios que todo estão acostumados a lidar.

 

 

 
 

Estes são os pontos principais das startups:

 

Grupo de pessoas:

 

Não é que você não consiga criar a sua startup sozinho, mas, em momentos de expansão, você vai ter de contar com outras pessoas. É impossível crescer sozinho. E elas virão para te ajudar.
Dai se você já tem uma super equipe desde o começo, melhor ainda.

 

É necessário contar com um grupo que venha a se complementar. Fazer mesmo uma mega mistura de conhecimentos para juntos chegarem ao melhor modelo de negócios e assim decolar com força total para o mercado.

 

Procura de um modelo de negócio:

 

Startups, parte de algo ainda não criado. A ideia de negócio ainda precisará ser testada, pode ser que ela não seja aceita de primeiro momento ao mercado, precisando ser ajustada. O mundo está também muito dinâmico e o tempo todo precisamos nos adaptar às mudanças. E com as startups não é diferente. Por isso, o modelo de negócio está sempre em constante melhorias.

 

Negócio repetitível e escalável:

 

O negócio ser repetitível é com relação ao modelo do próprio negócio. O mesmo modelo que você criou aqui pode também ser utilizado em ambientes distintos e assim você pode replicar ele em outras regiões, estados e até mesmo países.

 

Escalabilidade: é a busca de um crescimento muito rápido e de forma automática, tudo isso feito em pouco tempo. Exemplo disso são as redes sociais, os app e entre tantos outros modelos de negócios que vieram para revolucionar de vez os nossos dias.

 

Trabalhar em ambientes de extremas incertezas:

 

Trazer uma ideia de negócio ao mundo e de forma inovadora é sempre estar correndo riscos. Algo não criado e que vem a quebrar paradigmas traz mesmo muitas incertezas para quem está envolvido no negócio. Mas, se a ideia for bem trabalhada e vier a atender as reais necessidades das pessoas, você poderá estar diante de um negócio muito promissor. É justamente isso o que motiva os jovens a empreender cada vez mais.

 

 

Espero que esses itens possam ter esclarecido melhor a ideia do que é um startup. Quem sabe não é você a próxima pessoa a se destacar da multidão e vir para o mercado fazer a diferença também. Eu acredito nisso, e você?